Lineament Patterns and Structural, Tectonic, and Neotectonic Control in the Relief of the Pancas Region (Espírito Santo, Southeast Brazil)
PDF-pt (Português (Brasil))
PDF-en

Keywords

Geological structures
Morphostructure
Morphotectonics

How to Cite

LUNA DA SILVA, M. C.; BRICALLI, L. L. Lineament Patterns and Structural, Tectonic, and Neotectonic Control in the Relief of the Pancas Region (Espírito Santo, Southeast Brazil). Sociedade & Natureza, [S. l.], v. 35, n. 1, 2023. DOI: 10.14393/SN-v35-2023-67047. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/sociedadenatureza/article/view/67047. Acesso em: 16 apr. 2024.

Abstract

The main objective of this research is to investigate the lithostructural, tectonic, and neotectonic control on the relief of the Pancas region (Espírito Santo, Southeastern Brazil). The methodology was organized into computer and field analyses. In a computer, lineament and structural trend maps were generated from the manual extraction technique using editing tools of ArcGIS 10.3.1™ software (ESRI, 2012) over a Digital Elevation Model (DEM) with different artificial illumination (scale 1:110.000) and orientation rosettes were generated. The geological and geomorphological maps were organized/elaborated with ArcGIS from the Geographic Information System (GIS). The cartographic bases were configured in the UTM projection system, and DATUM SIRGAS 2000, zone 24S, and later analyzed and compared with the data of the orientations of the dedicated lineaments, with the orientation of the studied outcrop failures and with the existing literature. The results presented NW-SE/NNW-SSE and NE-SW/NNE-SSW orientations, with the predominance of NNW-SSE and NW-SE orientations identified in the analysis of the lineaments and structural trends, similar to the orientations of the geological faults and neotectonic faults present in the studied area, reflecting the regional structuring of the area, presenting the same orientations as the Colatina Belt. The secondary orientations of the Araçuaí Orogen (NE-SW), the identification of morphotectonic features, the presence of abrupt topographic differences (topographic profiles), and the identification of tectonic regions (base surface map) and tectonic blocks (scanning profile) demonstrate the tectonic control in the relief of the Pancas-ES region, achieving the objective of this research.

https://doi.org/10.14393/SN-v35-2023-67047
PDF-pt (Português (Brasil))
PDF-en

References

ALLMENDINGER, R. W.; CARDOZO, N. C.; FISHER, D. M. Structural Geology Algorithms: Vectors & Tensors: Cambridge, England, Cambridge University Press, 2013. 289 p.

BARROS, L. D. de. Pancas-ES. 2022. 1 fotografia.

BRICALLI, L. L. Padrões de lineamento e faturamento neotectônico no Estado do Espírito Santo (Sudeste do Brasil). Tese (Doutorado em Geologia) – Instituto de Geociências, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2011.

BRICALLI, L. L.; MELLO, C. L. Padrões de lineamentos relacionados à litoestrutura e ao faturamento neotectônico (Estado do Espírito Santo, SE do Brasil). Revista Brasileira de Geomorfologia. v. 14, n. 3, 2013. https://doi.org/10.20502/rbg.v14i3.405

CAUS, T. W. Danos em residência. Pancas-ES. 2022. 1 fotografia.

Centro de Sismologia USP. Disponível em: https://www.moho.iag.usp.br/. Acesso em: 1 mar. 2021.

CPRM Serviço Geológico do Brasil. Mapa geológico do Estado do Espírito Santo. Escala 1:400.000. 2018.

ESRI Inc. ArcMap (versão 10.3.1). Redlands, Estados Unidos, 2012.

FERRARI, A. L. Evolução Tectônica do Graben da Guanabara. 2001. 412p. Tese (Doutorado em Geologia) - Instituto de Geociências, Universidade São Paulo, São Paulo, 2001.

Folha SE.24, Rio Doce, Escala 1: 1.000.000. Geologia, geomorfologia, pedologia, vegetação, uso potencial da terra. Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Rio de Janeiro. IBGE, 1987.

GATTO, L. C. S.; RAMOS, V. L. S.; NUNES, B. T. A.; MAMEDE, L.; GÓES, M. H.; MAURO, C. A.; ALVARENGA, S. M.; FRANCO, E. M. S.; QUIRICO, A. F.; NEVES, L. B. Geomorfologia. Projeto Radam Brasil. Folhas 23/24 Rio de Janeiro/Vitória. V 32. Rio de Janeiro, 1983.

GEOBASES – Sistema Integrado de Bases Geoespaciais do Estado do Espírito Santo (2021). Disponível em: https://geobases.es.gov.br. Acesso em: 1 mar. 2021.

GOOGLE. Google Earth (2022). Disponível em: https://earth.google.com/web. Acesso em: 1 dez. 2022.

HEILBRON et al. Província Mantiqueira - In: MANTESSO-NETO et al. Geologia do Continente Sul-Americano. São Paulo: Beca, p. 204-234, 2004.

IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Carta São Gabriel da Palha (Folha SE.24-Y-C-III). Rio de Janeiro: 1979. Escala 1:100.000.

IBGE – INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Portal de downloads. 2018. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/geociencias/downloads-geociencias.html. Acesso em: 1 de mar. 2021.

LIU, C. C. Análise Estrutural de lineamentos em imagens de sensoriamento remoto: aplicação ao Estado do Rio de Janeiro. Programa de Pós-graduação em Geociências. Universidade de São Paulo, Tese de Doutorado, 157p, 1984.

MACHADO FILHO, L. M.; RIBEIRO, M. W.; GONZALEZ, S. R.; SCHENINI, C. A.; NETO, A. S.; PALMEIRA, R.C.B; PIRES, J.L; TEIXEIRA, W; CASTRO, H. E. F. Geologia. Projeto Radam Brasil. Folhas 23/24 Rio de Janeiro/Vitória. v. 32. Rio de Janeiro, 1983.

MEIS, M. R. M. Desenvolvimento de altitude como parâmetro para a

compartimentação do relevo: bacia do médio-baixo Paraíba do Sul. IN: Anais do XXXII Congresso Brasileiro de Geologia. Salvador, 1982.

MELLO, C. L.; METELO, C. M. S.; SUGUIO, K.; KOHLER, H. C. Quaternary sedimentation, neotectonics and the evolution of the doce river middle valley lake system (Southern Brazil). Revista do Instituto Geológico, v. 20, n.1/2, p. 29-36, 1999. https://doi.org/10.5935/0100-929X.19990003

MENDES, I. A.; DANTAS, M.; BEZERRA, L. M. M. Folha SE.24, Rio Doce, Escala 1: 1.000.000. Geologia, geomorfologia, pedologia, vegetação, uso potencial da terra. Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Rio de Janeiro. IBGE, 1987.

MIRANDA, D. J. Análise de estruturas rúpteis associadas a deformações neotectônicas na região centro-norte do estado do Espírito Santo. 58 p. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Geologia) – Instituto de Geociências, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2007.

MIRANDA, D. J. Tensões e fraturamento neotectônico na área emersa da bacia do Espírito Santo. 2009. 125p. Dissertação (Mestrado em Geologia) - Instituto de Geociências, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2009.

NOVAIS, L. C. C. et al. Novas ocorrências de diques de diabásio na faixa Colatina - ES: estruturas rúpteis associadas e implicações tectônicas para as bacias de Campos e do Espírito Santo. - In: B. GEOCI. PETROBRÁS, 12, 2004, Rio de Janeiro.

NOVAIS, L.C.C. Lineamentos transversais nas porções centro e norte da bacia do Espírito Santo e na faixa Proterozoica adjacente: influência na sedimentação e na compartimentação estrutural. Dissertação (Mestrado em análise de bacias e faixas móveis) – Faculdade de Geologia, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2005.

OLIVEIRA, L. C.; GAMA DE OLIVEIRA, R. M. A.; PEREIRA, E. Possível Controle Neotectônico sobre as Falésias do Litoral Sul da Bahia. Anuário do Instituto de Geociências – UFRJ. ISSN 0101-9759 e-ISSN 1982-3908 - v. 41, n. 3, p. 702-716, 2018. https://doi.org/10.11137/2018_3_702_716

ORIANA (version 3.2.1). 2022. Disponível em: <http://www.kovcomp.co.uk/oriana/index.html>. Acesso em: 10 jun. 2022.

PEDROSA-SOARES, A.C. & WIEDEMANN-LEONARDOS, C. M. Evolution of the Araçuaí Belt and its connection to the Ribeira Belt, Eastern Brazil. IN: CORDANI, U. G.; MILANI, E. J.; THOMAZ FILHO, A.; CAMPOS, D. A. (ed.) Tectonic Evolution of South America. 2000. p. 265-285.

QUEIROZ, G. L.; SALAMUNI, E.; NASCIMENTO, E. R. AzimuthFinder: ferramenta para a extração de dados e apoio na análise estrutural. Revista do Instituto de Geociências – USP. Série científica. São Paulo, v. 14, n. 1, p. 6-80, 2014. https://doi.org/10.5327/Z1519-874X201400010005

RIBEIRO, C. S. Influência da tectônica pós-deposicional na distribuição da Formação Barreiras entre o rio Paraíba do Sul (RJ) e o rio Doce (ES). 2010. 164 p. Dissertação (Mestrado em Geologia) - Instituto de Geociências, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2010.

RICCOMINI, C.; SANT’ANNA, L. G.; FERRARI, A. L. Evolução geológica do Rift Continental do Sudeste do Brasil. In: MANTESSO-NETO, V.; BARTORELLI, A.; CARNEIRO, C. D. R.; BRITO NEVES, B. B. (orgs.). Geologia do Continente Sul Americano: evolução da obra de Fernando Flávio Marques de Almeida. São Paulo, Beca, p.383-405, 2004.

SALVADOR, E. D.; PIMENTEL, J. Avaliação da neotectônica no município de Angra dos Reis, setor sul-fluminense da Serra do Mar, com base em mapas morfométricos gerados em Sistemas de Informações Geográficas (SIG). In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SENSORIAMENTO REMOTO. Natal, 2009. Disponível em: http://marte.sid.inpe.br/col/dpi.inpe.br/sbsr%4080/2008/11.14.09.37/doc/3347-3354.pdf. Acesso em: 15 nov. 2021.

SILVA, J. M. R.; LIMA, M. I. C.; VERONESE, V. F.; JUNIOR, R. N. R.; ROCHA, R. M.; JUNIOR, O. S. Folha SE.24, Rio Doce, Escala 1: 1.000.000. Geologia, geomorfologia, pedologia, vegetação, uso potencial da terra. Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Rio de Janeiro. IBGE, 1987.

SILVA, T. P. Neotectônica na região da Zona de Cisalhamento do rio Paraíba do Sul e áreas adjacentes. 125p. Dissertação (Mestrado em Geologia) – Instituto de Geociências, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2006. https://doi.org/10.11137/2006_2_287-288

STRAHLER, A. N. Hypsometric (area-altitude) – analysis of erosion al topography. Geological Society of America Bulletin, v.63, n.10, p.1117-1142, 1952. https://doi.org/10.1130/0016-7606(1952)63[1117:HAAOET]2.0.CO;2

SUMMERFIELD, M.A. Neotectonics and landform genesis. Prog. in Phys. Geog., v. 11, n. 3, p. 385-397, 1987. https://doi.org/10.1177/030913338701100305

TOPODATA – Banco de Dados Geomorfométricos do Brasil. Disponível em: http://www.dsr.inpe.br/topodata/. Acesso em: 10 set. 2020.

TUPINAMBÁ, M.; HEILBRON, M.; DUARTE, B. P.; NOGUEIRA, J. R.; VALLADARES, C.; ALMEIDA, J. C. H.; SILVA, L. G. E.; MEDEIROS, S. R.; GUIA, C.; MIRANDA, A. W. A.; RAGATKI, C. D.; MENDES, J.; LUDKA, I. Geologia da faixa ribeira setentrional: estado da arte e conexões com a Faixa Araçuaí. GEONOMOS, v. 15, p. 67-79, 2013. https://doi.org/10.18285/geonomos.v15i1.108

VALERIANO, M. M. Mapeamento do comprimento de rampa em microbacias com sistemas de informação geográfica. Acta Scientiarum (UEM), Maringá, PR, v. 24, n. 5, p. 1541-1551, 2002. https://doi.org/10.4025/actasciagron.v24i0.2423

WIEDEMANN-LEONARDOS C. M.; LUDKA I. P.; MEDEIROS S.R.; MENDES J.C.; COSTA-DE-MOURA J. Arquitetura de plutons zonados da Faixa Araçuaí-Ribeira. Geonomos, v. 15, n. 1, p. 25-28, 2000. https://doi.org/10.18285/geonomos.v8i1.145

Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2022 Marcos Cesar Luna da Silva, Luiza Leonardi Bricalli

Downloads

Download data is not yet available.

Metrics

Metrics Loading ...