Desenvolvimento profissional docente: diferenciando mudanças quantitativas e mudanças qualitativas

Conteúdo do artigo principal

Erika Germanos
https://orcid.org/0000-0002-7351-0170

Resumo

O desenvolvimento profissional é um conceito que desperta acentuado interesse em pesquisas sobre o ensino e a formação de professores. No entanto, o crescimento contínuo (aprendizagem), distingue-se de mudanças qualitativas (desenvolvimento) que remetem a reformulação na estrutura da consciência. Com base em um estudo sobre as mudanças ocorridas na prática pedagógica de um professor do ensino médio de uma escola pública brasileira, que participou de um grupo de estudos/pesquisa, foi desenvolvida uma abordagem baseada em ideias do psicólogo russo Vygotsky que não só teoriza uma distinção entre aprendizagem e desenvolvimento, mas também a articulação entre os dois processos, pelos quais mudanças contínuas se transformam em mudanças descontínuas. O objetivo deste artigo é diferenciar mudanças quantitativas de mudanças qualitativas no contexto do desenvolvimento profissional docente, por meio de uma abordagem dialética. Como resultados foram observadas mudanças qualitativas significativas na prática pedagógica do professor, sua tomada de consciência sobre o ensino em si e sobre o seu próprio modo de ensinar, e como a emergência das contradições internas e externas podem impulsionar o desenvolvimento profissional docente em programas de formação continuada.


 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Germanos, E. (2019). Desenvolvimento profissional docente: : diferenciando mudanças quantitativas e mudanças qualitativas. Obutchénie. Revista De Didática E Psicologia Pedagógica, 2(3), 698–722. https://doi.org/10.14393/OBv2n3.a2018-47441
Seção
DOSSIÊ FORMAÇÃO DE PROFESSORES

Referências

BRAZIL. Ministério de Educação e Cultura. LDB - Lei n.º 9394/96, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da Educação Nacional. Brasília: MEC, 1996.

BRASIL, Minitério da Educação do Brasil. Secretaria de Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. (Segurança Versão Revista), Abril de 2016, Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/documentos/bncc-2versao.revista.pdf, Acesso em 23 de Fevereiro de 2017.

BRZEZINSKI, I. Sujeitos sociais coletivos e a política de formação inicial e continuada emergencial de professores: contradições vx. conciliações. Educação & Sociedade, Campinas, v. 35, n. 129, p. 1241 - 1259, out./dez. 2014.

DO CARMO ZANOTTO, M. A. ; DE ROSE, T. M. S. Problematizing one's own reality: analysis of an experience of continuing education. Educação e Pesquisa, v. 29, n. 1, p. 45-54, 2003

FORTE, A. M.; FLORES, M. A. Enhancing teacher professional development and collaboration at school. Cadernos de Pesquisa o Paulo, v. 42, n. 147, p. 900- 919, dez. 2012.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987. _. Educação e mudança, v. 18, 2014.

GATTI, B. A.; BARRETTO, E. S. de S.; ANDRÉ, M. E. D. de A. Políticas Docentes no Brasil: um estado da arte. Brasília, DF. Brasil: Unesco, 2011.

GATTI, B. A. Formação de professores no Brasil: características e problemas. Revista Educação e Sociedade. Campinas. São Paulo, v. 31, n. 113, p. 1355-1379, out/dez. 2010, p. 1355-1379

GERMANOS, E. Contradições como força de mudança: o processo de formação continuada de professores do ensino médio enquanto potencializador da práxis transformadora à luz da teoria histórico-cultural. 2016. 330 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2016.

GUSKEY, T. R. Professional development and teacher change. Teachers and Teaching: theory and practice, 8(3), 381–391, United Kingdom: Routledge, 2002.

HARGREAVES, A. Four ages of professionalism and professional learning. Teachers and teaching: theory and practice, 6(2), 151–182, United Kingdom: Routledge, 2000.

HOLZKAMP, K. Grundlegung der Psychologie. Frankfurt/m.: Campus, 1983.

JÓHANNSDÓTTIR, Þ.; ROTH, W.M. Experiencing (pereživanie) as development category: Learning from a fisherman who is becoming (as) a teacher-in-a-village-school. Outlines: Critical Practice Studies, 15, p. 54-78. Denmark, 2014.

KENSKI, V. M. A urgência de propostas inovadoras para a formação de professores para todos os níveis de ensino. Revista Diálogo Educacional, v. 15, n. 45, p. 423-441, 2015.

KEUNZER, A. Z. A formação de professores para o Ensino Médio: velhos problemas, novos desafios. Educação & Sociedade, Campinas, v. 32, n. 116, p. 667-88, jul./set. 2011. doi: 10.1590/S0101-73302011000300004

LEONTIEV, A. O desenvolvimento do psiquismo. Lisboa: Horizonte, 1978.

LEONTIEV, A. N. Study of the environment in the pedological works of L.S. Vygotsky: a critical study. Journal of Russian and East European Psychology , v. 43, n. 4, p. 8-28, 2005

LEWIS, E. B.; BAKER, D. R.; HELDING, B. A. Science teaching reform through professional development: teachers use of a scientific classroom discourse community model. Science Education 99 (5), 896-931 USA: Wiley Periodicals, 2015.

LONGAREZI, A. M. Didática desenvolvimental no contexto da escola pública brasileira: modos e condições para um ensino que promova o desenvolvimento. Projeto de pesquisa. 2012.

LONGAREZI, A. M. Memórias do Grupo de Estudos e Pesquisas em Didática Desenvolvimental e Profissionalização Docente (GEPEDI), 2015.

LURIA, A. R. O cérebro humano e a atividade consciente. LS Vigotski, AR Luria, & AN Leontiev, Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem, p. 191-228, 1988.

MITCHELL, R. What is professional development, how does it occur in individuals, and how may it be used by educational leaders and managers for the purpose of school improvement?. Professional development in education, 39(3), p. 387-40. United Kingdom: Routledge 2013.

OSTERKAMP, U.; SCHRAUBE, E. Introduction: Klaus Holzkamp and the development of psychology from the standpoint of the subject. In: SCHRAUBE, E.; OSTERKAMP, U. Psychology from the Standpoint of the Subject. Selected writings of Klaus Holzkamp. London: Palgrave Macmillan, 2013. p. 1-15.

PIMENTA, S. G.; ALMEIDA, M. I. (Orgs.). Estágios Supervisionados na Formação Docente. o Paulo: Cortez Editora, 2014.

PRESTES, Z. R. Quando não é a mesma coisa: análise de traduções de Lev Semionovitch Vigotski no Brasil: repercussões no campo educacional. 2010.

ROTH, W. M. From environmental determination to cultural-historical mediation: Toward biological plausible social theories. Cybernetics & Human Knowing, 10 (2), p. 8-28. United Kingdom: Imprint Academic, 2003.

ROTH, W. M. Klaus Holzkamp in the Americas: A personal account. Journal fuer Psychologie, 16 (2). Germany: Vandenhoeck und Ruprecht, 2008.

ROTH, W. M. Cultural-historical activity theory: Toward a social psychology from first principles. History and Philosophy of Psychology Bulletin, 21 (1), 8-22. Canada, 2009.

ROTH, W. M.; JORNET, A. Towards a theory of experience. Science Education, 98, p. 106–126, USA: Wiley Periodicals, 2014.

ROTH, W. M. Concrete human psychology. New York: Routledge, 2016.

ROTH, Wolff-Michael. Neoformation: A dialectical approach to developmental change. Mind, Culture, and Activity, v. 24, n. 4, p. 368-380, 2017.

SAITO, C. H. " Cocô na praia, não!"-Educação ambiental, ensino de ciências e lutas populares. AMBIENTE & EDUCAÇÃO-Revista de Educação Ambiental, v. 4, n. 1, p. 45-57, 1999.

SCARINCI, A. L.; PACCA, J. L. A. O planejamento do ensino em um programa de desenvolvimento profissional docente. Educação em Revista, Belo Horizonte, v.31, n. 2, p. 253-279, abr./jun. 2015.

SCHÖN, D. A. The reflective practitioner: How professionals think in action (Vol. 5126). New York: Basic Books, 1983.

TOASSA, Gisele. Conceito de consciência em Vigotski. Psicologia USP, v. 17, n. 2, p. 59-83, 2006.

URZETTA, F. C.; CUNHA, A. M. O. Analysis of a collaborative continuing teacher education proposal in science for the professional development of teachers. Revista Cie ncia & Educação, v. 19, n. 4, p. 841-858. UNESP: Bauru, 2013.

VERESOV, N. Leading activity in developmental psychology: concept and principle. Journal of Russian & East European Psychology, Armonk, v. 44, n. 5, p. 7-25, July/Aug. 2006.

VYGOTSKIJ, L. S.. Myšlenie e reč’ [Thinking and speaking]. In Psyxhologija razvitija čeloveka. Moscow, Russia: Eksmo, 1934.

VYGOTSKY, L. S. Concrete human psychology. Soviet psychology, v. 27, n. 2, p. 53-77, 1989

VYGOTSKY, L. S. The problem of the environment. In VEER, R.; VALSINER, J. (Eds.), The Vygotsky reader, p. 338-354. Oxford: Basil Blackwell, 1994.

VYGOTSKY, L. S. The collected works vol. 4: The History of the Development of the Higher Mental Functions. New York, NY: Springer, 1997.

VYGOTSKY, L. S. (1998). The collected works of L. S. Vygotsky vol. 5: Child psychology (R. W. Rieber, Ed.). New York, NY: Kluwer Academic/Plenum.

VYGOTSKIJ, L. S.. Psixhologija razvitija celoveka [Psychology of human development]. Moscow, Russia: Eksmo, 2005.

WAAL, F. B. M. de. Cultural primatology comes of age. Nature, v. 399, p. 635- 636, June 1999.

WITTERHOLT, M., GOEDHART, M., SUHRE, C., & VAN STREUN, A. (2012).

The Interconnected Model of Professional Growth as a means to assess the development of a mathematics teacher. Teaching and Teacher Education, 28(5), 661-674.