DOS PINHEIRAIS À “TERRA DOS TRIGAIS”: COLONIZAÇÃO E TRANSFORMAÇÃO DA PAISAGEM – COLÔNIA MARECHAL HINDEMBURGO (1930-1950)

Autores

  • Marlon Brandt Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG113516141

Palavras-chave:

Paisagem, terras de uso comum, colonização, floresta, desmatamento

Resumo

O seguinte artigo tem como objetivo analisar a transformação da paisagem a partir da instalação da Colônia Marechal Hindemburgo, localizada no município de Fraiburgo, Santa Catarina. A partir da análise da paisagem é possível ler as relações entre os homens e a natureza, integrando as características e os elementos tanto físicos quanto humanos. Até o início da colonização, as terras que formavam a colônia eram ocupadas por diversas famílias posseiras, que, assim como moradores confrontantes às terras, possuíam práticas relacionadas ao uso comum da floresta e de seus recursos naturais em atividades como a criação de animais à solta. A colonização foi um momento de ruptura para essa população, onde, ao longo de duas décadas, a inserção de uma nova sociedade, deu origem a um processo de intervenção humana e transformação da paisagem cada vez mais profundo, devastando a floresta para a formação de lavouras e a exploração de seus recursos madeireiros.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marlon Brandt, Universidade Federal de Santa Catarina

Graduado em História (UDESC) e Geografia (UFSC). Mestre em Geografia (UFSC) e doutorando em História (UFSC).

Downloads

Publicado

15-09-2010

Como Citar

BRANDT, M. DOS PINHEIRAIS À “TERRA DOS TRIGAIS”: COLONIZAÇÃO E TRANSFORMAÇÃO DA PAISAGEM – COLÔNIA MARECHAL HINDEMBURGO (1930-1950). Caminhos de Geografia, Uberlândia, v. 11, n. 35, p. 195–208, 2010. DOI: 10.14393/RCG113516141. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/16141. Acesso em: 19 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos