Educação especial em tempos de pandemia

ensino remoto e percepções de familiares, um estudo de caso

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/OT2021v23.n.2.59643

Palavras-chave:

Educação Especial, Covid-19, Ensino Remoto, Deficiência Intelectual

Resumo

No ano de 2020, o país foi surpreendido pela emergência de um novo vírus, denominado SARS-Cov-2, conhecido como Covid-19. Já em março de 2020, foi recomendado o isolamento social, para combater efetivamente a Covid-19 e preservar vidas. Ademais, as escolas brasileiras foram fechadas e, a partir daí, surgiu a proposta de uma educação remota emergencial. Frente ao exposto, este texto tem como objetivo apresentar as percepções dos familiares de uma escola de educação especial, localizada no interior de São Paulo, em que são destacadas as facilidades, desafios e possibilidades na realização das atividades escolares não presenciais com o aluno. Com este intento, como ferramenta de coleta de dados, foi utilizado um roteiro de entrevista semiestruturado com o responsável que auxilia o aluno no momento da realização das práticas. Para analisar os resultados, fundamentou-se na noção de análise de conteúdo, descrita por Bardin (2011). Desse modo, os resultados apontaram que o ensino remoto atende às expectativas das famílias, e o acesso às atividades escolares foi garantido aos alunos. Apontam, ainda, que a equipe pedagógica escolar ofertou suporte necessário às famílias. No entanto, os dados também revelam que os familiares se sentiram cansados e exaustos com essa nova rotina de cuidado integral do filho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Fernando Zuin, Universidade Federal de São Carlos

Doutorando em Educação Especial (UFSCAR); Mestre em Educação Sexual (UNESP); Pós-Graduação Lato Sensu em Educação Especial - Deficiência Intelectual (2018) pela Faculdade de Itápolis; Especialista em Análise do Comportamento Aplicada ao Autismo, Atrasos de Desenvolvimento Universidade Federal de São Carlos, UFSCAR; Graduação em Pedagogia (2012) pelo Instituto Educacional do Estado de São Paulo e Graduação em Administração de Empresas (2008) pelo Instituto Educacional do Estado de São Paulo . Atualmente é Diretor Pedagógico na Escola de Educação Especial - APAE de Matã/SP; Professor no Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza . Atua na área de Educação, com ênfase em Educação Especial - Deficiência Intelectual e Autismo.

Referências

ALARCÃO, M.; RELVAS, A. P. A família e a escola. Caesura, v. 1, p. 51-60, 1992. In: BEJA, M. J. G. P. Escola e família: da inevitabilidade da comunicação à construção de uma realidade relacional (estudo exploratório no 1º ciclo do ensino básico). 2009. Disponível em: http://hdl.handle.net/10400.13/178. Acesso em: 08 de mar. de 2021. https://doi.org/10.17771/pucrio.acad.32383

ALMEIDA, M. A. O caminhar da deficiência intelectual e classificação pelo sistema e suporte/apoio. In: ALMEIDA, M. A. (Ed.). Deficiência Intelectual: Realidade e Ação. Núcleo de Apoio Pedagógico Especializado – CAPE: São Paulo - SP, 2012. 153 p. https://doi.org/10.46898/rfb.9786558890317

ALLEN, D.; FRASER, Barry J. Parent and Student Perceptions of the Classroom Learning Environment and Its Influence on Student Outcomes. 2002. In: CHECHIA, V. A.; ANDRADE, A. dos S. O desempenho escolar dos filhos na percepção de pais de alunos com sucesso e insucesso escolar. Estudos de Psicologia (Natal), v. 10, n. 3, p. 431-440, 2005. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413294X2005000300012&script=sci_arttext&tlng=pt. Acesso em: 10 de fev. 2021 https://doi.org/10.1590/s1413-294x2005000300012

ALVES, L. Educação remota: entre a ilusão e a realidade. Interfaces Científicas-Educação, v. 8, n. 3, p. 348-365, 2020. Disponível em: https://periodicos.set.edu.br/educacao/article/view/9251/4047 Acesso em: 10 de out. de 2020. https://doi.org/10.17564/2316-3828.2020v8n3p348-365

ARRUDA, E. P. Educação remota emergencial: elementos para políticas públicas na educação brasileira em tempos de Covid-19. Em Rede-Revista de Educação a Distância, v. 7, n. 1, p. 257-275, 2020. https://doi.org/10.14393/ufu.te.2017.5

BARDIN, L. Análise de conteúdo (LA Reto & A. Pinheiro, Trad.). São Paulo: Edições 70. 1979.

BARDIN, L.(2011). Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70.

BEHAR, P. A. O ensino remoto emergencial e a educação à distância. Jornal da Universidade [06/06/2020]. Disponível em https://www.ufrgs.br/coronavirus/base/artigo-o-ensino-remoto-emergencial-e-a-educacao-a-distancia/. Acesso em: 28 de agosto de 2020. https://doi.org/10.47247/vv/rcb/88471.12.8.5

BEJA, M. J. G. P. Escola e família: da inevitabilidade da comunicação à construção de uma realidade relacional (estudo exploratório no 1º ciclo do ensino básico). 2009. Disponível em: http://hdl.handle.net/10400.13/178. Acesso em:08 de mar. de 2021. https://doi.org/10.17771/pucrio.acad.32383

BONI, V.; QUARESMA, S. J. Aprendendo a entrevistar: como fazer entrevistas em Ciências Sociais. Em Tese, v. 2, n. 1, p. 68-80, 2005.

D'AVILA-BACARJI, K. M. G.; MARTURANO, E. M.; ELIAS, L. C. dos S. Suporte parental: um estudo sobre crianças com queixas escolares. Psicologia em estudo, v. 10, n. 1, p. 107-115, 2005. https://doi.org/10.1590/s1413-73722005000100013

FRASER, M. T. D.; GONDIM, S. M. G. Da fala do outro ao texto negociado: discussões sobre a entrevista na pesquisa qualitativa. Paidéia, v. 14, n. 28, p. 139-152, 2004. https://doi.org/10.1590/s0103-863x2004000200004

HODGES, C. et. al. The difference between emergency remote teaching and online learning. Educause review, v. 27, p. 1-12, 2020.In: JOYE, C. R.; MOREIRA, Marília Maia; ROCHA, Sinara Socorro Duarte. Educação a Distância ou Atividade Educacional Remota Emergencial: em busca do elo perdido da educação escolar em tempos de COVID-19. Research, Society and Development, v. 9, n. 7, p. e521974299-e521974299, 2020. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i7.4299

HÜBNER, M. M. Contingências e regras familiares que minimizam problemas de estudos: a família pró-saber. Sobre comportamento e cognição. Santo André, SP: Arbytes, 1999. In: SOARES, M. R. Z.; SOUZA, S. R. de; MARINHO, M. L. Envolvimento dos pais: incentivo à habilidade de estudo em crianças. Estudos de Psicologia (Campinas), v. 21, n. 3, p. 253-260, 2004. https://doi.org/10.1590/s0103-166x2004000300009

IDOETA, P. A. Os desafios e potenciais da educação à distância, adotada às pres¬sas em meio à quarentena. Publicada em 17 de abril de 2020. Disponível em: https://cutt.ly/ Myk24p1. Acesso em: 3 de mar. 2021. https://doi.org/10.18264/eadf.v9i1.734

LEITE, L. et. al. Impactos da Covid-19 na graduação da pessoa com deficiência visual. Revista Encantar-Educação, Cultura e Sociedade, v. 2, p. 01-14, 2020. Disponível em: https://www.revistas.uneb.br/index.php/encantar/article/view/8863. Acesso em: 20 de dez. de 2021. https://doi.org/10.46375/encantar.silaergologia.011

REICH, J. et. al. Remote learning guidance from state education agencies during the covid-19 pandemic: A first look. 2020. In: JOYE, C. R.; MOREIRA, M. M.; ROCHA, S. S. D. Educação a Distância ou Atividade Educacional Remota Emergencial: em busca do elo perdido da educação escolar em tempos de COVID-19. Research, Society and Development, v. 9, n. 7, p. e521974299-e521974299, 2020. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/341828716_Educacao_a_Distancia_ou_Atividade_Educacional_Remota_Emergencial_em_busca_do_elo_perdido_da_educacao_escolar_em_tempos_de_COVID-19. Acesso em: 08 de set. 2020. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i7.4299

SÃO PAULO. Decreto nº 64.862, de 13 de março de 2020. Dispõe sobre a adoção, no âmbito da Administração Pública direta e indireta, de medidas temporárias e emergenciais de prevenção de contágio pelo COVID-19 (Novo Coronavírus. Disponível em https://www.al.sp.gov.br/repositorio/legislacao/decreto/2020/decreto-64862 13.03.2020.html. Acesso em: 10 de set. 2020. https://doi.org/10.2307/j.ctv14t4727.11

YIN, R. K. ESTUDO DE CASO. Planejamento e Métodos. São Paulo: Bookman, 2014, 5ª Ed.

Downloads

Publicado

2021-06-24

Como Citar

ZUIN, L. F.; COSTA, M. da P. R. da . Educação especial em tempos de pandemia: ensino remoto e percepções de familiares, um estudo de caso. Olhares & Trilhas, [S. l.], v. 23, n. 2, p. 408–425, 2021. DOI: 10.14393/OT2021v23.n.2.59643. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/view/59643. Acesso em: 28 maio. 2024.