Formação contínua de professores e as (des)articulações com a escola de educação básica

Conteúdo do artigo principal

Elisangela André da Silva Costa
https://orcid.org/0000-0003-0074-1637
Maria do Socorro Lopes da Silva
https://orcid.org/0000-0002-3084-1965
Eisenhower Souza Costa
https://orcid.org/0000-0001-7699-9891

Resumo

O presente estudo toma como objetivo de investigação a formação contínua de professores. Parte da problematização do atual contexto, em que a docência e os processos formativos são cada vez mais atravessados por princípios neoliberais, que imprimem nas políticas educacionais a lógica da produtividade, performatividade e competitividade. Metodologicamente pautada na abordagem qualitativa, a investigação utilizou como estratégia de aproximação coma realidade uma entrevista narrativa, realizada junto a um professor que atua em turmas de ensino fundamental e médio no município de Horizonte-Ceará. Foi estabelecido como objetivo geral refletir sobre as articulações que se estabelecem entre a formação contínua e os desafios vividos pelos professores no exercício de sua profissão no contexto da educação básica.  Os resultados apontaram que mesmo atravessada pelas tensões e contradições presentes na sociedade contemporânea, a formação contínua pode se estabelecer como espaço de diálogo e de valorização da docência e da escola pública.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Costa, E. A. da S., Silva , M. do S. L. da, & Costa, E. S. (2022). Formação contínua de professores e as (des)articulações com a escola de educação básica. Ensino Em Re-Vista, 29(Contínua), e055. https://doi.org/10.14393/ER-v29a2022-55
Seção
DOSSIÊ 3 - A ESCOLA NOS DIAS ATUAIS: E AGORA?

Referências

ALARCÃO, Isabel. Professores reflexivos em uma escola reflexiva. 8ªed. São Paulo: Cortez, 2011.

BRASIL. Resolução nº 510, de 07 de abril de 2016. Dispõe sobre as normas aplicáveis a pesquisas em Ciências Humanas e Sociais. Brasília: CNS, 2016.

BRASIL. Lei nº 9394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional e dá outras providências. Brasília, Casa Civil, 1996.

BRASIL. Constituição da República Federativa Brasileira. Brasília, 1988.

COSTA, Elisangela André da Silva. Diálogo pedagógico entre escola e universidade a partir da formação inicial de professores: o caminho e o caminhar da Unilab. 2018. 126 f. Relatório (Pós-Doutoral) - Faculdade de Educação. Universidade de São Paulo, São Paulo, 2018.

DINIZ-PEREIRA, J. E. Da racionalidade técnica à racionalidade crítica: formação docente e transformação social. Perspectivas em Diálogo: revista de educação e sociedade, Naviraí, v. 1, n. 1, p. 34-42, jan./jun. 2014.

FRANCO, Maria Amélia Santoro. Pesquisa Ação-Pedagógica: práticas de empoderamento e participação. Educ. Temat. Digit. Campinas, SP v.18 n.2 p. 511-530 abr./jun. 2016. ISSN 1676-2592. https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/8637507.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1996.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

JOVCHELOVICH, Sandra; Bauer, Martin W. Entrevista Narrativa. In: BAUER, Martin W; GASKELL George. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Petrópolis: Vozes; 2002, p. 90-113.

KRAWCZYK, Nora. Brasil – Estados Unidos: a trama de relações ocultas na destruição da escola pública. In KRAWCZYK, Nora. (Org). Escola pública: tempos dificeis mas não impossíveis. Campinas: FE Unilamp, 2018. (p. 59-72).

LIBÂNEO, J. C. Adeus professor, adeus professora?: novas exigencias educacionais e profissao docente. 13 ed. Sao Paulo: Cortez, 2011.

LIMA, Maria Socorro Lucena. A formação contínua do professor nos caminhos e descaminhos do desenvolvimento profissional. 2001. 164 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2001.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. 13 ed. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. Rio de Janeiro: Hucitec, 2013.

NÓVOA, António. A pandemia de Covid-19 e o futuro da Educação. Revista Com Censo: Estudos Educacionais do Distrito Federal, [S.l.], v. 7, n. 3, p. 8-12, ago. 2020. ISSN 2359-2494. Disponível em: http://periodicos.se.df.gov.br/index.php/comcenso/article/view/905. Acesso em: 30 ago. 2021.

PIMENTA, Selma Garrido. Para uma ressignificação da didática. In: PIMENTA, Selma Garrido. (Org). Didática e Formação de Professores: percursos e perspectivas no Brasil e em Portugal. 6 Ed. São Paulo: Cortez, 2011.

SACRISTÁN, J. Gimeno. O currículo: uma reflexão sobre a prática. 3.ed. Porto Alegre: Artmed, 2000.

SANTOS, Milton. Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. São Paulo: Record, 2000.

SILVA, Tomaz Tadeu. A nova direita e as transformações na pedagogia da política na política da pedagogia. In GENTILI, Pablo & SILVA, Tomaz. Tadeu da. (orgs.). Neoliberalismo, qualidade total e educação. 10 ed. Petrópolis: visões críticas, 2000. (p. 9-30).