MENSURAÇÃO DA PROTEINA C-REATIVA NA INFECÇÃO EXPERIMENTAL POR EHRLICHIA CANIS (AMOSTRA JABOTICABAL) E APOS O TRATAMENTO COM CLORIDRATO DE DOXICICLINA EM CAES

Autores

  • Thiago Demarchi Demarchi Munhoz Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias - UNESP - Jaboticabal
  • Joice Lara Maia Lara Maia Faria Universidade de Uberaba
  • Giovanny Vargas Hernandes GV Hernandes Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias - UNESP - Jaboticabal
  • Carolina Franchi João CF João Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias - UNESP - Jaboticabal
  • Wanderson A. B. Pereira wab pereira Universidade de Uberaba
  • Marcos Rogério André MR André Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias - UNESP - Jaboticabal
  • Rosângela Zacarias Machado RZ Machado Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias - UNESP - Jaboticabal
  • Mirela Tinucci Costa M Tinucci-Costa Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias - UNESP - Jaboticabal

Palavras-chave:

Ehrlichia canis, infecção experimental, cloridrato de doxiciclina

Resumo

A erliquiose canina é uma doença de alta incidência na região nordeste do Estado de São Paulo, sendo responsável pela morte de muitos cães. O diagnóstico precoce favorece a pronta instituição do tratamento e melhora o prognóstico do animal. O presente estudo objetivou avaliar a resposta ao tratamento com o cloridrato de doxiciclina em cães experimentalmente infectados com Ehrlichia canis amostra Jaboticabal. Exame físico, hemograma, nested PCR, detecção de anticorpos anti-E. canis e pesquisa de mórulas foram realizados em períodos pré-determinados. Os resultados mostraram que os sinais clínicos da doença tornaram-se evidentes por volta do 17º dia de infecção. Trombocitopenia foi registrada a partir do 3º dia de infecção. Mórulas intracitoplasmáticas foram detectadas a partir do 15º dia. Títulos sorológicos anti-E. canis, variando de 1:2560 a 1:5120, e nPCR positiva foram evidenciados no 18º dia. Nas avaliações após o tratamento os cães infectados estavam assintomáticos, com nPCR negativo e acentuada redução dos títulos de anticorpos específicos. Conclui-se que o tratamento com cloridrato de doxiciclina (5mg/Kg/VO/BID/21 dias) é eficiente em erradicar a infecção pela amostra E. canis de Jaboticabal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thiago Demarchi Demarchi Munhoz, Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias - UNESP - Jaboticabal

Médica Veterinária, Profa. do Curso de Medicina Veterinária da Universidade de Uberaba - UNIUBE. Aluna do Programa de Pós-graduação em Medicina Veterinária/ Clínica Médica da FCAV/ UNESP/ Campus de Jaboticabal.

Wanderson A. B. Pereira wab pereira, Universidade de Uberaba

Médico Veterinário, Prof. Dr. Curso de Medicina Veterinária da Universidade de Uberaba - UNIUBE

Downloads

Publicado

2011-04-20

Como Citar

Munhoz, T. D. D., Faria, J. L. M. L. M., Hernandes, G. V. H. G., João, C. F. J. C., pereira, W. A. B. P. wab, André, M. R. A. M., Machado, R. Z. M. R., & Tinucci-Costa, M. T. C. M. (2011). MENSURAÇÃO DA PROTEINA C-REATIVA NA INFECÇÃO EXPERIMENTAL POR EHRLICHIA CANIS (AMOSTRA JABOTICABAL) E APOS O TRATAMENTO COM CLORIDRATO DE DOXICICLINA EM CAES. Veterinária Notícias - Vet Not, 15(2). Recuperado de https://seer.ufu.br/index.php/vetnot/article/view/18918

Edição

Seção

Artigos