LUTEÓLISE ANTECIPADA EM PROTOCOLO DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO COM PROGESTERONA EM VACAS NO PÓS-PARTO

Autores

  • Carolina Heller Pereira
  • Carlos Santos Gottschall
  • Rodrigo Costa Mattos
  • Giovana Tagliare Evangelista
  • Brunna Velho Costa e Silva
  • Maria Inês Mascarenhas Jobim
  • Ricardo Macedo Gregory

Palavras-chave:

Amamentado, Luteólise, Montana, Progesterona plasmática, Vacas de corte

Resumo

Foi avaliado o efeito da aplicação de um luteolítico em dois momentos distintos sobre a taxa de concepção na inseminação artificial em tempo fixo (IATF) de vacas com cria ao pé, além de verificar a eficácia de implantes com 1 grama de P4 de primeiro e segundo uso. Foram utilizadas 210 vacas de corte lactantes da raça Montana divididas em dois lotes de 105 vacas, comparando oito grupos distribuídos nos lotes. O lote D6,5 foi tratado no dia zero com 2mg de benzoato de estradiol i.m. (BE, Estrogin®) juntamente com implante intravaginal de progesterona de 1º uso (G1- Sincrogest®, n=29; G2- Primer®, n=26) e de 2º uso (G3- Sincrogest®, n=26; G4- Primer®, n=24), no dia 6,5 foi aplicado 150mcg i.m. de Cloprostenol Sódico (Sincrocio®), sendo a retirada do implante de P4 no dia 8. Dia 9, ocorreu a aplicação de 1mg de BE i.m. e no dia 10 a tarde a IATF. O lote D8 iniciou o protocolo de IATF e foi tratado da mesma forma, à exceção da aplicação do luteolítico que ocorreu no oitavo dia. Os grupos foram formados: implante de 1º uso (G5- Sincrogest®, n=27; G6- Primer®, n=28) e de 2º uso (G7-Sincrogest®, n=26; G8- Primer®, n=24). As taxas de prenhez dos grupos do lote D6,5 foram de 55,17%(G1), 69,23%(G2), 57,67%(G3), 70,83% (G4) (p=0,263). No lote D8 os grupos G5, G6, G7, G8 deste lote apresentaram 44,44%, 67,86%, 46,15%, e 58,33% de prenhez (p=0,573). As taxas de prenhez para os lotes D6,5 e D8 foram, de 62,86% e 54,29%. Não houve diferença nas taxas de concepção a IATF entre os lotes (p= 0,262). Os implantes de primeiro e segundo uso Sincrogest® e Primer® foram efetivos para obter-se uma taxa de concepção em torno de 50% em vacas de corte lactantes. A antecipação da aplicação do Cloprostenol Sódico (D6,5) não foi efetiva para aumentar as taxas de concepção a IATF e prenhez ao final da estação de monta. A idade, condição corporal e os dias pós-parto não influenciaram na taxa de concepção a IATF e taxa de prenhez ao final da estação de monta.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carolina Heller Pereira

Demais Autores: *Carlos Santos Gottschall; Rodrigo Costa Mattos; Giovana Tagliare Evangelista; Brunna Velho Costa e Silva Maria; Maria Inês Mascarenhas Jobim; Ricardo Macedo Gregory Laboratório de Reprodução Animal- REPROLAB- Universidade Federal do Rio Grande do Sul- Porto Alegre, RS, Brasil *Curso de Medicina Veterinária- ULBRA- Canoas, RS, Brasil

Downloads

Publicado

2013-01-11

Como Citar

Heller Pereira, C., Gottschall, C. S., Mattos, R. C., Evangelista, G. T., Costa e Silva, B. V., Jobim, M. I. M., & Gregory, R. M. (2013). LUTEÓLISE ANTECIPADA EM PROTOCOLO DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO COM PROGESTERONA EM VACAS NO PÓS-PARTO. Veterinária Notícias, 17(1). Recuperado de https://seer.ufu.br/index.php/vetnot/article/view/18954