Submissões
O cadastro no sistema e posterior acesso, por meio de login e senha, são obrigatórios para a submissão de trabalhos, bem como para acompanhar o processo editorial em curso. Acesso em uma conta existente ou Registrar uma nova conta.

Condições para submissão

Como parte do processo de submissão, os autores são obrigados a verificar a conformidade da submissão em relação a todos os itens listados a seguir. As submissões que não estiverem de acordo com as normas serão devolvidas aos autores.
  • A contribuição é original e inédita, e não está sendo avaliada para publicação por outra revista; caso contrário, deve-se justificar em "Comentários ao editor".
  • O(s) autor(es) é(são) aluno(s) de pós-graduação (mestrando ou doutorando), artistas ou profissional(ais) já titulado(s) (mestre, doutor, livre-docente).
  • O autor inseriu, nos metadados da submissão, o seu nome como em citações bibliográficas e número ORCID.
  • A identificação de autoria do trabalho foi removida do arquivo e da opção Propriedades no Word, garantindo desta forma o critério de sigilo da revista para Avaliação Cega por Pares;
  • O texto ora submetido não apresenta plágio de outros textos nem autoplágio de texto(s) do(s) autor(es);
  • O arquivo da submissão está em formato Microsoft Word, OpenOffice ou RTF.
  • URLs para as referências foram informadas quando possível.
  • O texto está em espaço 1,5 ; usa uma fonte de 12-pontos; emprega itálico em vez de sublinhado (exceto em endereços URL); as figuras e tabelas estão inseridas no texto, não no final do documento na forma de anexos.
  • O texto segue os padrões de estilo e requisitos bibliográficos descritos na aba TEMPLATE , na página inicial da Revista.
  • Artigos que contenham pesquisas com seres humanos devem ser acompanhados do número do processo do Comitê de Ética da instituição aonde a pesquisa foi realizada ou número CAAE (Plataforma Brasil).

Diretrizes para Autores

Não há custos para os autores na submissão e publicação de seus artigos na revista Estado da Arte.  Informamos que todos os textos submetidos à  revista Estado da Arte são escrutinados para a verificação de similaridades.

A Estado da Arte utiliza as normas da ABNT. Elas podem ser encontradas no site da ABNT ou no GUIA PARA NORMALIZAÇÃO DE PUBLICAÇÕES TÉCNICO-CIENTÍFICAS, publicado pela Editora da Universidade Federal de Uberlândia (2013).Os artigos escritos originalmente em língua estrangeira seguem as normas de redação em vigor em seu país de origem. A fim de obter-se a qualidade e uniformidade na preparação das edições da Revista Estado, solicita-se aos autores que seja seguida a formatação do artigo tal como o template . O modo mais fácil de o fazer é aproveitar o arquivo do template e substituir o seu conteúdo.

CRITÉRIOS PARA AVALIAÇÃO DOS ARTIGOS

Os critérios para avaliação dos artigos, pelos pareceristas são: 1.Relevância, originalidade e ineditismo do tema; 2.Tratamento do tema (argumentação e estrutura do texto, importância do trabalho para o estado da arte da pesquisa); 3.Título (adequação ao conteúdo/clareza); 4.Estilo (linguagem, coerência expositiva, clareza); 5.Adequação do texto ao formato ( artigo; resenha; etc); 6.Disposição de tabelas, gráficos, quadros, ilustrações e figuras; 7.Correção gramatical (revisão textual); 8.Correção nas referências e citações bibliográficas.

NORMAS PARA A APRESENTAÇÃO DOS ORIGINAIS

Serão aceitos textos de autores pós-graduandos (mestrandos e doutorandos) e titulados (mestres, doutores e livre-docentes),  artistas, curadores e críticos de arte.

A Revista Estado da Arte aceita para publicação artigos inéditos em sua especialidade: Artes Visuais ( poéticas, história, teoria e crítica em Artes Visuais) incluindo resultados de investigações artísticas no âmbito das Artes Visuais e suas interfaces; privilegiando pesquisas que tenham por foco o contexto contemporâneo da obra de arte e de seus processos e sistemas, seja em relação aos desafios da produção poética no século XXI, ou a inserção e reverberação da obra histórica nos circuitos existentes ou em construção.

A Revista Estado da Arte aceita trabalhos digitalizados em português, espanhol, francês e inglês, respeitados os padrões ortográficos vigentes em cada caso. Os textos deverão estar acompanhados de resumo e palavras-chave (no idioma do texto) e de abstracte keywords em inglês. Todos os artigos devem estar formatados segundo o padrão da folha de estilos da revista disponível no template.

A modalidade Autoria só será aberta em chamada específica.

Se o(s) autor(es) achar(em) necessário, poderá(ão) indicar (apenas no texto final, aprovado) se o trabalho é resumo de dissertação ou tese; se o mesmo está vinculado a outros projetos, se obteve auxílio para a realização do projeto; enfim, quaisquer outros dados relativos à produção de material. No caso de resumos de dissertações ou teses, indicar (no texto final) o título da mesma, instituição onde defendeu o projeto e data de defesa;

Nos casos acima, o autor deve comunicar ao editor em mensagem de notificação, na ocasião da submissão.

Ao enviar o material para publicação, o(s) autor(es) manterá(ão) seus direitos autorais, seguindo as diretivas Creative Commons adotadas pela revista (conforme seção Declaração de Direito Autoral, abaixo); o autor concorda com as diretrizes editoriais da Revista Estado da Arte e, além disso, assume que o texto foi devidamente revisado;

Dois membros da Comissão Científica (ou pareceristas ad hoc, caso o assunto do material não se encaixe nas áreas de especialidade dos membros da comissão) emitirão parecer sobre os trabalhos, aprovando-os ou sugerindo as alterações que julgarem necessárias. Em caso de um parecer ser favorável e outro contrário, o trabalho será enviado a um terceiro membro da Comissão Científica ou a um parecerista ad hoc;

Depois da análise, os trabalhos serão devolvidos aos autores, juntamente com cópia dos pareceres. Os trabalhos que requererem alterações serão encaminhados aos autores para procederem às modificações sugeridas e, num prazo de trinta dias, os textos corrigidos devem ser enviados de volta à revista;

Haverá uma segunda (ou terceira) rodada(s) de avaliação para todos os trabalhos para os quais os pareceristas requisitarem revisão;

Para evitar endogenia, a revista não aceitará uma porcentagem maior que 20% dos trabalhos de cada edição de autores que sejam provenientes da Universidade Federal de Uberlândia. Caso esse patamar seja atingido, os trabalhos considerados serão os primeiros recebidos e aprovados.

SEÇÕES:

Artigos

A seção Artigos reúne artigos inéditos. Os artigos apresentam uma questão e/ou perspectiva original de pesquisa na área estudada; explicitam os objetivos da investigação bem como as fontes e pressupostos teóricos; abordam os resultados e conclusões advindos do processo investigativo.

Dossiê

A seção Dossiê publica um conjunto temático de artigos. Os temas dos Dossiês podem ser propostos pelo comitê de editores ou por pesquisadores convidados especialistas em temas de interesse para a revista. Os artigos reunidos nos Dossiês podem resultar de convites a autores e/ou de chamadas para submissões.

Resenhas

A seção “Resenhas” é dedicada a análise e comentários de livros, espetáculos, exposições, filmes  e/ou outros trabalhos relevantes para o campo das artes visuais. As obras resenhadas neste periódico foram publicadas (ou exibidas) no Brasil ou exterior, no máximo a dois e quatro anos, respectivamente,  da data desta publicação. São apresentadas também resenhas de títulos esgotados e com reedição recente.

Ensaios

Na seção “Ensaios”, autores de reconhecida relevância, são convidados pelos editores a apresentarem reflexões que fundamentam uma visão pessoal para um assunto em destaque.

Entrevistas

A seção “Entrevistas” abrange entrevistas com artistas (ou grupo de artistas), profissionais ou acadêmicos atuantes na área de artes visuais que versem sobre tema atual na sua área de atuação. As entrevistas objetivam obter relatos e expor as ideias do(s) entrevistado(s), como também explorar e problematizar, junto com ele(s), a complexidade do debate sobre a questão abordada.

Autorias

A seção “Autorias” apresenta publicações de artistas, caracterizadas como, ensaios visuais; criações verbo-visuais; poéticas; ficções artísticas; portfólios etc. com vistas a dar oportunidade ao(s) autor(s) de apresentar sua própria obra. Esta modalidade só será aberta em chamadas específicas.

Curadorias

A seção Curadorias é destinada a trabalhos de curadoria em artes visuais, já realizados pelos próprios autores ou propostas originais para publicação no periódico.  São publicadas nesta seção as reflexões conceituais de curadores, assim como um conjunto de imagens ou reproduções visuais de obras de artistas envolvidos nas propostas curatoriais.

Traduções

A seção traduções publica artigos relevantes para a área de artes visuais inéditos em português. Apresenta também traduções para português de artigos publicados neste periódico, escritos originalmente em língua estrangeira.

DIREITOS AUTORAIS

Direitos autorais para trabalhos publicados nesta revista são do autor, com direitos de primeira publicação para a revista. Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os trabalhos são de uso gratuito, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não comerciais.

 

Artigos

A seção Artigos reúne artigos inéditos. Os artigos apresentam uma questão e/ou perspectiva original de pesquisa na área estudada; explicitam os objetivos da investigação bem como as fontes e pressupostos teóricos; abordam os resultados e conclusões advindos do processo investigativo

Autorias

A seção “Autorias” apresenta publicações de artistas, caracterizadas como, ensaios visuais; criações verbo-visuais; poéticas; ficções artísticas; portfólios etc. com vistas a dar oportunidade ao(s) autor(s) de apresentar sua própria obra.

Ensaios

Na seção “Ensaios” autores de reconhecida relevância, são convidados pelos editores a apresentarem reflexões que fundamentam uma visão pessoal para um assunto em destaque.

Curadorias

A seção Curadorias é destinada a trabalhos de curadoria em artes visuais, já realizados pelos próprios autores ou propostas originais para publicação no periódico.  São publicadas nesta seção as reflexões conceituais de curadores, assim como um conjunto de imagens ou reproduções visuais de obras de artistas envolvidos nas propostas curatoriais.

Entrevistas

A seção “Entrevistas” abrange entrevistas com artistas (ou grupo de artistas), profissionais ou acadêmicos atuantes na área de artes visuais que versem sobre tema atual na sua área de atuação. As entrevistas objetivam obter relatos e expor as ideias do(s) entrevistado(s), como também explorar e problematizar, junto com ele(s), a complexidade do debate sobre a questão abordada.

Resenhas

A seção “Resenhas” é dedicada a análise e comentários de livros, espetáculos, exposições, filmes  e/ou outros trabalhos relevantes para o campo das artes visuais. As obras resenhadas neste periódico foram publicadas (ou exibidas) no Brasil ou exterior, no máximo a dois e quatro anos, respectivamente,  da data desta publicação. São apresentadas também resenhas de títulos esgotados e com reedição recente.

Traduções

A seção "Traduções" publica artigos relevantes para a área de artes visuais inéditos em português. Apresenta também traduções para português de artigos publicados neste periódico, escritos originalmente em língua estrangeira.

Apresentação

A apresentação expõe, desenvolve e articula o tema da edição aos artigos selecionados.

Editorial

O Editorial apresenta a política editorial da revista

Expediente

Informa os dados da Edição

Errata

Documento feito para acompanhar uma obra posteriormente à sua publicação, em que estão elencados os erros desta, bem como a sua correção.

ARTE OCUPA: práticas criativas e ocupações no desenho da cidade

O dossiê ARTE OCUPA: práticas criativas e ocupações no desenho da cidade se propõe a reunir reflexões teóricas e, também, ensaios visuais (desenhos, fotos, vídeos etc.) sobre práticas artísticas em sua relação com o espaço urbano. O dossiê está aberto não apenas à ótica das artes, mas também à abordagem do tema proposto desde o viés dos estudos do urbanismo, arquitetura, sociologia, antropologia, psicologia, história etc. 

Circuitos experimentais e alternativos de produção, instauração e circulação da

Dossiê Circuitos experimentais e alternativos de produção, instauração e circulação da imagem e do objeto artístico reúne trabalhos que tem como desafio ampliar a discussão sobre as transformações e os novos estatutos contemporâneos da imagem nas artes visuais (fotografia, cinema, vídeo, holografia, processos digitais, entre outros), bem como os modos de sua inserção e circulação, em espaços alternativos, galerias, exposições efêmeras e portáteis, bem como pelo correio, internet e redes sociais.

Circuitos experimentais e alternativos

Dossiê

Narrativas artísticas: ramificações, contaminações e apagamentos

Esta seção reúne trabalhos  dentro do tema as “narrativas artísticas” , sendo elas ficcionais, documentais, ou de natureza híbrida. O tema abordará obras, ações e projetos artísticos, que almejam contar histórias. As intenções dessa publicação são: mapear os ‘modos de narrar’ específicos da arte contemporânea, identificar seu potencial descritivo ediegético, analisar suasfunções, estruturas e formatos.

Publicações de Artistas: Abordagens

Publicações de Artista: Abordagens: Reúne artigos e ensaios que versam sobre as complexidades das publicações de artistas considerando os livros de artistas e suas múltiplas formas (textuais, gráficas, livros-objetos ou mesmo “não livros”). Estão nesse mesmo universo os formatos de jornal, folheto, cartaz, postal, fanzine etc., apropriados e subvertidos pelos artistas. O hibridismo característico desse grande campo artístico contribui para questionar as categorias fixas do pensamento e ampliar o diálogo acerca de práticas artísticas contemporâneas e suas estratégias de circulação.

Noções incontornáveis nas Artes Visuais

O Dossiê " Noções incontornáveis nas Artes Visuais"  apresenta, em um conjunto de artigos, a problematização sobre as noções fundamentais que delimitam o campo das Artes Visuais. Entende-se que elas têm sido constantemente reexaminadas e a principal razão disto é o caráter experimental do fazer artístico e a adoção de procedimentos e formas de pensar originais, desafiando a própria definição de obra arte. Todo um repertório de noções, e as relações entre elas, constituem a constelação que firma a arte como campo de conhecimento.

Desafios e conquistas da arte indígena contemporânea brasileira.

O Dossiê propõe a reflexão sobre os artistas indígenas de várias etnias que resistem, sobrevivem e se apresentam hoje nas grandes galerias, museus e lugares antes colonizados e eurocêntricos, mostrando suas artes potentes e reveladoras. A porta de entrada deste momento preciso e assertivo, abre-se para um novo tempo de descoberta de quem realmente somos; isso é urgente e intransferível.  Estamos assim reescrevendo uma outra história brasileira, onde o lugar de fala se faz presente. Essa reescrita suscita discussões e provocações a respeito desse terreno fértil da arte indígena contemporânea. Portanto, a revista Estado da Arte, abre seu espaço para um conjunto de  artigos e outras proposições sobre arte contemporânea, focado na diversidade das expressões artístico-culturais que tenham, especificamente, enfoque e discussão sobre a arte contemporânea dos povos originários do Brasil.

 

Os artistas indígenas de várias etnias que resistem e sobrevivem hoje se apresentam e estão presentes nas grandes galerias, museus e lugares antes colonizados e eurocêntricos, mostrando suas artes potentes e reveladoras. A porta de entrada deste momento, que espero ser preciso e assertivo, abre-se para um novo tempo de descoberta de quem realmente somos; isso é urgente e intransferível. Estamos assim reescrevendo uma outra história brasileira, onde o lugar de fala se faz presente. Essa reescrita suscita discussões e provocações a respeito desse terreno fértil da arte indígena contemporânea. Portanto, a revista Estado da Arte, do Instituto de Artes da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), abre seu espaço para um dossiê com artigos e outras proposições sobre arte contemporânea e a diversidade das expressões artístico-culturais que tenham, especificamente, enfoque e discussão sobre a arte contemporânea dos povos originários do Brasil.

O espaço delas: artistas mulheres e poéticas tridimensionais

Este dossiê pretende reunir artigos, ensaios, resenhas e entrevistas, dentre outros tipos de produção textual, que tratem da atuação de mulheres artistas e de suas produções tridimensionais, entendidas aqui como herdeiras do campo escultórico, mas que ao longo do século XX se hibridizaram com outras linguagens e expandiram suas pesquisas plásticas da forma na direção da problemática do espaço e/ou do corpo, em diálogo com outras áreas do conhecimento. O dossiê tem organização de Tatiana Sampaio Ferraz e Marina Mazze Cerchiaro

Política de Privacidade

Os nomes e endereços informados nesta revista serão usados exclusivamente para os serviços prestados por esta publicação, não sendo disponibilizados para outras finalidades ou a terceiros.