Estágio Curricular Supervisionado em Geografia: desafios da aprendizagem docente em tempos de pandemia

Conteúdo do artigo principal

Rosa Elisabete Militz Wypyczynski Martins
https://orcid.org/0000-0002-2875-2883
Suelen Santos Mauricio
https://orcid.org/0000-0002-2128-8117
Carolina Araújo Michielin
https://orcid.org/0000-0002-1671-3801

Resumo

A proposta deste artigo consiste em desenvolver algumas reflexões acerca do estágio curricular supervisionado em Geografia no contexto de pandemia de COVID-19 e apresentar os desafios vivenciados na disciplina de Estágio Curricular Supervisionado em Geografia III do curso de Geografia Licenciatura do Centro de Ciência Humanas e da Educação da Universidade do Estado de Santa Catarina – FAED/UDESC, presente na sétima fase do curso, com destaque para as ações desenvolvidas no primeiro semestre do ano de 2021. Essas atividades foram realizadas de forma remota e, diante das dificuldades, foram encontradas algumas alternativas para que os movimentos do estágio, sobretudo as práticas docentes, fossem efetivadas. Acreditamos que as experiências e reflexões desenvolvidas possibilitaram a superação de alguns obstáculos relacionados a migração das atividades para o ensino remoto por meio de plataformas virtuais e a falta do contato direto com as unidades escolares e possibilitou a construção de novos saberes e a vivência de outras formas de exercício da docência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Martins, R. E. M. W., Mauricio, S. S., & Michielin, C. A. (2022). Estágio Curricular Supervisionado em Geografia: desafios da aprendizagem docente em tempos de pandemia. Ensino Em Re-Vista, 29(Contínua), e032. https://doi.org/10.14393/ER-v29a2022-32
Seção
DOSSIÊ 2: ENSINAR E APRENDER GEOGRAFIA EM TEMPOS DE HIPERCONECTIVIDADE E POLARIZAÇÃO DE IDEIAS

Referências

BRASIL. Resolução CNE/CP nº 2, de 1 de julho de 2015. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. Brasília, 2015.

Disponível em: http://www.portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rcp01_06.pdf.

BRASIL. Resolução CNE/CP nº 1, de 18 de fevereiro de 2002. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de Licenciatura, de graduação plena. Brasília, 2002.

Disponível em: http://www.portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rcp01_02.pdf.

BRASIL. Resolução CNE/CP nº 1, de 18 de fevereiro de 2002. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de Licenciatura, de graduação plena. Brasília, 2002.

Disponível em: http://www.portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rcp01_02.pdf.

BRASIL. Resolução CNE/CP nº 22, de 07 de novembro de 2019. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial de Professores para a Educação Básica e Base Nacional Comum para a Formação Inicial de Professores da Educação Básica (BNC-Formação). Disponível em: https://www.cenpec.org.br/wp-content/uploads/2020/01/pcp022_19.pdf.

CALLAI, H. C.. A formação do profissional da Geografia: (O professor). Ijuí: Unijuí, 2013.

CAVALCANTI, L. de S. Geografia escolar na formação e prática docentes: o professor e seu conhecimento geográfico. In: Encontro Nacional de Didática e Prática de Ensino, XIII, 2006, Recife. Anais. Recife: Bagaço, 2006. p. 109-126.

KHAOULE, A. M. K.; CARVALHO, E. F. de. O estágio na formação de formadores: superar o modelo, ultrapassar a técnica, efetivar a reflexão. Revista Brasileira de Educação Geográfica, Campinas, v. 4, n. 7, p. 100-124, jan./jun., 2014.

MARTINS, R. E. M. W. O estágio na licenciatura em geografia como um espaço de formação continuada. Bol. Goia. Geogr. (Online). Goiânia, v.35, n.2, p. 237-253, maio/ago. 2015.

MARTINS, R. E. M. W. O estágio na licenciatura em Geografia como um espaço de formação compartilhada. In: LAWALL, I. e CLEMENT, L. (Org.). Relatos e reflexões sobre estágio curricular supervisionado: cursos de licenciatura da UDESC. 01ed.Goiânia/GO: C&A Alfa Comunicações, 2016, v. 01, p. 97-114.

PIMENTA, S. G. Formação de professores: identidade e saberes da docência. In: PIMENTA, Selma Garrido. (Org). Saberes pedagógicos e atividade docente. São Paulo: Cortez Editora, 1999.

ROSA, C. do C. O estágio na formação do professor de geografia: a relação universidade e escola básica. 2014. 118 p. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2014

SILVA, K. C. M. O. Estágio supervisionado na formação inicial de professores: o dito e não dito nos PPC de licenciatura em química. 98f. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e Matemática). Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2016.

TARDIF, M. Os professores enquanto sujeitos do conhecimento: subjetividade, prática e saberes no magistério. In: CANDAU, Vera Maria [et al.]. (Orgs). Didática, currículo e saberes escolares. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.

THEVES, D. W. Pelos labirintos da docência com os fios de Ariadne: Geografia e existência que (trans)formam a mim e meus alunos. 237 f. Tese (Doutorado em Geografia). Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2018.

UDESC/FAED, Universidade do Estado de Santa Catarina/Centro de Ciências Humanas e da Educação. Departamento de Geografia. Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Geografia – Licenciatura. Florianópolis, 2013.

VALLERIUS, D. M. A identidade profissional cidadã e o estágio supervisionado de professores de Geografia. 204. Tese (Doutorado em Geografia). Instituto de Estudos Socioambientais, Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2017.