CARACTERIZAÇÃO AMBIENTAL DO ESPAÇO AGRÁRIO NA REGIÃO NOROESTE DO RIO GRANDE DO SUL

Autores

  • Jussara Mantelli Universidade Regional do Noroeste do Rio Grande do Sul - UNIJUI
  • Diogo Ricardo Schiavo bolsista FAPERGS

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG82015477

Palavras-chave:

organização do espaço, setor agrário, degradação ambiental, processo de ocupação

Resumo

A ocupação do estado do Rio Grande do Sul, em especial das áreas de colonização, por imigrantes europeus, revela que a agricultura desenvolvida nas áreas de mata representou o primeiro embate da atividade agrícola com os recursos naturais, gerado pelo processo de desmatamento. A evolução e o agravamento dos problemas ambientais nesta região relaciona-se às mudanças nas formas de produzir e no tipo de culturas desenvolvidas. A alta produtividade da terra conseguida no início da colonização, por causa da fertilidade natural dos solos de mata, esgotou-se e inseriu-se no setor agrário, um novo modelo de produção, com base na introdução de agro químicos, agravando os problemas ambientais, sob várias formas: esgotamento dos solos, assoreamento e poluição dos rios, além das repercussões de ordem social (exclusão social agrária).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jussara Mantelli, Universidade Regional do Noroeste do Rio Grande do Sul - UNIJUI

Professora de Geografia da Universidade Regional do Noroeste do Rio Grande do Sul - UNIJUI, Doutora em Geografia Humana pela USP

Diogo Ricardo Schiavo, bolsista FAPERGS

Geógrafo pela Unijui e bolsista FAPERGS

Downloads

Publicado

02-02-2007

Como Citar

MANTELLI, J.; SCHIAVO, D. R. CARACTERIZAÇÃO AMBIENTAL DO ESPAÇO AGRÁRIO NA REGIÃO NOROESTE DO RIO GRANDE DO SUL. Caminhos de Geografia, Uberlândia, MG, v. 8, n. 20, p. 79–88, 2007. DOI: 10.14393/RCG82015477. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/15477. Acesso em: 7 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos