A formação inicial de professores à luz da psicologia histórico-cultural constituindo saberes para uma prática crítica

Conteúdo do artigo principal

Camila Turati Pessoa
https://orcid.org/0000-0003-0803-2472
Jane Teresinha Domingues Cotrin
https://orcid.org/0000-0001-7064-9444

Resumo

Este artigo apresenta reflexões sobre a formação inicial de professores fundamentada na Psicologia Histórico-Cultural e com vistas a uma atuação crítica na realidade pelo futuro docente da Educação Básica. Propõe a apresentação e apropriação de conceitos essenciais a graduandos do curso de Pedagogia para o desenvolvimento da atividade de ensino com o olhar aos processos de aprendizagem e desenvolvimento humano de maneira crítica e compromissada com a transformação social. Com isso, temos uma proposta de formação que dialogue com os conhecimentos dessa Psicologia considerando a apropriação da cultura como elementos fundantes do processo de humanização. Consideramos, ao final, quais diálogos almejamos constituir entre professores e psicólogos no processo de escolarização.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Pessoa, C. T. ., & Cotrin, J. T. D. . (2022). A formação inicial de professores à luz da psicologia histórico-cultural: constituindo saberes para uma prática crítica. Obutchénie. Revista De Didática E Psicologia Pedagógica, 6(1), 224–245. https://doi.org/10.14393/OBv6n1.a2022-64392
Seção
DOSSIÊ
Biografia do Autor

Camila Turati Pessoa, Universidade Federal de Uberlândia - Brasil

ORCID: https://orcid.org/0000-0003-0803-2472

Jane Teresinha Domingues Cotrin, Universidade Federal de Mato Grosso - Brasil

ORCID: https://orcid.org/0000-0001-7064-9444

Referências

ASBAHR, F. S. F.; MENDONÇA, A. B. J. Atividade de estudo e sentido pessoal: uma revisão teórica. Obutchénie: Revista de Didática e Psicologia Pedagógica. 2 (3), 2018. DOI: https://doi.org/10.14393/OBv2n3.a2018-47450.

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Pedagogia, licenciatura. Resolução CNE/CP 1/2006. Diário Oficial da União, Brasília, 16 de maio de 2006, Seção 1, p. 11. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rcp01_06.pdf.

ELKONIN, D. B. Sobre o problema da periodização do desenvolvimento psíquico na infância. In: LONGAREZI, Andréa Maturano; PUENTES, Roberto Valdés (Orgs.) Ensino Desenvolvimental. Antologia. Livro 1. 1. ed. Uberlândia: Edufu, 2017.

GATTI, B. A. O que é psicologia da educação? Ou, o que ela pode vir a ser como área de conhecimento? PEPG Em Educação: Psicologia da Educação. N. 5, 1997, pp. 73-90. Disponível em https://revistas.pucsp.br/index.php/psicoeduca/article/view/42902.

LEONARDO, N. S. T.; LEAL, Z. F. R. G.; ROSSATO, S. P. M. A naturalização das queixas escolares em periódicos científicos: contribuições da Psicologia Histórico-Cultural. Psicologia Escolar e Educacional, 19 (1), 2015. DOI: https://doi.org/10.1590/2175-3539/2015/0191816.

LEONTIEV, A. N. O desenvolvimento do psiquismo. Lisboa: Horizonte Universitário. (Obra original publicada em 1975), 1978.

LEONTIEV, A. N. Actividad, Conciencia, Personalidad. Habana: Editorial Pueblo y Educación. (Obra original publicada em 1975), 1983.

MEIRA, M. E. M. Incluir para continuar excluindo: a produção da exclusão na Educação Brasileira à luz da Psicologia Histórico-Cultural. In: FACCI, M. G. D., MEIRA, M. E. M.; TULESKI, S. C. A exclusão dos “incluídos”– uma crítica da Psicologia da Educação à patologização e medicalização dos processos educativos. Maringá: Eduem, 2012.

MEIRA, Marisa Eugênia Melilo. Psicologia escolar: pensamento crítico e praticas profissionais. Em: TANAMACHI, Elenita; PROENÇA, Marilene e ROCHA, Marisa Lopes. Psicologia e Educação: desafios teórico-práticos. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2000.

MOREIRA, G. R.; COTRIN, J. T. D. Queixa escolar e atendimento psicológico na rede de saúde: contribuições para o debate. Psicologia Escolar e Educacional, 20 (1), 2016. DOI: https://doi.org/10.1590/2175-353920150201938.

NASCIUTTI, F. M. B; SILVA, S.M. C. O processo de ensinar/aprender uma perspectiva crítica em psicologia escolar e educacional. Psicologia em Estudo, 19 (1), pp. 25-37, 2014. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1413-7372207600003.

PATTO, M. H. S. Psicologia e ideologia: uma introdução crítica à psicologia escolar. São Paulo: T. A. Queiroz, 1984.

PESSOA, C. T.; LEONARDO, N. S. T. Sentido pessoal e atividade docente pela Psicologia Histórico-Cultural. Revista PUC-Campinas. V. 25, 2020, pp. 1 – 15. Disponível em: https://seer.sis.puc-campinas.edu.br/seer/index.php/reveducacao/article/view/4611/3023.

PESSOA, C. T. “Ser professora”: um estudo do sentido pessoal sobre a atividade docente a partir da Psicologia Histórico-Cultural. Tese de Doutorado. Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Universidade Estadual de Maringá, Maringá, PR, 2018.

SANTOS, R. E. O. Pedagogia histórico-crítica: que pedagogia é essa? Horizontes, v. 36, n. 2, p. 45-56, mai./ago, 2018.

SAVIANI, D. Pedagogia Histórico-Crítica primeiras aproximações. 11.ed. Campinas: Autores Associados, 2013.

SOARES, P. G.; MARINHO-ARAÚJO, C. M. Práticas Emergentes em Psicologia Escolar: a mediação no desenvolvimento de competência dos educadores sociais. Revista Semestral da Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional (Online), 14 (1), pp. 45-54, 2010.

TANURI, L. M. História da formação de professores. Revista Brasileira de Educação. Mai/Jun/Jul/Ago, 14, 2000.

VIGOTSKI, L. S. Teoria e método em Psicologia. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

VIGOTSKI, L. S. A construção do pensamento e da linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 2001.