Trilhas de Aprendizagem, Metodologias Ativas e Ágeis para o Autodesenvolvimento

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/OT2021v23.n.3.59933

Palavras-chave:

Autodesenvolvimento, Trilhas de Aprendizagem, Metodologias Ativas, Metodologias Ágeis

Resumo

Organizações que aprendem relacionam resultados ao crescimento pessoal de seus colaboradores. Assim, muitas são as possibilidades de busca por desenvolvimento por parte das organizações e autodesenvolvimento por parte dos colaboradores. Com esse objetivo foi realizado um estudo comparativo entre trilhas de aprendizagem e metodologias ativas. Para realizar a comparação foram entrevistadas às Universidade Corporativa do Banco do Brasil, a Universidade Corporativa do Sebrae, a Escola de Contas do Distrito Federal e a Escola Nacional de Administração Pública que ofertam capacitação no formato de trilhas de aprendizagem. Os resultados foram comparados às 5 técnicas de metodologias ativas que apontaram como resultado que as duas abordagens são voltadas para quantidade diferentes de colaboradores a desenvolver competências. Além das trilhas de aprendizagem e as metodologias ativas, o conceito de metodologias ágeis emergiu como indicado para o autodesenvolvimento e a capacitação de gestores. Assim, as metodologias ágeis também foram objeto de comparação no estudo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

ROSANA AUGUSTO CHAGAS CHAGAS, Universidade Fernando Pessoa

Doutoranda pela Universidade Fernando Pessoa (UFP/PT)

Nuno Magalhães Ribeiro, UFP/PT

Doutor em  Ciência da Computação, professor associado da Universidade Ferando Pessoa (UFP/PT)    

Thiago Dias Costa, UFPA

Doutor em Psicologia, professor associado da Universidade Federal do Pará (UFPA/PA), e-mail: thiagodiascosta@gmail.com

Referências

ALONSO, C.; GALLEGO D.; HONEY, P. Los Estilos de Aprendizaje. Procedimientos de diagnóstico y mejora. Bilbao: EdicionesMensajero. 2002

ALVES, F. Design de aprendizagem com uso de canvas. DVS Editora. 2016.

BENTO, M. C. M.; SILVA, MESSIAS B. Formação do pedagogo e a indústria 5.0. e o redesign da formação do pedagogo por meio das tecnologias digitais e das metodologias ativas. Formação inicial e continuada de professores [recurso eletrônico] : da teoria à prática 2 / Organizadora Solange Aparecida de Souza Monteiro. – Ponta Grossa, PR: Atena Editora, 2020.

BITENCOURT, C. C. Gestão Contemporânea de Pessoas. recurso eletrônico: novas práticas, conceitos tradicionais. 2ª edição. Porto Alegre. Bookman. 2010.

BRANDÃO, H. P. (2012). Mapeamento de Competências: métodos, técnicas e aplicações em gestão de pessoas. São Paulo. Atlas.

BRANDÃO, H. P; GUIMARÃES, T. A. Gestão de competências e gestao de desempenho: tecnologias distintas ou instrumentos de um mesmo construto?. Revista de Administração de Empresas [online]. 2001, v. 41, n. 1 [Acessado 11 Outubro 2021] , pp. 8-15. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0034-75902001000100002 Epub 19 Set 2011. ISSN 2178-938X.

BRASIL. DECRETO nº 5.707 de 23/02/2006. Institui a Política e as Diretrizes para o Desenvolvimento de Pessoal da administração pública federal direta, autárquica e fundacional, e regulamenta dispositivos da Lei n. 8.112, de 11/12/1990, Brasília, DF, 24 fev. 2006. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2006/ Decreto/D5707.htm. Acesso em: 23/03/2020.

COLOMBARA, D. F. A. Membro da Equipe. s/d. Página da Internet da Escola de Formação em Administração Pública. Paulo Freire (EFAP). Disponível em: http://www3.santoandre.sp.gov.br/portalefap/index.php?option=com_content&view=article&id=43:a-importancia-do-autodesenvolvimento&catid=2:artigos&Itemid=15. Consultado em 21/03/2020.

DELORS, J., CHUNG, F., GEREMEK, B., GORHAM, W., KORNHAUSER, A., MANLEY, M., ... & NANZHAO, Z. Relatório para a UNESCO da Comissão Internacional sobre Educação para o século XXI. Educação um tesouro a descobrir, 6. 1996. Disponível em: http://dhnet.org.br/dados/relatorios/a_pdf/r_unesco_educ_tesouro_descobrir.pdf. Consultado em 15/03/2021

DUNN, R.; DUNN, K. Teaching students through their individual learning styles: a practical approach. Reston, VA: Reston Publishing Co.,1978

FERRAREZI, E., LEMOS, J. Imersão ágil: checagem de realidade em políticas públicas-Relato de aplicação da metodologia em projeto da Enap. 2018.

FERREIRA, A; DEMUTTI, C.M.; GIMENEZ, P. E.O. A teoria das necessidades de Maslow: a influência do nível educacional sobre a sua percepção no ambiente de trabalho. Anais do Seminários de Administração, 2010.

FLEMING, N. D. Teaching and learning styles: VARK strategies.Christchurch, New Zealand: N. D. Fleming, 2001.

FILATRO, A; CAVALCANTI, C. C. Metodologias Inov-ativas na educação presencial, a distância e corporativa. Saraiva Educação AS. Livro on-line. 2018.

FLEMING, N. D. Teaching and learning styles: VARK strategies. Christchurch, NewZealand. 2001.

FREITAS, I. A.; BRANDÃO, H. P. Trilhas de Aprendizagem como Estratégia para Desenvolvimento de Competências. Anais do 29° Encontro Anual da Associação dos Programas de Pós-Graduação em Administração ENANPAD, Brasília/DF. 2005.

GARRIDO, J. C. F. Como a metodologia LEAN contribui para a melhoria dos indicadores de gestão logísticos internos (Doctoral dissertation, Instituto Politécnico de Setúbal. Escola Superior de Ciências Empresariais). 2017. Disponível em: http://hdl.handle.net/10400.26/17911. Consultado rm 18/03/2021.

GLÓRIA JÚNIOR, I .; REIS, J. G. M. dos. Indústria 4.0 e Sociedade 5.0: visões comparativas. Pesquisa, Sociedade e Desenvolvimento , [S. l.] , v. 10, n. 11, pág. e23101119192, 2021. DOI: 10.33448 / rsd-v10i11.19192. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/19192. Acesso em: 11 out. 2021.

KOLB, D. (1981). Learning Styles and Disciplinary Differences. 18. 151-164.

LE BOTERF, G. Desenvolvendo a competência dos profissionais. Trad. Patrícia Chittoni Ramos Reuillard. Porto Alegre: Artmed. 2003.

LOPES, P, & LIMA, G. A. Estratégias de Organização, Representação e Gestão de Trilhas de Aprendizagem: uma revisão sistemática de literatura. Perspectivas em Ciência da Informação, 24(2), 165-195. Epub September 02, 2019. Disponível em: https://dx.doi.org/10.1590/1981-5344/3862. Consultado em 03/01/2020.

MUNIZ, A., IRIGOYEN, A., MAFRA, C., TRIERVEILER, F., & VILLANOVA, G. Jornada Kanban na prática: unindo teoria e prática para acelerar o aprendizado para quem está iniciando. Brasport.e.book. 2021.

NADLER, L. Human Resource Development. In NADLER, L; NADLER, Z. (ed.) Handbook of human resource development. John Wiley & Sons, 1984.

OLIVEIRA, M. F. de. Metodologia científica: um manual para a realização de pesquisas em Administração - Catalão: UFG. 2011.

PRIKLADNICKI, R., WILLI, R., MILANI, F. Métodos ágeis para desenvolvimento de software. Bookman Editora. 2014.

SABBAGH, R. Scrum: Gestão ágil para projetos de sucesso. Editora Casa do Código. 2014.

SACOMANO, J. B; GONÇALVES, R. F.; BONILLA, S. H. Indústria 4.0. Editora Blucher. 2018.

SANTOS, E; BRAGA, V; SANTOS, R; BRAGA, A. M.; DESENVOLVIMENTO: UM CONCEITO MULTIDIMENSIONAL. Desenvolvimento Regional em Debate [en linea]. 2012, 2 (1), 44-61 [fecha de Consulta 11 de Octubre de 2021]. ISSN:. Disponível em: https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=570862004004

SENGE, P. M. A quinta disciplina: arte e prática da organização que aprende. recurso eletrônico. Tradução op traduções, Gabriel Zide Neto. 1ª ed. Rio de Janeiro. Best seller. 2018.

SEVERINO, A. J. Metodologia do Trabalho Científico. 23.ed.revisada e atualizada. São Paulo: Cortez. 2007.

URQUIZA, V. D. M. Aplicação de técnicas da gestão da qualidade para resolução de problemas. Trabalho de conclusão de curso apresentado à Universidade Federal da Paraíba. 2018. Disponível em: https://repositorio.ufpb.br/jspui/bitstream/123456789/13645/1/VMU19062018.pdf. Consultado em: 18/03/2021.

VALENTE, J., BIANCONCINI DE ALMEIDA, M., FLOGI SERPA GERALDINI, A. (2017). Metodologias ativas: das concepções às práticas em distintos níveis de ensino. Revista Diálogo Educacional, 17(52), 455-478. doi:http://dx.doi.org/10.7213/1981-416X.17.052.DS07.

VINAL, V. Blog Rockcontente. 2018. Disponível em: https://rockcontent.com/br/blog/metodologias-ageis/. Consultado em: 09/03/2021.

Downloads

Publicado

2021-10-15

Como Citar

CHAGAS, R. A. C.; MAGALHÃES RIBEIRO, N.; DIAS COSTA, T. Trilhas de Aprendizagem, Metodologias Ativas e Ágeis para o Autodesenvolvimento. Olhares & Trilhas, [S. l.], v. 23, n. 3, p. 1215–1234, 2021. DOI: 10.14393/OT2021v23.n.3.59933. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/view/59933. Acesso em: 11 ago. 2022.