A nova dimensão da competitividade: territorialização e arranjos produtivos locais (APL)

Autores

  • Lucas Labigalini Fuini UNESP-RIO CLARO

Resumo

Este artigo aborda a relação existente entre as noções de "Competitividadeâ€? e "Territórioâ€? no contexto das reestruturações produtivas e dinâmicas espaciais da indústria que acentuam a concorrência entre os lugares. Tal relação se torna mais clara em Arranjos Produtivos Locais (APL), sobretudo em contextos aglomerativos de médias e pequenas cidades que valorizam seus recursos e atividades diante do processo de desconcentração territorial da indústria. Este estudo parte então da hipótese de que as vantagens competitivas de tais agrupamentos tem vínculo estreito com recursos específicos do território, ou seja, as características históricas, culturais, sociais do ambiente em que as empresas se inserem e que são dinamizadas na proximidade geográfica entre atores, instituições e organizações locais, não sendo facilmente reproduzidas em outros lugares. Ao final, como esforço de análise, é proposto modelo teórico para estudo da "Competitividade territorialâ€? de aglomerações produtivas baseado na associação entre "recursos territoriaisâ€? e "competitividadeâ€?.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lucas Labigalini Fuini, UNESP-RIO CLARO

Licenciado e Bacharel em Geografia pela Unesp-Rio Claro. Mestre em Geografia Econômica-regional pelo Programa de Pós-graduação em Geografia da Unesp-Rio Claro, recebendo bolsa FAPESP. Atualmente é professor das Faculdades ASMEC em Ouro Fino-MG, Professor bolsista da Unesp-Rio Claro e estudante de Doutorado no Programa de Pós-graduação da Unesp-Rio Claro (

Downloads

Publicado

17-04-2008

Como Citar

Fuini, L. L. (2008). A nova dimensão da competitividade: territorialização e arranjos produtivos locais (APL). Caminhos De Geografia, 9(25). Recuperado de https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/15595

Edição

Seção

Artigos