ESTIMATIVA DA UMIDADE DO SOLO POR MEIO DE SENSORIAMENTO REMOTO E SUAS POSSÍVEIS APLICAÇÕES NO ESTUDO DE DESLIZAMENTOS DE TERRA

Conteúdo do artigo principal

Cristina de Queiroz Telles Maffra
Jorge da Silva Centeno

Resumo

Desastres naturais ocorrem em diversas partes do globo todos os anos e os movimentos de massa, ou seja, escorregamentos ou deslizamentos de terra, corridas de lama, queda de blocos são responsáveis por inúmeras perdas humanas e materiais. Dentre os principais fatores condicionantes desses fenômenos está a umidade do solo que, tanto em excesso quanto em escassez, pode condicionar a ocorrência do fenômeno. No litoral do Estado de São Paulo durante o período de chuvas são frequentes os deslizamentos de terra, por esse motivo desde 1989 existe o Plano Preventivo de Defesa Civil (PPDC) que visa evitar acidentes por meio da implantação de um conjunto de medidas preventivas. O PPDC utiliza índices pluviométricos para deflagrar seu sistema de alerta. Para o litoral do Estado de São Paulo adotam como limiares críticos valores de acumulado de chuvas de 72 horas superiores a 100mm e 120mm. Seguindo esse raciocínio, o presente trabalho procurou estudar as variações espaciais da umidade do solo em terrenos suscetíveis a escorregamentos, por meio da análise multitemporal de imagens multiespectrais correlacionadas a dados pluviométricos. O local escolhido foi a região sul da Itália, cuja combinação de relevo e litologia, além da abundância de informações, facilitaram a realização do estudo. Dados espectrais adquiridos entre 2000 e 2002, pelos sensores Landsat ETM, ASTER e MODIS e obtidos em diferentes tipos de solos foram correlacionados, por meio da análise multivariada a dados pluviométricos. O objetivo foi o de gerar um modelo capaz de contribuir na predição da umidade do solo por meio da combinação de bandas e índices espectrais e dessa forma auxiliar o mapeamento de áreas com risco a deslizamentos de terra. Para cada sensor, os dados espectrais foram aprimorados com a utilização de índices como NDVI, NDII, Transformação Tasseled Cap e Análise dos Componentes Principais das bandas do infravermelho. Também foram utilizadas imagens da Temperatura Superï¬cial (ASTER) e Temperatura Superï¬cial Noturna (MODIS). Na obtenção do modelo foram utilizadas a Análise Discriminante, a Análise de Correlação Múltipla e o Método de Grupo para Manipulação de Dados (GMDH). Os resultados revelaram serem os sensores ASTER e MODIS eï¬cientes na determinação da umidade do solo por meio da utilização de bandas no infravermelho médio combinadas à Temperatura Superï¬cial e ser o MODIS o sensor mais indicado no estudo regional da umidade do solo. Com o advento de novos sensores no ï¬nal dos anos 2000 uma gama maior de possibilidades se abre para a modelagem da umidade do solo especialmente voltada para análise de risco de deslizamentos de terra.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Detalhes do artigo

Como Citar
MAFFRA, C. de Q. T.; CENTENO, J. da S. ESTIMATIVA DA UMIDADE DO SOLO POR MEIO DE SENSORIAMENTO REMOTO E SUAS POSSÍVEIS APLICAÇÕES NO ESTUDO DE DESLIZAMENTOS DE TERRA. Revista Brasileira de Cartografia, [S. l.], v. 68, n. 9, 2017. DOI: 10.14393/rbcv68n9-44438. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revistabrasileiracartografia/article/view/44438. Acesso em: 5 dez. 2022.
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Cristina de Queiroz Telles Maffra, Ministério Público Federal

Ministério Público Federal Procuradoria Geral da República Analista/ Perita em Geologia

Jorge da Silva Centeno, Universidade Federal do Paraná

Departamento de Geomática