Conflitos pela água no Brasil
PDF-pt
PDF-en (English)

Palavras-chave

Crise Hídrica
Divisão Internacional do Trabalho
Justiça Ambiental

Como Citar

PEIXOTO, F. da S.; SOARES, J. A.; RIBEIRO, V. S. . Conflitos pela água no Brasil. Sociedade & Natureza, [S. l.], v. 34, n. 1, 2021. DOI: 10.14393/SN-v34-2022-59410. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/sociedadenatureza/article/view/59410. Acesso em: 12 ago. 2022.

Resumo

A gestão de recursos hídricos é a forma com o qual se busca resolver problemas de escassez relativa da água. Entretanto, a forma como os recursos hídricos estão sendo geridos no Brasil não tem mitigado ou resolvido os conflitos decorrentes; muito pelo contrário, as estruturas hierárquicas ligadas ao sistema de gestão de recursos hídricos têm fortalecido a atuação de grupos hegemônicos. Esse artigo busca entender os conflitos gerados a partir da apropriação dos recursos hídricos e sua relação com o modelo econômico mineral-agroexportador, consolidando o Brasil em uma situação desprivilegiada no contexto de subdesenvolvimento na divisão mundial do trabalho. Para isso, foram realizadas a descrição e a cartografia dos conflitos pela água no Brasil, disponibilizados pela Comissão Pastoral da Terra – CPT. A água tem sido alvo de enormes demandas para a produção de grãos e pecuária no Centro Oeste, fruticultura irrigada em vales úmidos no Nordeste semiárido, expansão do setor hidrelétrico na Região Norte do País e atividades de mineração na Bahia e Minas Gerais. Torna-se necessário promover a discussão em torno de alternativas a um modelo de crescimento que induz ao aumento da escassez hídrica e dos conflitos, e que em breve, pode resultar em graves consequências, tolhendo o direito à água limpa e a um custo acessível para parte significativa dos brasileiros.

https://doi.org/10.14393/SN-v34-2022-59410
PDF-pt
PDF-en (English)

Referências

ABERS, R.; JORGE, K. D. Descentralização da Gestão da Água: Por que os comitês de bacia estão sendo criados? Ambiente & Sociedade, v. 8, n. 2, 2005, p. 1 – 26. https://doi.org/10.1590/S1414-753X2005000200006

BECK, U. et al. Modernização reflexiva: política, tradição e estética na ordem social. São Paulo: Unesp, 1997.

ACSELRAD, H. As práticas espaciais e o campo dos conflitos ambientais. In: ACSELRAD, H. Conflitos ambientais no Brasil. Rio de Janeiro: Relume Dumará: Fundação Heinrich Boll, 2004. p. 13 – 36.

AGÊNCIA NACIONAL DE ÁGUAS - ANA (Brasil). Manual de Usos Consuntivos da Água no Brasil/Agência Nacional de Águas. - Brasília: ANA, 2019

ALMEIDA, F. G.; PEREIRA, L. F. M. O papel da distribuição e da gestão dos recursos hídricos no ordenamento territorial brasileiro. In: ALMEIDA, F. G.; SOARES, M L. A. A. (Orgas.). Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2009, p. 85 – 113.

BRASIL, Ministério do Meio Ambiente. Plano Nacional de Recursos Hídricos. Panorama e estado dos recursos hídricos do Brasil: Volume 1/, Secretaria de Recursos Hídricos. Brasília: MMA, 2006.

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Regional. Conheça o SNIS. Disponível em: http://app4.mdr. gov.br/serieHistorica/. Acesso em: 20 de ago. 2020

CARNEIRO, P. R. F. Água e conflito na Baixada dos Goytacazes. Revista Latino Americana de Gestão de Águas, REGA, v. 1, n. 2, p. 2004, p. 87-100.

CASTRO, I. E. Geografia e política: território, escalas de ação e instituições. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005.

CASTRO, J. E. La construcción de nuevas incertidumbres, tecnocracia y la política de la desigualdad: el caso de la gestión de los recursos hídricos. Revista Iberoamericana de Ciencias, Tecnología, Sociedad e Innovación, v. 2, 2002.

EMBRAPA. Espaço temático: Matopiba. Brasília DF, https://www.embrapa.br/tema-matopiba/sobre-o-tema acesso em: 12 de maio de 2021.

COMISSÃO PASTORAL DA TERRA – CPT, Conflitos pela água. Centro de documentação Dom Tomás Balduino, 2020. Disponível em: https://www.cptnacional.org.br/publicacao/category/6-conflitos-pela-agua. Acesso em: 08 de setembro de 2020.

EMBRAPA. Espaço temático: Matopiba. Brasília DF, https://www.embrapa.br/tema-matopiba/sobre-o-tema acesso em: 12 de maio de 2021.

GALVÃO, J.; BERMANN, C. Crise hídrica e energia: conflitos no uso múltiplo das águas. Estudos Avançados, v. 29, n. 84, 2015, p. 43 – 68. https://doi.org/10.1590/S0103-40142015000200004

GARCIA, C. A. Mitigação e compensação dos impactos socioambientais da usina hidrelétrica de belo monte em comunidades indígenas da região de Altamira (PA). Relatório Final de Estágio Curricular apresentado publicamente em 07 de julho de 2020, Universidade Federal de São Carlos, 2020.

IORIS, A. Da foz às nascentes: análise histórica e apropriação econômica dos recursos hídricos no Brasil. In: Almeida, W. B. et al. Capitalismo globalizado e recursos territoriais. Rio de Janeiro: Lamparina, 2010. p. 211 – 266.

LEITE, M. E.; LEITE, M. R.; CLEMENTE, C. M. S. O uso do solo e o conflito por água no alto Rio Riachão – Norte de Minas Gerais: uma análise auxiliada pelas geotecnologias. Rev. Geogr. Acadêmica, v. 4, n. 1. 2010, p. 46 – 55.

MAURO, C. A. Algumas fragilidades e possibilidades do sistema de Recursos Hídricos no Brasil. In: NUNES, A.; MOREIRA, C. O.; PAIVA, I. R. CUNHA, L. S. Territórios da água. CEGOT – Centro de Estudos de Geografia e Ordenamento do Território. Coimbra, 2016

MEKONNEN, M. M.; HOEKSTRA, A. Y. National water footprint accounts: The green, blue and grey water footprint of production and consumption, Value of Water Research Report Series No. 50, UNESCO-IHE, Delft, the Netherlands, 2011.

MENDONÇA, M. R. As transformações espaciais no campo e os conflitos pelo acesso a terra e a água: as novas territorialidades do agrohidronegócio em Goiás. Revista Pegada, v. 16, n. especial, 2015, p. 3 – 15. https://doi.org/10.33026/peg.v16i0.3535

PEIXOTO, F. S. Por uma Geografia das águas: ensaio sobre território e recursos hídricos no Nordeste Setentrional. Curitiba: Editora CRV, 2020. P. 142. https://doi.org/10.24824/978655578979.9

PEREIRA FILHO, P.; MENDONÇA, M. R. Escassez hídrica e conflitos pela água no município de Arraias (TO). In: Anais do 18º Encontro Nacional dos Geógrafos. São Luís, Maranhão, 2016.

PEREIRA, G. R.; CUELLAR, M. D. Z. Conflitos pela água em tempos de seca no Baixo Jaguaribe, Estado do Ceará. Estudos Avançados, n. 29, n. 84, 2015, p. 115 – 137. https://doi.org/10.1590/S0103-40142015000200008

PORTO, M. F.; MIRALEZ, B. Eixos de desenvolvimento econômico e geração de conflitos socioambientais no Brasil: desafios para a sustentabilidade e a justiça ambiental. Ciência & Saúde Coletiva, v. 14, n. 6, 2009, p. 1983-1994. https://doi.org/10.1590/S1413-81232009000600006

PORTO-GONÇALVES, C. W. A globalização da natureza e a natureza da globalização. ed. 7, Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2017. p. 461.

RIBEIRO, M. M. R.; AMORIN, A. L.; FERREIRA, J. G.; SCHMIDT, L. Bacias hidrográficas compartilhadas no Brasil e na Península Ibérica: Buscando consensos via mecanismos de resolução de conflitos. In: RIBEIRO, M. M. R.; AMORIN, A. L.; FERREIRA, J. G.; SCHMIDT, L. Gestão de Bacias e Sustentabilidade, Cidade, editora, 2019. p. 1020 – 1046.

RIBEIRO, M. R.; CARTAXO, E. F.; BORGES, J. T. Conflitos decorrentes da exploração da água subterrânea para comercialização em carros-pipas na região da corrente, Vila da Amizade e Vila Acre, Rio Branco/Acre. In: Anais do XIV Congresso Brasileiro de Águas Subterrâneas, 2006.

RIGOTTO, R. M. Os conflitos entre o agronegócio e os direitos das populações: o papel do campo científico. Revista Pegada, v. 12, n. 1, 2011, p. 123 – 140. https://doi.org/10.33026/peg.v12i1.918

ROSSI, R. A.; SANTOS, E. Conflito e regulação das águas no brasil: a experiência do Salitre. Caderno CRH, Salvador, v. 31, n. 82, 2018, p. 151-167. https://doi.org/10.1590/s0103-49792018000100010

SANTOS, M. Espaço e método. ed. 5, São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1985. p. 120.

SANTOS, M. A Natureza do Espaço. Técnica e Tempo. Razão e Emoção. São Paulo: Hucitec, 1996.

SANTOS, M. O trabalho do geógrafo no Terceiro Mundo. São Paulo: Hucitec, 1978.

SILVA, J. M.; GURGEL, I. G. D.; SANTOS, M. O.; GURGEL, A. M.; AUGUSTO, L. G. S.; COSTA, A. M. Conflitos ambientais e as águas do rio São Francisco. Saúde Soc. São Paulo, v .24, n.4, 2015, p.1208-1216. https://doi.org/10.1590/S0104-12902015137316

SILVEIRA, S. M. B.; SILVA, M. G. Conflitos socioambientais por água no Nordeste brasileiro: expropriações contemporâneas e lutas sociais no campo. Revista Katál. Florianópolis, v. 22, n. 2, 2019, p. 342-352. https://doi.org/10.1590/1982-02592019v22n2p342

SORIANO, Érico et al. Crise hídrica em São Paulo sob o ponto de vista dos desastres. Ambient. soc., São Paulo, v. 19, n. 1, p. 21-42, Mar. 2016 http://dx.doi.org/10.1590/1809-4422asoc150120r1v1912016

SOUZA, M. L. Os conceitos fundamentais da pesquisa sócio-espacial. ed. 5. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2020, p. 320.

THOMAZ JUNIOR, A. O agrohidronegócio no centro das disputas territoriais e de classe no Brasil do século XXI. Revista de Geografia Agrária, v.5, n.10, p. 92-122, 2010.

VIANNA. P. “A água vai acabar?” In: ALBUQUERQUE, Edu. (Org.). Que país é esse. São Paulo: Globo, 2005. pp. 217-234.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2021 Filipe da Silva Peixoto, Jamilson Azevedo Soares, Victor Sales Ribeiro

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...