Entrevista com a Dra. Sônia T. Felipe: ética animal, abolicionismo e veganismo no Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/REPRIM-v6n11a2021-61505

Resumo

Doutora em Filosofia Moral e em Teoria Política pela Universidade de Konstanz (Alemanha, 1991), com pós-doutorado em Bioética-Ética Animal pela Universidade Clássica de Lisboa (Portugal, 2001-2002), professora, pesquisadora e orientadora no Departamento de Filosofia e no Doutorado Interdisciplinar em Ciências Humanas da UFSC (1979-2010), Sônia T. Felipe é vegana há mais de 20 anos. Iniciou, no Brasil, os estudos filosóficos em ética animal e ética ambiental, em 1992, introduzindo as teorias que alavancam ainda hoje os movimentos animalistas, tanto os bem-estaristas quanto os abolicionistas, elaboradas por Humphry Primatt, Sir Richard D. Ryder, Andrew Linzey, Peter Singer, Tom Regan, Paul Taylor, Steven M. Wise e Gary Francione. Coordenou, entre outros, os projetos e publicações dos volumes temáticos da Revista Ethic@ (Revista Internacional de Filosofia Moral, UFSC), dedicados à Ética Animal, Ética Ambiental, Comunidade Moral, e o Projeto de Estudos Ecoanimalista Feminista (UFSC). Atualmente, dedica-se ao estudo da vinculação entre a dieta omnis vorax (onívora) mortal e o aquecimento climático que levará às mudanças extremas que porão fim à vida no planeta Terra, bem como aos surtos epidêmicos e pandêmicos causados pela devastação dos ecossistemas naturais levada a cabo para criação de rebanhos destinados ao serviço da comilança humana ao redor do planeta. De seus estudos nos últimos 20 anos resultaram os livros: “Por uma questão de princípios: alcance e limites da ética de Peter Singer em defesa dos animais” (2003); “Ética e experimentação animal: fundamentos abolicionistas” (2007); “Galactolatria: mau deleite” (2012); “Acertos abolicionistas: a vez dos animais” (2014); “Carnelatria: escolha omnis vorax mortal” (2018).

A autora segue estudando neurociência, biologia, medicinas quânticas, etologia e ecoanimalismo feminista, pandemias, com vistas à abolição do uso de animais em experimentos biomédicos, na dieta, na diversão, no trabalho, e ao fortalecimento da tese da senciência em todos os animais. Um desses projetos de pesquisa ora em andamento é o estudo da mente e da consciência equinas, fortalecendo o propósito que anima a luta pela abolição do uso de cavalos para tração de cargas (humanos, mercadorias e resíduos). Outro, o estudo das teorias neurocientíficas das emoções em humanos e não humanos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Laís Oliveira Rios, Universidade Federal de Uberlândia/Instituto de Filosofia

Graduanda em filosofia pelo Instituto de Filosofia (IFILO) da Universidade Federal de Uberlândia. Desenvolve iniciação científica voluntária (PIVIC) sob a orientação do Prof. Dr. Marcos César Seneda, intitulada "Ética kantiana como uma ética não especista: uma possibilidade de leitura a partir de Christine Korsgaard". É Membro do Comitê Executivo da Revista Primordium (Qualis B3 em Filosofia). Participa do Grupo de Estudos Kant e Hume, coordenado pelo Prof. Dr. Marcos César Seneda e é membro e coordenadora do Grupo de Pesquisa, Ensino e Extensão em Ética Animal da Universidade Federal de Uberlândia sob orientação do Prof. Dr. Alcino Eduardo Bonella. 

Gustavo Henrique de Freitas Coelho, Universidade Federal de Uberlândia / Instituto de Filosofia

Gustavo Henrique de Freitas Coelho é graduado em Análise e Desenvolvimento de Sistemas pela Universidade de Franca (2015), e graduado em Filosofia pela Universidade Federal de Uberlândia (2019). Possui especialização em Ciências da Religião pela Faculdade Famart (2020). É fundador, coordenador e pesquisador do Grupo de Pesquisa, Ensino e Extensão em Ética Animal da UFU (UFU/CNPq). Atualmente é mestrando em Filosofia (UFU), com pesquisa sobre xenotransplantação.

Downloads

Publicado

2021-06-06

Como Citar

Rios, L. O., & Coelho, G. H. de F. (2021). Entrevista com a Dra. Sônia T. Felipe: ética animal, abolicionismo e veganismo no Brasil. Revista Primordium, 6(11). https://doi.org/10.14393/REPRIM-v6n11a2021-61505

Edição

Seção

Entrevista