O funeral como espaço socioeducativo do povo Rikbaktsa

Conteúdo do artigo principal

Adailton Alves da Silva
https://orcid.org/0000-0002-3749-0512
Elani dos Anjos Lobato
https://orcid.org/0000-0002-2310-262X

Resumo

O presente artigo é um recorte da pesquisa para a escrita da Dissertação de Mestrado e traz em foco o povo Rikbaktsa, com objetivo de identificar e compreender os processos socioeducativos (geração, sistematização e difusão) do grupo a partir dos eventos fúnebres celebrados no espaço da aldeia. A abordagem metodológica ancorou-se na perspectiva Etnomatemática, sob as perspectivas de D’Ambrosio (2005, 2016 e 2017) e de Vergani (2007) . A investigação foi de caráter etnográfico, com uma abordagem qualitativa, utilizando-se da observação. Como resultado obtivemos a compreensão dos conhecimentos tradicionais difundidos pelos mais velhos aos mais novos que podem contribuir para evidenciar os saberes e fazeres dos mais jovens.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Silva, A. A. da ., & Lobato, E. dos A. . (2021). O funeral como espaço socioeducativo do povo Rikbaktsa. Ensino Em Re-Vista, 28(Contínua), e015. https://doi.org/10.14393/ER-v28a2021-15
Seção
ARTIGOS DE DEMANTA CONTÍNUA

Referências

ACOSTA, A. O Bem Viver: uma oportunidade para imaginar outros mundos. Tradução de Tadeu Breda. São Paulo: Au¬tonomia Literária/Elefante, 2016. 264 p.

ARRUDA, R. S. V. Os Rikbaktsa: Mudança e Tradição. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) - Pontifícia Universidade Católica (PUC) de São Paulo, 1992.

ATHILA, A. R. “Arriscando corpos.” Permeabilidade, alteridade e as formas de socialidade entre os Rikbaktsa (Macro-Jê) do sudoeste Amazônico. 2006. 509f. Tese (Doutorado em Sociologia e Antropologia). Instituto de Filosofia e Ciências Sociais, da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

BARROS, A. T.; JUNQUEIRA, R. D. A elaboração do projeto de pesquisa. In: DUARTE, J.; BARROS, A. T. (org.). Métodos e técnicas de pesquisa em comunicação. São Paulo, Atlas, 2011

CASTRO, E. V. Araweté: Os Deuses Canibais. 1986. Rio de Janeiro: Zahar/ANPOCS, 744 pp.

D’AMBROSIO, U. Etnomatemática: Elo entre as tradições e a modernidade. 5ª ed.; 2. Reimp. Belo Horizonte, MG: Autêntica Editora, 2017.

D’AMBROSIO, U. Educação para uma sociedade em transição. 3ª ed. São Paulo: Livraria da Física, 2016

D’AMBROSIO, U. Sociedade, cultura, matemática e seu ensino. Revista Educação e Pesquisa, v. 31, n. 14, p.99-120, 2005.

FREIRE, P. Educação como prática da liberdade. São Paulo: Paz e Terra, 2011.
FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro. Paz e terra, 42 eds. 2005.

GERDES, P. Etnomatemática – Cultura, Matemática, Educação: Colectânea de Textos 1979-1991. Reedição: Instituto Superior de Tecnologias e Gestão (ISTEG), Belo Horizonte, Boane, Moçambique, 2012.

HAHN, R. A. Categorias Rikbaktsa de Relações Sociais: uma análise epidemiológica. 1976. Tese (Doutorado em filosofia), 1976b. Tradução para o português de autor desconhecido e publicação autônoma.

JESUS, E. A. O lugar e o espaço na construção do ser kalunga. 2011. 218 f. Tese (Doutorado em Educação Matemática) – Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 2011.

LOBATO, E. A. A etnomatemática como elo entre a pedagogia Rikbaktsa e o espaço escolar. 2020, 181 f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática) - Faculdade de Ciências Exatas e Tecnologia, Universidade do Estado de Mato Grosso, Barra do Bugres, 2020.

MEDIAVILLA, D. Quando os humanos começaram a realizar funerais? In: Jornal El País, 08 de abril de 2018.

MELIÀ, B. Educação indígena na escola. Cadernos Cedes, v. 19, n. 49, p.11-17, 1999.

SANTOS, B. P. A etnomatemática e suas possibilidades pedagógicas: algumas indicações. 2002. Tese (Mestrado – SANTOS (2002) - defendida em novembro de 2002, na Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo.

SILVA, A. A. Os artefatos e mentefatos nos ritos e cerimônias do Danhono: por dentro do Octógono Sociocultural A’uwẽ/Xavante. 2013. 346f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Estadual Paulista “Julho de Mesquita Filho”. Rio Claro - SP.

TUAN, Y. F. Espaço e lugar: a perspectiva da experiência. São Paulo: Difel, 1983.

VERGANI, T. Educação Etnomatemática: o que é? Ed. Flecha do Tempo. Natal, 2007.