Perception of family farmers on the socio-environmental impacts caused by Açu Port in São João da Barra, Rio de Janeiro, Brazil
PDF-pt (Português (Brasil))
PDF-en

Keywords

Family Farming
Socioenvironmental Aspects
Coastal Conflicts
Port Impacts

How to Cite

PONTES DA SILVA JÚNIOR, J. L.; PEDLOWSKI, M. A. Perception of family farmers on the socio-environmental impacts caused by Açu Port in São João da Barra, Rio de Janeiro, Brazil. Sociedade & Natureza, [S. l.], v. 34, n. 1, 2022. DOI: 10.14393/SN-v34-2022-63123. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/sociedadenatureza/article/view/63123. Acesso em: 10 dec. 2022.

Abstract

Ground was first broken in 2007 for the Açu Port, one of the largest port projects in the state of Rio de Janeiro, in the Fifth District of São João da Barra. Construction of its megastructures involved the clearing of extensive areas of restinga and the execution of a broad process of family-owned farmland expropriation by the Rio de Janeiro government. The objective of this study is to evaluate local family farmers’ perceptions of change as a means to understand their interrelationship with the environment before and after the installation of the Açu Port. Data was collected using a semi-structured questionnaire that was designed to identify the positive and negative interventions related to the Açu Port in the Fifth District and local family farming systems. Two locations were selected for the sampling: Água Preta and Mato Escuro. Questionnaires were applied between May and August 2019 and a total of 105 farmers (65 in Água Preta and 40 in Mato Escuro) were enrolled in the study. The results show that local farmers believed the installation of the Açu Port directly interfered in their social, economic and environmental well-being. The main environmental and economic impacts listed by the farmers were: salinization of water used for irrigation of their plantations and the process of expropriation of their lands. The results obtained demonstrate that in addition to affecting the dynamics of São João da Barra coastal ecosystems, including the restinga and lagoons, the economic development model adopted by the Açu Port has affected the quality of life of these farmers, interfered with their agricultural areas and directly affected their social reproduction.

https://doi.org/10.14393/SN-v34-2022-63123
PDF-pt (Português (Brasil))
PDF-en

References

ABRAMOVAY, R. Agricultura familiar e serviço público: novos desafios a extensão rural. Brasília. Cadernos de Ciência & Tecnologia, v. 15, n. 1, p. 132-152, 1998. http://dx.doi.org/10.35977/0104-1096.cct1998.v15.8932.

ALVARENGA, F. M. Os deserdados do desenvolvimento: o caso da implantação do Complexo Portuário e Industrial do Açu e seus impactos socio-territoriais. Dissertação (Mestrado em Políticas Sociais). Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro, Campos dos Goytacazes, 120 f., 2013.

BENEVIDES-GUIMARÃES, R. M. A.; PEDLOWSKI, M. A.; TERRA, D. C. T. Dependência e expropriação estatal de terras no contexto neodesenvolvimentista/neoextrativista: implicações para a reprodução das comunidades afetadas pelo mineroduto Minas-Rio e o Complexo Portuário do Açu. Revista Desenvolvimento e Meio Ambiente, v. 51, 2019. http://dx.doi.org/10.5380/dma.v51i0.60670.

BERNARD, H. R. Social Research Methods. Thousand Oaks: Sage Publications, 2000.

BRUMER, A.; SANTOS, J. V. T. Estudos agrários no Brasil: modernização, violência e lutas sociais (desenvolvimento e limites da Sociologia Rural no final do século XX). Revista Nera, v. 9, n. 9, p. 49-72, 2006. https://doi.org/10.47946/rnera.v0i9.1432.

BURLA, R. S.; OLIVEIRA, V. P. S.; MANHÃES, C. M. C.; FRANCELINO, F. M. A.; SANTOS, J. C. O. R.; COLUCCI, M. C.; FONTES, S. C. Caracterização dos aspectos socioeconômicos e do processo produtivo agrícola dos produtores rurais da microbacia do Rio Doce, São João da Barra, RJ. VÉRTICES, v. 17, n. 1, p. 149-162, 2015. https://doi.org/10.5935/1809-2667.20150010.

DELGADO, G. C.; BERGAMASCO, S. M. P. P. (Orgs.). Agricultura familiar brasileira: desafios e perspectivas de futuro. Brasília: SEAF, 2017.

DITTY, J.M.; REZENDE, C.E. Unjust and unsustainable: A case study of the Açu port. Marine Policy, n. 45, 82–88, 2014. http://dx.doi.org/10.1016/j.marpol.2013.11.018

ECOLOGUS. Relatório de Impacto Ambiental – RIMA. Infraestruturas do Distrito Industrial de São João da Barra. 124 f., 2011.

GOLDENBERG, M. A arte de pesquisar: como fazer pesquisa qualitativa em Ciências Sociais. São Paulo: Record. 107 f., 1999.

IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo agropecuário. Rio de Janeiro, 2017. Disponível em: https://sidra.ibge.gov.br/pesquisa/censo-agropecuario/censo-agropecuario-2017. Acesso em: 01 ago. 2020.

IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/apps/populacao/projecao/index.html. Acesso em: 01 ago. 2020.

JICK, T. D. Mixing qualitative and quantitative methods: triangulation in action. Administrative Science Quarterly, v. 24, n. 4, p. 602-611, 1979. https://doi.org/10.2307/2392366

LAMARCHE, H. A agricultura familiar: comparação internacional. Campinas: Ed. da UNICAMP, 1993, p. 13-3, v. 1: Uma realidade multiforme.

LATINI, J. R. A Avaliação de Impacto Ambiental (AIA) enquanto instrumento participativo e preventivo no contexto do neodesenvolvimentismo: o caso do Complexo Logístico Industrial do Porto do Açu (CIPLA). Dissertação (Mestrado em Ecologia e Recursos Naturais). Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro, Campos dos Goytacazes, 160 f., 2016.

LIMA, A. F.; SILVA, E. G. A.; IWATA, B. F. Agriculturas e agricultura familiar no Brasil: uma revisão de literatura. Retratos De Assentamentos, v. 22, n. 1, p. 50-68, 2019. https://doi.org/10.25059/2527-2594/retratosdeassentamentos/2019.v22i1.332.

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO. MAPA. Agricultura familiar. Disponível em: https://www.gov.br/agricultura/pt-br/assuntos/agricultura-familiar/agricultura-familiar-1. Acesso em: 29 nov. 2019.

MASON, M. Sample size and Saturation in PhD studies using qualitative interviews. Forum: Qualitative Social Research - Sozialforschung, v. 11, n. 3, 2010. https://doi.org/10.17169/fqs-11.3.1428

MILANEZ, B.; SANTOS, R. Neodesenvolvimentismo e neoextrativismo: duas faces da mesma moeda? Encontro Anual da ANPOCS, 37, p. 1-30, 2013.

MONIÉ, F. Análise geopolítica dos conflitos territoriais na área de influência do Complexo Portuário e Industrial do Açu – São João da Barra, RJ. Cadernos do Desenvolvimento Fluminense, n. 9, Rio de Janeiro, pp. 69–83, 2016. https://doi.org/10.12957/cdf.2015.28865

OLIVEIRA, M. R.; VILACA, A.; CORREIO, L. M. M. Agricultura Familiar: Reflexões Sobre Gênero. Revista de Administração de Roraima - UFRR, v. 9, n. 1, p. 52-76, 2019. http://dx.doi.org/10.18227/2237-8057rarr.v9i1.5321

PAES, R. S.; ZAPPES, C. A. Agricultura familiar no Norte do Estado do Rio de Janeiro: identificação de manejo tradicional. Sociedade & Natureza, v. 28, n. 3, p. 385-395, 2016. https://doi.org/10.1590/1982-451320160305

PALMA, L. E. R. C. M.; SHIMOYA, A.; SHIMODA, E.; SILVA, F. F.; CASTELANO, K. L. Percepção da população de São João da Barra quanto à instalação do Complexo Portuário do Açu: comparação entre os períodos pré (2012) e pós (2015) operacionais. InterSciencePlace–International Scientific Journal, v. 13, n. 1, p. 145-170, 2018. http://dx.doi.org/10.6020/1679-9844/v13n1a7

PAULA, E. M. S. D.; SILVA, E. V.; GORAYEB, A. Percepção ambiental e dinâmica geoecológica: premissas para o planejamento e gestão ambiental. Sociedade & Natureza, v. 26, n. 3, p. 511-518, 2014. http://dx.doi.org/10.1590/1982-451320140309

PEDLOWSKI, M. A. O Completo industrial-Portuário do Açu: modelo de projeto Neodesenvolvimentista ou caso aplicado de acumulação por espoliação? Boletim Petróleo, Royalties e Região, v. 15, n. 55, p. 5-10, 2017.

PIRES, B. O. Transformação Produtiva de espaços rurais e seus impactos sobre as populações locais: uma análise da construção do Complexo Portuário e Industrial do Açu no município de São João da Barra, RJ. Dissertação (Mestrado em Políticas Sociais). Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro, Campos dos Goytacazes, 111 f., 2009.

PLEIN, C.; FILIPPI, E. E. Capitalismo, agricultura familiar e mercados. Revista Desenvolvimento Regional, v. 16, n. 3, p. 98-121, 2011. http://dx.doi.org/10.17058/redes.v16i3.1545

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOÃO DA BARRA. Disponível em: www.sjb.rj.gov.br. Acesso em: 29 nov. 2019.

SPANEVELLO, R. M. A dinâmica sucessória na agricultura familiar. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Rural). Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 236 f., 2008.

TEDESCO, J. C Apresentação. In: TEDESCO, J. C. (Org.). Agricultura Familiar: realidades e perspectivas. 3ª ed. Passo Fundo: Editora da UPF, p. 11-17, 2001.

VOLPATO, G. L. Ciência: da filosofia à publicação. São Paulo: Cultura Acadêmica, 6ª ed. 377f., 2013.

Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2021 José Luiz Pontes da Silva Júnior, Marcos Antonio Pedlowski

Downloads

Download data is not yet available.

Metrics

Metrics Loading ...