A atividade de estudo na produção do conhecimento histórico escolar

Conteúdo do artigo principal

Olavo Pereira Soares
https://orcid.org/0000-0003-0887-9227

Resumo

O texto trata da atividade de estudo e das suas potencialidades nos processos de produção do conhecimento histórico escolar. No primeiro momento, são analisadas três categorias essenciais desta proposta didática: as tarefas de estudo, a motivação e a aprendizagem conceitual. O referencial teórico sobre tais categorias está baseado em precursores da teoria histórico-cultural e dos pesquisadores que desenvolveram as categorias básicas para a compreensão da atividade de estudo enquanto perspectiva teórico-metodológica para a didática. Na segunda parte apresenta proposições e princípios que sejam plausíveis de ser recomendados tanto para os professores que atuam nas práticas escolares quanto para as pesquisas que se dedicam ao ensino e a aprendizagem da história na escola. O artigo destaca que a atividade de estudo é um referencial teórico-metodológico que abre promissoras possibilidades de melhorias qualitativas para a produção do conhecimento histórico escolar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Soares, O. P. . (2021). A atividade de estudo na produção do conhecimento histórico escolar. Obutchénie. Revista De Didática E Psicologia Pedagógica, 5(3), 726–743. https://doi.org/10.14393/OBv5n3.a2021-59161
Seção
DOSSIÊ

Referências

BITTENCOURT, Circe M. F. O ensino de história: fundamentos e métodos. São Paulo: Cortez, 2005.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC, 2017.

CARONE, Iray. Adorno em Nova York: Os estudos de Princeton sobre a música no rádio (1938-1941). São Paulo: Alameda, 2019.

DAVÍDOV, Vasily V. Tipos de generalización en la enseñanza. Habana: Editorial Pueblo y Educación, 1978.

DAVÍDOV, Vasily V. Uma nova abordagem para o entendimento e estrutura da atividade. In: PUENTES, Roberto Valdés; CARDOSO, Cecília Garcia C.; AMORIM, Paula Alves Prudente (org.). Teoria da atividade de estudo: contribuições de D. B. Elkonin. V. V. Davídov e V. V. Repkin. Livro I. 2a edição. Curitiba: CRV; Uberlândia: EDUFU, 2020, p. 289-302.

DAVÍDOV, Vasily V; MÁRKOVA. A. A concepção de atividade de estudos dos alunos. In: PUENTES, Roberto Valdés; MELLO, Sueli. A. (org.). Teoria da atividade de estudo. Livro II. Contribuições de pesquisadores brasileiros e estrangeiros. Uberlândia: EDUFU, 2019, p. 191-212.

ELKONIN, D. B. Estrutura da atividade de estudo. In: PUENTES, Roberto Valdés; CARDOSO, Cecília Garcia C.; AMORIM, Paula Alves Prudente (org.). Teoria da atividade de estudo: contribuições de D. B. Elkonin. V. V. Davídov e V. V. Repkin. Uberlândia: EDUFU, 2020, p. 147-156.

FERNANDES, Alex de Oliveira; GOMES, Suzana dos Santos. Interfaces entre Avaliação e Currículo de História no Ensino Médio. Educação e Realidade. Porto Alegre. v. 43, n. 4. p. 1363-1384, 2018.

FONSECA, Selva Guimarães. Caminhos da história ensinada. Campinas: Papirus, 2003.

ILYENKOV, Evald V. Our Schools Must Teach How to Think! Journal of Russian and East European Psychology, vol. 45, no. 4, 2007.

LEONTIEV, A. O desenvolvimento do psiquismo. São Paulo: Moraes, s.d.

LEONTIEV, A. Actividad, conciencia y personalidad. Buenos Aires: Ediciones Ciencias del hombre, 1978.

MONTEIRO, Juliana R. M.; SOARES, Olavo P. De boas intenções o inferno está cheio: as metodologias de ensino nos livros didáticos de história. História & Ensino, Londrina, v. 25, n. 1, 2019.

REPKIN, V. V. Ensino desenvolvente e atividade de estudo. In: PUENTES, Roberto Valdés; MELLO, Sueli. A. (org.). Teoria da atividade de estudo. Livro II. Contribuições de pesquisadores brasileiros e estrangeiros. Uberlândia: EDUFU, 2019, p. 213-240.

SOARES, Olavo P. A atividade de ensino de história: processo de formação de professores e alunos. Araraquara, SP: Junqueira & Marin, 2008.

VIGOSTKI, Lev S. Génesis de las funciones psíquicas superiores. In: VIGOSTKI, Lev S. Obras escogidas III. Madrid: Visor, 2000, p.139-168.

VIGOSTKI, Lev S. A construção do pensamento e da linguagem. Trad. Paulo Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, 2001.