TRANSFORMAÇÕES SÓCIO-ESPACIAIS E A PROBLEMÁTICA AMBIENTAL NO BRASIL: O CASO DAS HIDRELÉTRICAS

Autores

  • Edima Aranha Silva Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Resumo

O texto aborda as transformações sócio-espaciais e a problemática ambiental no Brasil, na perspectiva dos grandes empreendimentos hidrelétricos. Empregam-se os conceitos de espaço e território para compreender o processo de desterritorialização decorrente dos severos impactos sócio-ambientais promovidos nos entornos das usinas hidrelétricas. As transformações se dão tanto nos aspectos ambientais - fauna, flora, recursos minerais - como nas instâncias sócio-culturais e econômicas das comunidades ribeirinhas e adjacências, as quais têm suas vidas/vivência severamente alteradas. A condição subalterna desses grupos de indivíduos os torna mais vulneráveis e passíveis de sofrerem o desenraizamento cultural e a desterritorialização; a mobilidade no e pelo espaço ocorre com mais fluidez. Por outro lado, o capital busca novos territórios; ele se (re)territorializa e se revela numa multiterritorialdiade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

19-10-2007

Como Citar

Silva, E. A. (2007). TRANSFORMAÇÕES SÓCIO-ESPACIAIS E A PROBLEMÁTICA AMBIENTAL NO BRASIL: O CASO DAS HIDRELÉTRICAS. Caminhos De Geografia, 8(23). Recuperado de https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/15657

Edição

Seção

Artigos