O uso do blog na alfabetização

Conteúdo do artigo principal

Raquel Pereira Soares
https://orcid.org/0000-0001-8178-203X

Resumo

O  presente  resumo  é  resultado  do  trabalho  de  pesquisa  de  mestrado  intitulado  “O  uso  do  blog  na  alfabetização”  realizado  sob  a  orientação  da  professora  Dra.  Adriana Pastorello   Buim   Arena   e   defendida   no   ano   de   2013   na   Faculdade   de   Educação   da  Universidade  Federal  de  Uberlândia. A   principal   motivação   que   originou   a   presente   investigação   foi   o   intuito   de estudar   o   ensino   da   língua   portuguesa   vinculada   a   uma   prática   criativa   e   “viva”  assim   como   propunha   o   professor   Celestin   Freinet   (1896‑1966).   Freinet   iniciou,   na  escola  onde  trabalhava,  na  França,  um  movimento  de  livre  expressão  das  crianças,  em   que   elas   e   suas   linguagens,   como   o   desenho   e   a   escrita,   eram   o   eixo   de   sua pedagogia  e  instrumento  desta  expressão.  Freinet  se  inseriu  na  tendência  crítica  da  educação  e  inovou  as  práticas  pedagógicas  do  seu  tempo,  pois,  para  ele, “a  educação  que  a  escola  dava  às  crianças  deveria  extrapolar  os  limites  da  sala  de  aula  e  integrar‑se  às  experiências  por  elas  vividas”  (OLIVEIRA,  2002,  p.  77).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Soares, R. P. (2017). O uso do blog na alfabetização. Obutchénie. Revista De Didática E Psicologia Pedagógica, 1(3), 627–636. https://doi.org/10.14393/OBv1n3a2017-10
Seção
Resumo de Teses e Dissertações

Referências

FARIA, M. A. O jornal na sala de aula.9. ed. São Paulo: Contexto, 2007.

______. Como usar o jornal na sala de aula. 8. ed. São Paulo: Contexto, 1996.

CALIL, E. A Rainha Comilona: dialogismo e memória na escritura escolar. Bakhtiniana, São Paulo, v. 7, n. 1, p. 24-­‐‑45,jan./jun. 2012.

______. Rasuras orais em Madrasta e as duas irmãs: processo de escritura de uma díade recém‑alfabetizada. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 38, n. 03, p. 589-­‐‑602, jul./set. 2012a.

FREINET, C.O Jornal Escolar. São Paulo: Martins Fontes Lisboa: Estampa, 1974.

FREINET, C.; BALESSE, L. A leitura pela impressa na escola. Lisboa: Dina livros, 1977.

FREITAS, M. T. A. Escrita teclada: uma nova forma de escrever?Trabalho apresentado na 23ª Reunião Anual da Associação Nacional de Pós-­‐‑Graduação e Pesquisa em Educação. Caxambu, 2000. Disponível em: < http://www.anped.org.br/reunioes/23/textos/1011t.pdf>. Acesso 08 set. 2012.

HERR, N. Aprendendo a ler com o jornal. Belo Horizonte: Dimensão, 1988.

______.100 fichas práticas para explorar o jornal na sala de aula. Belo Horizonte: Dimensão, 1994.

OLIVEIRA, Z. R. Educação Infantil: fundamentos e métodos. São Paulo: Cortez, 2002. p. 57-120.

PIMENTA, S. G. Pesquisa‑ação crítico‑colaborativa: construindo seu significado a partir de experiências com a formação docente. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 3, p. 521-­‐‑539, set./dez. 2005.

SCHNEUWLY, B. DOLZ, J. Gêneros orais e escritos na escola. 3 ed. Campinas: Mercado das letras, 2011.

VIGOTSKII, L. S. Aprendizagem e desenvolvimento intelectual na idade escolar. In: VIGOTSKII, L. S.; LURIA, A. R.; LEONTIEV, A. N. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. 3ª ed. São Paulo: Icone, 1988. cap. 6, p. 103-­‐‑118.