Abordagem socioantropológica da surdez, Língua de Sinais e Educação Bilíngue uma perspectiva histórica e cultural

Conteúdo do artigo principal

Márcia Cristina Barreto Fernandes de Abreu
https://orcid.org/0000-0001-9571-6682

Resumo

O artigo apresenta aspectos relativos aos conceitos de Defectologia, da abordagem socioantropológica da surdez com o intuito de defender a tese de que o desenvolvimento da atividade simbólica na surdez demanda o acesso à Cultura Surda e a Língua de Sinais, características específicas da comunidade surda, sendo a família e a escola os espaços privilegiados para o desenvolvimento do pensamento e da linguagem nas pessoas surdas. Ao final analisaremos informações coletadas em entrevistas com uma estudante surda, Iara, de 13 anos, concluinte do Ensino Fundamental em uma escola pública que comprova a eficiência da Libras na constituição dos conceitos na pessoa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Abreu, M. C. B. F. de . (2020). Abordagem socioantropológica da surdez, Língua de Sinais e Educação Bilíngue : uma perspectiva histórica e cultural. Obutchénie. Revista De Didática E Psicologia Pedagógica, 4(3), 711–734. https://doi.org/10.14393/OBv4n3.a2020-58434
Seção
Dossiê: Psicologia Pedagógica em interface com estudos socioantropológicos numa

Referências

ABREU, M. C. B. F. A constituição de surdos em alunos no contexto escolar: conflitos, contradições e exclusões. 2016. 175f. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Federal de 2016, Uberlândia, 2016. DOI: https://doi.org/10.14393/ufu.te.2016.60

ALVES, C. B. A. Educação especial na perspectiva da inclusão escolar: Abordagem Bilíngue na escolarização de pessoas com surdez. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Especial. Brasília: MEC, 2010.

CHOMSKY, N. Knowledge of linguage, its nature, origin and use. New York: Praeger, 1986.

LACERDA, C. B. F. Um pouco da história das diferentes abordagens na educação dos surdos. Caderno CEDES, v 19, n. 46, 1998. DOI: https://doi.org/10.1590/s0101-32621998000300007

LURIA, A. R. Desenvolvimento cognitivo: seus fundamentos culturais e sociais (Trad. BARRETO, O, de A. e M.). Ícone. São Paulo. 1990.

LURIA, A. R. Pensamento e linguagem: as últimas conferências de Luria. Porto Alegre: ARTMED, 2001.

PETEAN, E. B. J.; BORGES, C. D. Deficiência auditiva: escolarização e aprendizagem de língua de sinais na opinião das mães. Paidéia, Ribeirão Preto, v. 12, n. 24, 2002. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-863X2002000300008.

QUADROS, R. M.; CRUZ, R. R. Língua de sinais: instrumentos de avaliação. Porto Alegre: Artmed, 2011.

QUADROS, R. M.; KARNOPP, L. B. Língua de sinais brasileira: estudos linguísticos. Porto Alegre: Artmed, 2004.
SÁ, N. A. L. Existe uma cultura surda? (Artigo). In: Cultura, poder e educação de surdos. São Paulo. Paulinas, 2006.

SACKS, O. Vendo Vozes: uma viagem ao mundo dos surdos. Trad.: MOTA, L. São Paulo. Cia da Letras, 2000.

SKLIAR, C. A surdez: um olhar sobre as diferenças. Porto Alegre: Dimensão, 1998.

STROBEL, K. História da educação de surdos. 2009. 49f. 2009. Dissertação [Licenciatura em Letras - LIBRAS na modalidade à distância] - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2009.

VIGOTSKI, L. S. Fundamentos de Defectologia. Obras Escogidas, vol. V, Madrid. Visor Dias, S.A. 1997.

VIGOTSKI, L. S. A construção do pensamento e da linguagem. Martins Fontes. São Paulo. 2001.