Arenização: dinâmica climática atual, erosiva-deposicional e de usos e cobertura da terra no Pampa brasileiro
PDF-pt
PDF-en (English)

Palavras-chave

Dinâmica eólica continental
Quaternário
formações superficiais
Dinâmicas agrícolas

Como Citar

GOMES, T. C.; VERDUM, R.; LAURENT, F.; SILVA, N. L. Arenização: dinâmica climática atual, erosiva-deposicional e de usos e cobertura da terra no Pampa brasileiro. Sociedade & Natureza, [S. l.], v. 34, n. 1, 2022. DOI: 10.14393/SN-v34-2022-64606. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/sociedadenatureza/article/view/64606. Acesso em: 10 ago. 2022.

Resumo

No Oeste do estado do Rio Grande do Sul, há manchas de areia (denominadas areais) inseridas na paisagem do Pampa brasileiro. Estes areais são associados a depósitos eólicos instáveis e/ou estáveis e representam a herança de climas mais secos do que o atual, fornecendo evidências paleoclimáticas importantes para a compreensão da evolução desta paisagem. Atualmente, os depósitos de areia, que têm sua gênese em climas secos, estão sujeitos, ao mesmo tempo, à ação eólica, nas estações secas, e às erosões superficial e subsuperficial, em estações chuvosas, o que remobiliza os sedimentos inconsolidados, dando início ao processo de arenização e à formação de areais. Propõe-se, neste estudo, identificar, classificar e mapear estas paleofeições eólicas (depósitos eólicos estáveis e areais), na sequência, busca-se compreender suas dinâmicas erosiva e deposicional e, por fim, avaliar os contextos da evolução e da pressão agrícola dos sistemas de pastoreio e das monoculturas na área de estudo, os quais caracterizam o Pampa. Pode-se afirmar que os depósitos eólicos estáveis exibem formas remodeladas pelas erosões pluvial e fluvial, apresentando, ainda, diferentes graus de preservação morfológica, em relação àquelas do passado recente, razão pela qual o relevo de colinas atuais pode ser associado aos campos de dunas longitudinais do Holoceno. Quanto à dinâmica agrícola, a conversão de uso destas colinas, sobretudo, de campo herbáceo, utilizado para o pastoreio, em áreas de monoculturas arbóreas e de grãos intensificou a pressão sobre os recursos hídricos, sobre a vegetação herbácea e sobre os solos (Neossolos Quartzarênicos), particularmente sensíveis às erosões hídrica e eólica.

https://doi.org/10.14393/SN-v34-2022-64606
PDF-pt
PDF-en (English)

Referências

ALMEIDA, F.; TAPAHUASCO, W. F. C.; ODY, L. P.; CAMPAGNOLO, L. B. Estudos de correlação granulométrica de distintos solos de origem eólica. In: 9º SIEPE – SALÃO INTERNACIONAL DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO. Anais... Disponível em: https://guri.unipampa.edu.br/uploads/evt/arq_trabalhos/12492/seer_12492.pdf. Acesso em: setembro 18, 2021.

AGÊNCIA NACIONAL DE ÁGUAS (ANA). Base Hidrográfica Ottocodificada da Bacia do Rio Uruguai. Disponível em: https://metadados.snirh.gov.br/geonetwork/srv/api/records/3d6a7031-5b18-45ea-ab41-39911975e51a. Acesso em: março 23, 2022.

BRASIL. Exército Brasileiro. [Seleção de fotos aéreas] /Diretoria de Serviço Geográfico - 1ª Divisão de Levantamento do Exército Brasileiro. 1965; 1990. Não publicado.

BRASIL. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Centro Estadual de Pesquisas em Sensoriamento Remoto e Meteorologia. [Metadados em Shapefiles] / Laboratório de Geoprocessamento e Análise Ambiental (LAGAM). Não publicado.

CORBONNOIS, J.; LAURENT, F.; ANDREU-BOUSSUT, Vincent; MESSNER, F.; VIEIRA, R. M.; SOGUE, M. L’intensification des pratiques agricoles et la mobilisation des ressources naturelles dans La Pampa du Sud du Brésil. Vertigo, v. 14, n. 1, maio 2014. https://doi.org/10.4000/vertigo.14590

DANTAS, M. E.; VIERO, A. C.; SILVA, D. R. A. Origem das Paisagens do estado do Rio Grande do Sul. In: VIERO, A. C.; SILVA, D. R. A. da. (Org.). Geodiversidade do Estado do Rio Grande do Sul. 1. ed. Porto Alegre: CPRM, 2010. v. 1, p. 35-50. Disponível em:https://rigeo.cprm.gov.br/handle/doc/16774>. Acesso em: junho 15, 2021.

DSG - Diretoria de Serviço Geográfico: 1ª Divisão de Levantamento do Exército Brasileiro. Porto Alegre/RS. Fotos aéreas do município de Alegrete, RS – Ano: 1990.

DSG - Diretoria de Serviço Geográfico: 1ª Divisão de Levantamento do Exército Brasileiro: Porto Alegre/RS. Foto aérea do município de Alegrete, RS – Ano: 1964.

GIANNINI, P. C. F.; ASSINE, M. L.; BARBOSA, L.; BARRETO, A. M. F.; CLAUDINO-SALES, V.; MAIA, L. P.; MARTINHO, C. T.; PEULVAST, J.; SAWAKUCHI, A. O.; TOMAZELLI, L. J. Dunas e paleodunas eólicas costeiras e interiores. In: SOUZA, C. R. de G.; SUGUIO, K.; OLIVEIRA, A. M. dos S.; OLIVEIRA, P. E. de. (Org.). Quaternário do Brasil. São Paulo: Holos Editora, 2005. p. 235-257. ISBN 85-86699-47-0.

GOMES, T. C. Feições eólicas quaternárias e vulnerabilidades agrícolas em áreas de Arenização no Pampa Brasileiro. 2019. 294 f. Tese (Doutorado em Geografia) – Programa de Pós-Graduação em Geografia, Instituto de Geociências, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2019. Disponível em: http://hdl.handle.net/10183/200720. Acesso em: março 22, 2022.

GUASSELLI, L. A. O mapeamento de areias a partir de sensoriamento remoto. In: SUERTEGARAY, D. M. A.; SILVA, L. A. P. da; GUASSELLI, L. A. (Org.). Arenização: natureza socializada. Porto Alegre: Compasso Lugar-Cultura; Imprensa Livre, 2012. p. 97-123. ISBN 978-85-7697-318-8.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Agropecuário 2006. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/economicas/agricultura-e-pecuaria/9827-censo-agropecuario.html?edicao=9830&t=sobre. Acesso em: mar 22, 2022.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Produção Agrícola Municipal, 1982. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/economicas/agricultura-e-pecuaria/9117-producao-agricola-municipal-culturas-temporarias-e-permanentes.html?=&t=o-que-e. Acesso em: março 23, 2022.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Produção Agrícola Municipal, 2016. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/economicas/agricultura-e-pecuaria/9117-producao-agricola-municipal-culturas-temporarias-e-permanentes.html?=&t=o-que-e. Acesso em: março 23, 2022.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Agropecuário 1980. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/economicas/agricultura-e-pecuaria/9827-censo-agropecuario.html?edicao=9830&t=sobre. Acesso em: mar 24, 2022.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Manual técnico de Uso da Terra. 3. ed. 2013. (Manuais técnicos em Geociências, 7). Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv81615.pdf. Acesso em: setembro 18, 2021.

INPE - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. Banco de Dados Geomorfométricos do Brasil – Projeto TOPODATA. 2008. Disponível em: http://www.dsr.inpe.br/topodata/acesso.php.

Acesso em: maio 15, 2017.

PFALTZGRAFF, P. A. dos S.; FERREIRA, R. V. Cartografia das Formações Superficiais na Região Metropolitana do Recife. In: IX Congresso Da Associação Brasileira de Estudos do Quaternário, Recife, 2003. Anais... Recife, 2003. Disponível em: https://www.abequa.org.br/trabalhos/0224_cartografia_das_formacoes_superficiais.pdf. Acesso em: março 22, 2022.

ROSSATO, M. S. Os climas do Rio Grande do Sul: variabilidade, tendências e tipologia. 2011. 240 f. Tese (Doutorado em Geografia) – Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2011. Disponível em: http://hdl.handle.net/10183/32620. Acesso em: março 22, 2022.

SUERTEGARAY, D. M. A. A trajetória da Natureza: um estudo geomorfológico sobre os areais de Quaraí - RS. 1987. 243 f. Tese (Doutorado em Geografia) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1987.

SUERTEGARAY, D. M. A.; GUASSELI, L. A.; VERDUM, R.; BASSO, L. A.; MEDEIROS, R. M. V.; BELLANCA, E. T.; BERTÊ, A. M. de A. Projeto Arenização no Sudoeste do Rio Grande do Sul, Brasil: gênese, dinâmica e espacialização. Revista Bibliográfica de Geografía y Ciencias Sociales, Barcelona, Univ. de Barcelona, n. 287, mar. 2001. ISSN 1138-9796. Disponível em: http://www.ub.edu/geocrit/b3w-287.htm. Acesso em: agosto 6, 2014.

SUERTEGARAY, D. M. A.; MOURA, N. S. V. Morfogênese do Relevo do Estado do Rio Grande do Sul. In: VERDUM, R.; BASSO, L. A.; SUERTEGARAY, D. M. A. (Org.). Rio Grande do Sul: paisagens e territórios em transformação. 2. ed. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2012. p. 11-26.

SUERTEGARAY, D. M. A.; VERDUM, R. Desertification in the Tropics. Encyclopedia of Life Support Systems. Paris: UNESCO Publishing, 2008. p. 1-17. Disponível em: https://www.eolss.net/sample-chapters/c20/E6-142-DE-03.pdf. Acesso em: março 22, 2022.

SUERTEGARAY, D. M. A.; VERDUM, R.; GUASSELLI, L. A. (Org.). Atlas da Arenização, Sudoeste do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Secretaria da Coordenação e Planejamento e Secretaria de Ciência e Tecnologia, Governo do Estado do Rio Grande do Sul, 2001. 85 p.

VERDUM, R. Approche géographique des “déserts” dans les communes de São Francisco de Assis et Manuel Viana, État du Rio Grande do Sul, Brésil. 1997. 211 f. Tese (Doutorado) – Université de Toulouse II, Le Mirai, 1997. Disponivel em: http://hdl.handle.net/10183/12433. Acesso em: março 22, 2022.

VERDUM, R. Falta controle sobre a poluição por agrotóxicos das águas do Pampa. Entrevista cedida a Vitor Necchi. Revista Instituto Humanitas Unisinos/ADITAL [on-line], 8 fev. 2017. Disponível em: http://www.ihu.unisinos.br/?id=564647. Acesso em: novembro 4, 2018.

VERDUM, R. Paisagem do Pampa: monotonia que se rompe no espaço e no tempo. In: CHOMENKO, L.; BENCKE, G. A. (Org.). Nosso Pampa Desconhecido. Porto Alegre: Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul, 2016. 50 p. Disponível em: http://www.fzb.rs.gov.br/upload/20160429181829nosso_pampa_desconhecido.pdf. Acesso em: setembro 18, 2021. ISBN 978-85-60378-12-8.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2021 Tania Cristina Gomes, Roberto Verdum, François Laurent, Neemias Lopes Silva

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...