RELAÇÕES ENTRE FATORES CLIMÁTICOS E OCORRÊNCIAS DE INCÊNDIOS FLORESTAIS NA CIDADE DE JUIZ DE FORA (MG)

Autores

  • Fillipe Tamiozzo Pereira Torres Professor de Geografia da Universidade Presidente Antônio Carlos

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG71815426

Palavras-chave:

incêndios florestais, umidade, fogo

Resumo

As condições climáticas e incêndios florestais mantêm uma estreita relação, desde a probabilidade de ocorrências de incêndios, oriundas das condições atmosféricas reinantes em um dado período de tempo, até a manutenção e propagação do fogo. Em épocas do ano com baixa umidade do ar, como no inverno, a propensão de incêndios florestais aumenta consideravelmente, visto que o ar mais seco acaba por forçar uma maior evapotranspiração dos vegetais. Como nesta estação têm-se um índice pluviométrico deficiente, como na região da Zona da Mata Mineira, a reposição desta umidade que poderia vir do solo derivadas das chuvas não é suficiente, com isto se têm vegetais mais secos formando maior quantidade de material combustível. A baixa umidade proporciona um déficit na formação de nebulosidade, favorecendo uma maior atuação da radiação solar sobre a superfície, esta por sua vez eleva a temperatura do ar, ajudando também na propensão de ocorrência do fogo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

20-06-2006

Como Citar

TORRES, F. T. P. RELAÇÕES ENTRE FATORES CLIMÁTICOS E OCORRÊNCIAS DE INCÊNDIOS FLORESTAIS NA CIDADE DE JUIZ DE FORA (MG) . Caminhos de Geografia, Uberlândia, MG, v. 7, n. 18, p. 162–171, 2006. DOI: 10.14393/RCG71815426. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/15426. Acesso em: 30 nov. 2022.

Edição

Seção

Artigos