CONHECIMENTOS E TÉCNICAS TRADICIONAIS NA EXPLORAÇÃO DE RECURSOS DOS MANGUEZAIS DA ZONA COSTEIRA DA AMAZÔNIA

Autores

  • Melgris Jose Becerra Ruiz Universidade Federal do Pará (UFPA)
  • Stephanie Jael Negrão de Freitas Universidade Federal do Pará (UFPA)
  • Paulo Amador Tavares Universidade Federal do Pará (UFPA) http://orcid.org/0000-0003-2617-1548
  • Marcia Aparecida da Silva Pimentel Universidade Federal do Pará (UFPA) https://orcid.org/0000-0001-9893-9777

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG228155653

Palavras-chave:

Mudança de Uso e Cobertura da Terra, Comunidades Extrativistas Tradicionais, Saberes Locais

Resumo

Os manguezais são considerados áreas sob pressão antrópica pelo constante aumento da exploração de seus recursos, desmatamento e avanço da urbanização. Essa pesquisa teve por objetivo investigar a mobilização social como forma de construção sustentável do território. Assim, realizou-se um estudo de caso utilizando dados secundários e informações coletadas junto às comunidades. Buscando defender os recursos naturais, os moradores uniram-se formando um conselho para a criação da Reserva Extrativista (RESEX) de São João da Ponta. Os pescadores locais têm até 21 artes de pesca para captura de caranguejo. Esse conhecimento permitiu que eles adaptassem artes menos invasivas e mais sustentáveis ao habitat dos caranguejos. Os dados de mudança de uso e cobertura da Terra mostram que o mangue permaneceu inalterado na região e em 2018 representava 16,67% de toda a vegetação existente no município. A formação de pastagens não apresenta bons resultados, de tal forma que a pecuária no município, além de produzir impactos, não está sendo implantada de maneira produtiva. Ao desenvolver este estudo pôde-se perceber que as soluções para problemas socioambientais nessa região devem surgir a partir da integração do conhecimento técnico com o conhecimento local sobre o território, sendo uma abordagem recomendada para projetos futuros.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Melgris Jose Becerra Ruiz, Universidade Federal do Pará (UFPA)

Possui graduação em Licenciatura en Geografia pela Universidad Central de Venezuela(2008). Tem experiência na área de Geografia.

Stephanie Jael Negrão de Freitas, Universidade Federal do Pará (UFPA)

Mestranda em Ciências Ambientais pelo Programa de Pós Graduação em Ciências Ambientais da Universidade Federal do Pará. Possui graduação em Engenharia Ambiental e Sanitária pela Universidade da Amazônia (2018). Pós graduada em Engenharia de Segurança do trabalho pela Faculdade Ideal Wyden (2020).Tem experiência na área de Engenharia Sanitária, com ênfase em Qualidade do Ar, das Águas e do Solo, Licenciamento Ambiental, Relatórios Ambientais, estudos de viabilidade ambiental, Avaliação de Impacto Ambiental (EIA) vulnerabilidade socioeconômica, gestão de riscos ambientais e tecnológicos, Climatologia e Implantação de Programas de Gerenciamento de Resíduos Solidos em instalações portuárias.

Paulo Amador Tavares, Universidade Federal do Pará (UFPA)

Engenheiro Ambiental formado pela Universidade do Estado do Pará (UEPA) no ano de 2016, tendo cursado perído sanduíche de 14 meses na Limerick Institute of Technology, Irlanda. Mestre em Ciências Ambientais pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais da UEPA. Doutorando em Ciências Ambientais pela Universidade Federal do Pará.

Marcia Aparecida da Silva Pimentel, Universidade Federal do Pará (UFPA)

Geógrafa. Possui bacharelado e licenciatura em Geografia pela Universidade de São Paulo (1989). Mestrado em Geografia (Geografia Física) pela Universidade de São Paulo (1996).Doutorado em Geografia (Geografia Física) pela Universidade de São Paulo (2002). Realizou estágio pós-doutoral no Programa de Geografia Humana da Universidade de São Paulo, no período de agosto de 2013 a janeiro de 2014, financiado pelo Procad-Casadinho (UFPA-USP). Em 2017-2018, realizou o segundo estágio pós-doutoral na Universidad del Oriente, em Santiago de Cuba (Cuba), participando do Programa MES-CUBA,com apoio financeiro da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior-CAPES. É professora efetiva da Universidade Federal do Pará, no curso de Graduação em Geografia, desde 2005. Integra os Programas de Pós-Graduação de Geografia (PPGeo), de Ciências Ambientais (PPGCA) e de Gestão de Riscos e Desastres (PPGGRD- profissional). Coordenadora do Grupo de Estudo Paisagem e Planejamento Ambiental - GEPPAM/UFPA. Atua, principalmente, nos seguintes temas: geoecologia da paisagem, planejamento ambiental, áreas protegidas e comunidades tradicionais.Coordena Programas de Pesquisa e Extensão Universitária em Unidades de Conservação de Uso Sustentável. É colaboradora de projetos de pesquisa na zona costeira paraense.

Downloads

Publicado

01-06-2021

Como Citar

RUIZ, M. J. B.; FREITAS, S. J. N. de; TAVARES, P. A.; PIMENTEL, M. A. da S. CONHECIMENTOS E TÉCNICAS TRADICIONAIS NA EXPLORAÇÃO DE RECURSOS DOS MANGUEZAIS DA ZONA COSTEIRA DA AMAZÔNIA. Caminhos de Geografia, Uberlândia, MG, v. 22, n. 81, p. 265–276, 2021. DOI: 10.14393/RCG228155653. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/55653. Acesso em: 8 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos