Concepções da equipe escolar sobre as necessidades formativas e laborais dos alunos da inclusão

Conteúdo do artigo principal

Cinthia Maria Felicio
https://orcid.org/0000-0002-8362-2846
Jullyana Pimenta Borges Gonçalves
https://orcid.org/0000-0003-3341-2303

Resumo

Este estudo, realizado em uma escola pública estadual em Caldas Novas-GO, objetiva descrever a formação, práticas educativas e  visão da equipe responsável sobre futura inserção de alunos com Necessidades Educacionais Especiais (NEE) no mundo do trabalho. Realizou-se um estudo de caso, de abordagem qualitativa, com uso de entrevista e questionário semiestruturado, aplicados aos coordenadores pedagógicos, professores de apoio (PA) à inclusão e professores regentes (PR) que atuam no Ensino Médio. Os resultados indicam a necessidade de formação docente continuada, voltada à educação inclusiva; melhoria quanto a realização de adequações para favorecer ao aluno com NEE; articulação entre PR e PA para colaboração visando ao desenvolvimento do aluno. Ademais, os responsáveis pela inclusão necessitam ser melhor sensibilizados quanto a relevância da mediação da aprendizagem, essenciais para que o aluno com NEE consiga futura inserção no mundo do trabalho, questão a ser repensada e melhor articulada pelos profissionais responsáveis pela inclusão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Felicio, C. M. ., & Gonçalves, J. P. B. . (2019). Concepções da equipe escolar sobre as necessidades formativas e laborais dos alunos da inclusão. Ensino Em Re-Vista, 26(Especial), 1124–1147. https://doi.org/10.14393/ER-v26nEa2019-8
Seção
Artigos

Referências

ALVES, Z. M. M. B.; SILVA, M. H. G. F. D. da. Análise qualitativa de dados de entrevista: uma proposta. Paidéia, Ribeirão Preto, n. 2, p. 61-69, jul. 1992. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-863X 1992000200007&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 15 Jan. 2018.

ARANHA, M. S. F. (org.). Estratégias para a educação de alunos com necessidades educacionais especiais. Ministério da Educação, Secretaria de Educação Especial: SEESP/MEC, Brasília, 2003.

BARBOSA, E. F.; MOURA, D. G. de. Metodologias ativas de aprendizagem na educação profissional e tecnológica. B. Tec. Senac, Rio de Janeiro, v. 39, n.2, p.48-67, mai./ago. 2013.

BRASIL. Lei nº 4.024, de 20 de dezembro de 1961. Fixa as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, 20 de dezembro de 1961. Disponível em: http:// www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L4024.htm. Acesso em: 15 set. 2018.

______. Lei nº 5.692, de 11 de agosto de 1971. Fixa Diretrizes e Bases para o ensino de 1º e 2º graus, e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L5692.htm. Acesso em: 15 set. 2018.

______. Constituição Federal de 1988. Diário Oficial da União, 5 de outubro de 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/ constituicaocompilado.htm. Acesso em: 16 mar. 2018.

______. Lei nº 9.394 de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, 1996. Disponível em: www.mec.gov.br/leis/ldb9394. Acesso em: 12 out. 2017.

______. Ministério da Educação. Resolução CNE/CEB Nº 2, de 11 de setembro de 2001. Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica. Secretaria de Educação Especial – MEC; SEESP, 2001. Disponível em: http:// portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/diretrizes.pdf. Acesso em: 10 mar. 2018.

______. Decreto nº 5.626, de 22 de dezembro de 2005. Regulamenta a Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras, e o art. 18 da Lei nº 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Diário Oficial República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 23 dez. 2005. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2005/Decreto/D5626.htm. Acesso em: 25 jul. 2018.

______. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. 2008. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/politicaeducespecial.pdf. Acesso em: 28 jan. 2018.

______. Resolução nº 4, de 2 de outubro de 2009. Institui Diretrizes Operacionais para o Atendimento Educacional Especializado na Educação Básica, modalidade Educação Especial. Disponível em: http://portal.mec.gov.br /dmdocuments/rceb004 _09.pdf. Acesso em: 28 jan. 2018.

______. Lei 13.415, de 16 de fevereiro de 2017. Altera a Lei 9.394/96 que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional e 11.494/07 que regulamenta o FUNDEB e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 17 fev. 2017. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2017/Lei/L134 15.htm. Acesso em: 25 mar. 2018.

______. Resolução nº 3, de 21 de novembro de 2018. Atualiza as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Diário Oficial da União, DF, 22 nov. 2018. Disponível em: http://novoensinomedio.mec.gov.br/resources/downloads/pdf/dcnem.pdf. Acesso em: 05 mai. 2019.

CARVALHO, R. E. Escola Inclusiva: a reorganização do trabalho pedagógico. 6. ed. Porto Alegre: Mediação, 2014.

CIAVATTA, M. A formação integrada: a escola e o trabalho como lugares de memória e de identidade. Trabalho Necessário, v. 3, n. 3, p. 1-20, 2005. Disponível em: http://periodicos.uff.br/trabalhonecessario/article/view/6122. Acesso em: 18 nov. 2017.

CIAVATTA, M.; RAMOS, M. Ensino Médio e Educação Profissional no Brasil: dualidade e fragmentação. Retratos da Escola, Brasília, v. 5, n. 8, p. 27-41, jan./jun. 2011. Disponível em: http://retratosdaescola.emnuvens.com.br/rde/article/view/45. Acesso em: 23 set. 2017.

DELL-MASSO, M. C. S. Educação e trabalho: temas a considerar para inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho. In: MIRANDA, T. G.; FILHO, T. A. G., (org.). O professor e a educação inclusiva: formação, práticas e lugares. Salvador: EDUFBA, 2012. p. 423-434.

GARCIA, R. M. C. Política de educação especial na perspectiva inclusiva e a formação docente no Brasil. Revista Brasileira de Educação, v. 18, n. 52, p. 101-239, jan./mar. 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbedu/v18n52/07. Acesso em: 07 jun. 2019.

GHEDIN, E.; FRANCO, M. A. S. Questões de Método na Construção da Pesquisa em Educação. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GOIÁS. Diretrizes operacionais da rede pública estadual de ensino de Goiás 2016/2017. Secretaria de Estado de Educação, Cultura e Esporte. Goiânia, 2016.

JESUS, D. M. de; EFFGEN, A. P. S. Formação docente e práticas pedagógicas: conexões, possibilidades e tensões. In: MIRANDA, T. G.; FILHO, T. A. G. (org.). O professor e a educação inclusiva: formação, práticas e lugares. Salvador: EDUFBA, 2012. p. 17-24.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. de A. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

LEME, M. E. S. Deficiência e o mundo do trabalho: discursos e contradições. Campinas: Autores Associados, 2015.

MANTOAN, M. T. E. Inclusão Escolar O que é? Por quê? Como fazer? São Paulo: Summus, 2015.

MAZZOTTA, M. J. da S. Educação Especial no Brasil: história e políticas públicas. 6. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

MINAYO, M. C. de S. (Org.). Pesquisa Social: Teoria, Método e Criatividade. 21. ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

MOURA, D. H. Educação básica e educação profissional e tecnológica: dualidade histórica e perspectivas de integração. Holos, v. 2, p. 4-30, 2007. Disponível em: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=481549273001. Acesso em: 01 de jul. 2019.

MOUSINHO, R. et al. Mediação escolar e inclusão: revisão, dicas e reflexões. Rev. psicopedag., São Paulo, v. 27, n. 82, p. 92-108, 2010. Disponível em: . Acesso em: 23 jun. 2019.
NASCIMENTO, S. E. A educação profissional: interfaces com a educação especial. In: DÍAZ, F. et al., (org.) Educação inclusiva, deficiência e contexto social: questões contemporâneas (online). Salvador: EDUFBA, 2009, p. 289-301. Disponível em: http://books.scielo.org. Acesso em: 04 jul. 2019.

RAMOS, M. Concepção do ensino médio integrado. Secretaria de Educação do Estado do Pará- Seminário Proeja. 08-09 mai. 2008. Disponível em: https://te cnicadmiwj.files.wordpress.com/2008/09/texto-concepcao-do-ensino-medio-integra do-marise-ramos 1.pdf. Acesso em: 18 mar. 2019.

REDIG, A. G.; GLAT, R. Programa educacional especializado para capacitação e inclusão no trabalho de pessoas com deficiência intelectual. Ensaio, Rio de Janeiro, v. 25, n. 95, p. 330-355, abr. 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/ scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40362017000200330&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 10 jan. 2018.

SAVIANI, D. Trabalho e Educação: Fundamentos ontológicos e históricos. Revista Brasileira de Educação, v.12, n. 34, p.152-165, jan./abr. 2007. Disponível em: www.scielo.br/pdf/rbedu/v12n34/a12v1234.pdf. Acesso em: 18 jan. 2018.

______. Formação de professores: aspectos históricos e teóricos do problema no contexto brasileiro. Revista Brasileira de Educação, v. 14, n. 40, jan./abr. 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbedu/v14n40/v14n40a12. Acesso em: 20 out. 2018.

SEVERINO, J. A. Metodologia do Trabalho Científico. 23. ed. São Paulo: Cortez, 2007.

SILVA, A. F. da; LEITE, T. S. Adequações curriculares e estratégias de ensino em turmas inclusivas: um estudo exploratório no 1º Ciclo. Invest. Práticas, Lisboa, v. 5, n. 2, p. 44-62, set. 2015. Disponível em: http://www.scielo.mec. pt/scielo. php ?script = sci_arttext&pid=S2182-13722015000200004&lng=pt&nrm=iso. Acesso em 01 jul. 2019.

SILVA, M. R. da. A BNCC da reforma do ensino médio: o resgate de um empoeirado discurso. Educação em Revista, Belo Horizonte, v.34, p. 01-15, 2018.

UNESCO. The Salamanca Statement and frameworkfor action on special needs education: [Declaração de Salamanca]. Conferência Mundial sobre Educação para Necessidades Especiais: Acesso e Qualidade, realizada em Salamanca, Espanha, em 7-10 de junho de 1994. Genebra: Unesco, 1994.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. Tradução de Cristhian Matheus Herrera. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2015.

ZABALA, A. A prática educativa: como ensinar. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.