A Matemática no Curso Preparatório ao Exame de Admissão do Ginásio Pelotense

Conteúdo do artigo principal

Diogo Franco Rios
https://orcid.org/0000-0001-8391-5721
Mélany Silva dos Santos
https://orcid.org/0000-0002-8642-727X

Resumo

Apresentamos uma análise sobre as modificações que ocorreram no ensino de Matemática no curso preparatório ao Exame de Admissão ao Ginásio Pelotense, denominado “Curso Admissão”, que existiu na cidade de Pelotas, no Rio Grande do Sul. Expomos permanências e modificações dos conteúdos de Matemática entre 1960 e 1971, a partir de uma análise documental dos diários do Curso Admissão e das prescrições do Programa para os Exames de Admissão (PEA), estabelecido em âmbito nacional, e do Programa Experimental para o Ensino Primário Gaúcho (PEEPG). Entre as conclusões, destaca-se que a Matemática do Curso foi se modificando em função das alterações educacionais, relacionadas ao Primário e ao Secundário, que vinham sendo praticadas à época. Essas modificações, especialmente em relação à segunda metade dos anos de 1960, também podem ser associadas à influência da Matemática Moderna, apesar disso não ter significado uma ruptura completa com os programas estabelecidos nos anos 50.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Rios, D. F. ., & Santos, M. S. dos . (2021). A Matemática no Curso Preparatório ao Exame de Admissão do Ginásio Pelotense. Ensino Em Re-Vista, 28(Contínua), e025. https://doi.org/10.14393/ER-v28a2021-25
Seção
DOSSIÊ - HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA

Referências

AKSENEN, E. Z. O Exame de Admissão ao Ginásio, seu Significado e Função na Educação Paranaense: Análise dos Conteúdos Matemáticos (1930 a 1971). 2013. 145 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR). Curitiba, 2013.

AMARAL, G. L. O ensino secundário laico e católico no Rio Grande do Sul, nas primeiras décadas do século XX: apontamentos sobre os Ginásios Pelotense e Gonzaga. História da Educação (UFPel), v. 12, p. 119-139, 2008.

ARQUIVO NACIONAL. Dicionário Brasileiro de Terminologia Arquivística. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2005. 232 p.

ATA. Ata de reuniões do Curso Admissão. 1966.

BÚRIGO, E. Z.; FISCHER, M. C. B.; SANTOS, M. B. (Org.). A Matemática moderna nas escolas do Brasil e de Portugal: novos estudos. Porto Alegre: Capes, Ghemat, 2008.

BÚRIGO, E. Z. Matemática moderna: na sala de aula: protagonismos de professores. Revista Diálogo Educacional (PUCPR. Impresso), Porto Alegre, v. 11, p. 663-686, 2001. DOI: https://doi.org/10.7213/rde.v11i34.4465.

BÚRIGO, E. Z. Matemática moderna: progresso e democracia na visão de educadores brasileiros nos anos 60. Teoria e Educação, Porto Alegre, v. 2, p. 255-265, 1990.

CAMARGO, A. M. A.; BELLOTTO, H. L. Dicionário de terminologia arquivística. São Paulo: Associação dos Arquivistas Brasileiros - Núcleo Regional de São Paulo: Secretaria de Estado da Cultura. 1996.

CERTIFICADOS. Certificados de promoção do curso vestibular ao primeiro anno do curso gymnasial, 1923.

DIÁRIO. Diário de classe do Curso Primário (1960 a 1963) Classe A – Colégio Municipal Pelotense. 1960a.

DIÁRIO. Diário de classe do Curso Primário (1960- 1962). 1960b.

DIÁRIO. Diário de classe do Curso Primário Admissão (1960 – 1963), Classe D. 1960c.

DIÁRIO. Diário de classe do Professor Tânia Maria P. Machado, Curso Admissão. 1961.

DIÁRIO. Frequência Diária, unidade escolar: Colégio municipal pelotense. 1971.

FUNDO. O Fundo Documental. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/197903. Acesso em: 15 fev. 2020.

IBRAM. Guia dos Museus Brasileiros. Disponível em: https://www.museus.gov.br/guia-dos-museus-brasileiros/. Acesso em: 20 maio. 2020.

JULIA, D. A cultura escolar como objeto histórico. Revista Brasileira de História da Educação. Campinas: SBHE/Editora Autores Associados, n. 1, p. 9-43, jan/jun. 2001.

MACHADO, R. C. G. Uma análise dos exames de admissão ao secundário (1930 -1970): subsídios para a história da educação matemática no Brasil. 2002. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática). Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação Matemática. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2002.

PINTO, N. B. História do Movimento da Matemática Moderna no Brasil: arquivos e fontes. Guarapuava: Sociedade Brasileira de História da Matemática, 2007.

REGIMENTO. Regimento Interno do Curso Preliminar, 1932.

RIO GRANDE DO SUL. Secretaria de Educação e Cultura. Centro de Pesquisas e Orientações Educacionais. Programa Experimental de Matemática. Anexo ao oficio circular n. 154, de 23 de março de 1959. Porto Alegre: 1959. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/122106. Acesso em: 15 fev. 2020.

RIOS, D. F. Educação Matemática no Rio Grande do Sul: instituições, personagens e práticas entre 1890 e 1970. Projeto de Pesquisa. Universidade Federal de Pelotas. Pelotas, 2015. 12f.

RIOS, D. F. Memórias de Ex-alunos do Colégio de Aplicação da Bahia: contribuições para a História da Educação Matemática. Bolema, Rio Claro (SP), v. 30, n. 56, p. 1223-1243, dez. 2016. DOI: https://doi.org/10.1590/1980-4415v30n56a20.

RIOS, D. F.; FISCHER, M. C. B. “Especialmente dedicada aos futuros espaçonautas”: discursos modernizadores nos artigos Campanha de Matemática da Revista do Ensino/RS (1961). Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v.16, p. 589, 2016. DOI: https://doi.org/10.7213/dialogo.educ.16.049.ds04.

RIOS, D. F.; BÚRIGO, E. Z.; OLIVEIRA FILHO, F. O Movimento da Matemática Moderna: sua difusão e institucionalização. In: OLIVEIRA, M. C. A. de; SILVA, M. C. L.; VALENTE, W. R. (Org.). O Movimento da Matemática Moderna: história de uma revolução curricular. 2011.

SANTOS, M. S. A Constituição de um Fundo Documental e a Matemática no Curso Preparatório à Admissão ao Ginásio Pelotense. 295 p. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática). Programa de Pós-graduação em Educação Matemática. Instituto de Física e Matemática. Universidade Federal de Pelotas. Pelotas, 2019.

VALENTE, W. R. A Matemática do ensino secundário: duas disciplinas escolares? Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 11, n. 34, p. 645-662, set/dez. 2011. DOI: https://doi.org/10.7213/rde.v11i34.4459.