Dinâmica de ocupação espacial de áreas contíguas (Período 1987-2008) e sua relação com tensores de origem antrópica no manguezal do Rio Cachoeira, Ilhéus, Bahia / Spatial occupation dynamic of the adjacencies areas (period 1987-2008) and your relation with anthropic tensors in the mangrove forest at Cachoeira River, Ilhéus, Brazil
PDF

Como Citar

MARTINS, P. T. de A.; WANDERLEY, L. de L. Dinâmica de ocupação espacial de áreas contíguas (Período 1987-2008) e sua relação com tensores de origem antrópica no manguezal do Rio Cachoeira, Ilhéus, Bahia / Spatial occupation dynamic of the adjacencies areas (period 1987-2008) and your relation with anthropic tensors in the mangrove forest at Cachoeira River, Ilhéus, Brazil. Sociedade & Natureza, [S. l.], v. 21, n. 2, 2009. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/sociedadenatureza/article/view/9566. Acesso em: 22 maio. 2022.

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo identificar, por meio de técnicas de geoprocessamento, alterações espaciais ocorridas no manguezal do Rio Cachoeira, Ilhéus, Bahia, e áreas adjacentes, no período de 21 anos, correlacionando-a com elementos de origem antrópica. Foram identificadas e mapeadas quatro classes temáticas: manguezal, água, urbano, e sistemas adjacentes. Ao longo dos anos houve o avanço da área urbana em detrimento das de manguezal e dos demais sistemas adjacentes, aumentando concomitantemente a pressão antrópica sobre os mangues. Problemas de ordem econômica e conseqüente flutuação da população no município ocasionaram a ocorrência de diversas formas de supressão sobre o mangue, como o corte, aterro, lançamento de resíduos sólidos, etc. associadas à baixa qualidade de vida no entorno do manguezal. Em contrapartida, houve a conservação de parte do mangue, devido ao difícil acesso na margem oposta à cidade, em associação à presença de Reserva Particular do Patrimônio Natural. O avanço das pressões antrópicas identificados no período e a atual situação vão contra a possibilidade de regeneração natural possível ao ecossistema. Mesmo que eliminado o fator estresse, o metabolismo do sistema pode apresentar implicações negativas irreversíveis. Permanecendo o ritmo e a forma de alteração registrada nos últimos anos, o ganho de território sobre os manguezais do rio Cachoeira dificilmente será interrompido nos próximos anos. Assim, o município ganha território, e perde um ecossistema de inestimável valor, podendo acarretar problemas sociais num futuro próximo.
PDF

Direitos Autorais para artigos publicados nesta revista são do autor, com direitos de primeira publicação para a revista. Em virtude de aparecerem em revista de acesso público, os artigos são licenciados sob Creative Commons Attribution (BY), que permite o uso irrestrito, distribuição e reprodução em qualquer meio, desde que o trabalho original seja devidamente citado.

 
 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...