ICMS Ecológico: análise de alternativas para sua implementação no estado da Bahia
PDF-pt
PDF-en (English)

Palavras-chave

ICMS Ecológico
Instrumentos Ecológicos e Jurídicos
Indicadores de Sustentabilidade

Como Citar

NOVAES, D. S.; PIRES, M. M. ICMS Ecológico: análise de alternativas para sua implementação no estado da Bahia. Sociedade & Natureza, [S. l.], v. 32, p. 291–307, 2020. DOI: 10.14393/SN-v32-2020-46208. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/sociedadenatureza/article/view/46208. Acesso em: 23 maio. 2022.

Resumo

Este trabalho analisa alternativas para a implementação do ICMS ecológico no estado da Bahia. Com esse propósito foram estimados os valores repassados aos municípios baianos, a título de ICMS, conforme as regras vigentes (LCE n. 13/1997), comparando a situação observada com os cenários de implementação dos projetos de lei n. 76/2006 e 15.502/2006 e através da utilização de um indicador de sustentabilidade proposto neste trabalho. Os cálculos foram feitos considerando os anos 2006 e 2016. Para análise da proposta relativa ao indicador de sustentabilidade foi elaborado um índice para cada município baiano que, uma vez utilizado no cálculo do repasse do ICMS, fosse capaz para compensar, financeiramente, os municípios que adotam políticas públicas de promoção da sustentabilidade. Para tanto foi utilizado foi o Indicador de Desenvolvimento Sustentável (IDS). Os resultados revelam que a implementação dos projetos de lei traria desvantagens pelo reduzido número de critérios adotados, enquanto a utilização do IDS propiciaria o tratamento da realidade municipal de modo mais holístico. De todo modo, em todas as situações analisadas os valores destinados aos critérios ecológicos são inexpressivos em comparação ao critério relacionado, exclusivamente, à produção econômica municipal. 

https://doi.org/10.14393/SN-v32-2020-46208
PDF-pt
PDF-en (English)

Referências

BAHIA. Lei Complementar n. 13 de 30 de dezembro de 1997. Assembleia Legislativa do Estado da Bahia. Salvador, BA. Publicação de 30 de dezembro de 1997.

______. Projeto de Lei Complementar nº 76 de 08 de março de 2006a. Altera os dispositivos da Lei Complementar nº 13/1997 de 30 de dezembro de 1997 que regulamenta o inciso II do art. 153 da Constituição do Estado. Deputado Estadual José Nunes.

______. Projeto de Lei nº 15.502 de 18 de abril de 2006b. Dispõe sobre a alteração da Lei Complementar nº 13/1997 que regulamenta o inciso II do art. 153 da Constituição do Estado. Deputado José Neto.

______. Secretaria da Fazenda do Estado. Disponível em: <http://www.sefaz.ba.gov.br/>. Acesso em: 26 mar. 2018.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Diário Oficial da União. Brasília, DF. Publicação de 05 de outubro de 1988.

______. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Disponível em: <http://www.ibge.org.br>. Acesso em: 26 mar. 2018.

FERNANDES, L. L. et al. Compensação e incentivo à proteção ambiental: o caso do ICMS ecológico em Minas Gerais. Revista de Economia e Sociologia Rural, Brasília, v.49, n. 3, p. 521-544. Jul. 2011.

GRIEG-GRAN, M. Fiscal Incentives for Biodiversity Conservation: The ICMS Ecologico in Brazil. Working Papers, London, n.1, dez. 2000.

MINAS GERAIS. Deliberação Normativa nº 86 de 17 de junho de 2005. Conselho Estadual de Política Ambiental. Diário do Executivo do Estado de Minas Gerais (COPAM). Belo Horizonte, MG. Publicação de 18 de junho de 2005.

_____. FUNDAÇÃO JOÃO PINHEIRO, disponível em: <http://www.fjp.mg.gov.br/>. Acesso em 26 mar. 2018.

NAVIDI, W. Probabilidade e estatística para ciências exatas. Porto Alegre: AMGH Editora, 2012.

ROCCO, R. Dos Instrumentos Tributários para a Sustentabilidade das Cidades. In: COUTINHO, R.; ROCCO, R. (orgs.). O Direito Ambiental das Cidades. Rio de Janeiro: DP&A, 2004. p. 297-349.

RODRIGUES, G. S. de S. C. ICMS ecológico: conceito e repercussões na conservação ambiental do município de Uberlândia, Minas Gerais. Geotextos, Salvador, v. 10, n. 2. 2014.

ROSSATO, M. V. et al. ICMS Ecológico: importância e efetividade como uma política pública de incentivo à melhoria da qualidade ambiental. Interagir: pensando a extensão, Rio de Janeiro, n. 9, p. 59-70, jan./jul. 2006.

SCAFF, F. F.; TUPIASSU L. V. C. Tributação e políticas públicas: o ICMS Ecológico in: Tôrres Heleno Taveira (org). Direito Tributário Ambiental. São Paulo: Malheiros Editores, 2005. p. 724-748.

SEPÚLVEDA S. S. Biograma: metodología para estimar el nivel de desarrollo sostenible de territórios. San José: IICA, 2008.132 p.

Direitos Autorais para artigos publicados nesta revista são do autor, com direitos de primeira publicação para a revista. Em virtude de aparecerem em revista de acesso público, os artigos são licenciados sob Creative Commons Attribution (BY), que permite o uso irrestrito, distribuição e reprodução em qualquer meio, desde que o trabalho original seja devidamente citado.

 
 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...