A pesquisa-formação sob diferentes perspectivas no campo do desenvolvimento profissional docente

Conteúdo do artigo principal

Priscilla de Andrade Silva Ximenes
https://orcid.org/0000-0002-0683-6285
Luciana Guimarães Pedro
Avani Maria de Campos Corrêa

Resumo

O objetivo desse artigo é discutir diferentes tipologias da pesquisa-formação, que se manifesta com características e peculiaridades na forma de pesquisa-ação, pesquisa colaborativa e pesquisa-ação crítico-colaborativa à luz de um referencial teórico crítico. Essas pesquisas em educação, especialmente no campo da formação de professores, têm em comum o compromisso com a transformação e ancoram-se na perspectiva contra hegemônica de formação e de produção do conhecimento científico. Para tanto, o trabalho foi organizado em duas partes: na primeira, procuramos encontrar elementos e considerações de ordem teórico-metodológicas sobre as especificidades, potencialidades e principais desafios da pesquisa-formação. Na segunda parte, apresentamos o percurso teórico-metodológico, análises e resultados de uma pesquisa colaborativa realizada com professores da Educação básica da Rede pública de Ensino de Uberlândia/MG (PEDRO, 2019) com o intuito de analisar questões relacionadas ao uso dessa metodologia de pesquisa, tendo em vista o fortalecimento da pesquisa-formação em educação e o desenvolvimento profissional docente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Ximenes , P. de A. S. ., Pedro, L. G. . ., & Corrêa , A. M. de C. . (2022). A pesquisa-formação sob diferentes perspectivas no campo do desenvolvimento profissional docente . Ensino Em Re-Vista, 29(Contínua), e010. https://doi.org/10.14393/ER-v29a2022-10
Seção
DOSSIÊ 1: A EXPERIÊNCIA DA PESQUISA COLABORATIVA EM REDE

Referências

AGUIAR, W. M. J.; OZELLA, S. Núcleos de Significação como Instrumento para a Apreensão da Constituição dos Sentidos. Psicologia Ciência e Profissão, v.26, n.2, pp. 222-245, 2006. DOI: https://doi.org/10.1590/S1414-98932006000200006.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Educação é a Base. Brasília, MEC/CONSED/UNDIME, 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Resolução CNE/CP n. 2, de 20 de dezembro de 2019. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial de Professores para a Educação Básica e institui a Base Nacional Comum para a Formação Inicial de Professores da Educação Básica (BNC-Formação). Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília-DF, 20 dez. 2019.

BARBIER, R. A pesquisa-ação. Brasília: Plano, 2002.

DESGAGNÉ, S. O conceito de pesquisa colaborativa: a idéia de uma aproximação entre pesquisadores universitários e professores práticos. Revista Educação em Questão, Natal, v. 29, n. 15, p. 7-35, maio/ago. 2007.

FRANCO, M. A. S. Pedagogia da pesquisa-ação. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 3, p. 483-502, set./dez. 2005.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2011.

GARCIA, C. M. Formação de Professores: para uma mudança educativa. 1999.

IBIAPINA, I. M. L. de M. Pesquisa colaborativa: investigação, formação e produção de conhecimentos. Brasília: Líber Livro Editora, 2008.

JORDÃO, R. dos S. A Pesquisa-ação na Formação Inicial de Professores: elementos para a reflexão. FEUSP. GT: Formação de Professores/n.o8- Agência Financiadora: FAPESP. (2010). Acesso em: 17 out. 2016.

KINCHELOE, J. A formação do professor como compromisso político: mapeando o pós-moderno. Porto Alegre: Artes Médicas. 1997.

LEITE, S. A. S. A afetividade como objeto de pesquisa. In: BORUCHVITCH, E.; AZZI, R. G.; SOLIGO, A. (Org.) Temas em Psicologia Educacional: contribuições para a formação de professores. Campinas: Mercado das Letras, 2017.

LEWIN, K. Action research and minority problems. Journal of Social Issues, n. 2, p. 34-36, 1946.

MAGALHÃES, S. M. O.; SOUZA, R. C. C. R. de. A Questão do Método e da Metodologia: uma análise da produção acadêmica sobre professores(as) da Região Centro-Oeste/Brasil. Educ. Real., Porto Alegre, v. 37, n. 2, p. 669-693, maio/ago. 2012.

MARX, K. Manuscritos econômico-filosóficos. Trad. Jesus Ranieri. São Paulo: Boitempo, 2004.

MELO, G. F. Pedagogia Universitária: socialização e profissionalização de docentes principiantes na Educação Superior. Relatório de Pós-doutorado em Educação. Faculdade de Educação. Universidade de São Paulo. São Paulo, 2018.

MELO, G. F.; NAVES, M. L. P. Desenvolvimento profissional de professores universitários: reflexões a partir de experiências formativas. Educação e Sociedade. Revista do Programa de Pós-Graduação em Educação da UFPI, Teresina. 2014.

NAVES, F. F. Sentidos construídos por um educador popular acerca de sua prática com adolescentes: uma análise sócio-histórica. Dissertação (Mestrado) – Psicologia da Educação, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 2011.

PEDRO, L. G. Como se fora brincadeira de roda – o grupo colaborativo como mediador do desenvolvimento docente. Tese de Doutorado. Faculdade de Educação, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2019.

PIMENTA, S. G. Pesquisa-ação crítico-colaborativa: construindo seu significado a partir de experiências com a formação docente. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 3, p. 521-539, set./dez. 2005.

SACRISTÁN, G. J. Tendências investigativas na formação de professores. In: PIMENTA, S. G. (org.). Professor Reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um conceito. 4ª Ed. São Paulo: Cortez, 2006.

SILVA, L. S.; CAMPOS, V. T. B. Saberes necessários à docência na educação superior na perspectiva da educação para todos/as. Revista de Educação Popular, p. 192-213, 29 set. 2021

THIOLLENT. M. Metodologia da pesquisa-ação. 12ª ed. São Paulo: Cortez, 2003.

VIGOTSKI, L. S. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 2000.