Oficina culinária como troca de saberes, educação alimentar e nutricional, e inclusão produtiva

um relato de experiência

Autores

  • Monike Hellen de Oliveira Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Ana Lívia de Oliveira Universidade Federal de Juiz de Fora

DOI:

https://doi.org/10.14393/REE-v20n22021-60873

Palavras-chave:

Culinária, Educação alimentar e nutricional, Mercado de trabalho

Resumo

Reflexões teóricas sobre as práticas alimentares atuais e o uso de oficinas culinárias no processo de ensino-aprendizagem demonstram a importância da culinária como campo de prática para a promoção da troca de saberes, educação alimentar e nutricional, e inclusão produtiva. Desenvolver uma oficina culinária para incentivar a alimentação saudável e a emancipação social atende as necessidades do Brasil atual, em que as práticas culinárias são reduzidas, as escolhas alimentares priorizam preparações rápidas e palatáveis e a capacitação profissional representa uma estratégia de inclusão produtiva. Este trabalho relata a experiência de uma oficina culinária realizada por meio do projeto de extensão “Inclusão Produtiva através de oficinas culinárias em uma obra social do município de Juiz de Fora-MG”. A ação, com o tema Alimentação na fase adulta, foi destinada às mulheres frequentadoras da Obra Social. Foram utilizados o Guia Alimentar para a População Brasileira e as dinâmicas de grupo como estratégias lúdico-pedagógicas e as participantes foram instrumentalizadas a confeccionarem uma salada no pote. Essa ação estimulou as integrantes a terem uma alimentação saudável e a se inserirem no mercado de trabalho. A culinária promove educação alimentar e nutricional e inclusão produtiva, pois valoriza a autonomia nas escolhas alimentares e a emancipação social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Monike Hellen de Oliveira, Universidade Federal de Juiz de Fora

Graduanda em Nutrição na Universidade Federal de Juiz de Fora, Minas Gerais, Brasil.

Ana Lívia de Oliveira, Universidade Federal de Juiz de Fora

Doutora em Saúde pela Universidade Federal de Juiz de Fora, Minas Gerais, Brasil; professora adjunta do Departamento de Nutrição do Instituto de Ciências Biológicas na mesma instituição.

Referências

ALBERTI, T. F. et al. Dinâmicas de grupo orientadas pelas atividades de estudo: desenvolvimento de habilidades e competências na educação profissional. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília, v. 95, n. 240, p. 346-362, maio/ago, 2014. Doi: 10.24109/2176-6681.rbep.95i240.311. Disponível em: http://www.rbep.inep.gov.br/ojs3/index.php/rbep/article/view/3474. Acesso em: 24 fev. 2021.

BACKES, V. et al. Intervenções de educação alimentar e nutricional para mulheres adultas que frequentam um espaço de dança em Esteio-RS: relato de experiência. Saúde e Desenvolvimento Humano, Canoas, v. 8, n. 2, p. 101-108, 2020. Doi: 10.18316/sdh.v8i2.5451. Disponível em: https://revistas.unilasalle.edu.br/index.php/saude_desenvolvimento/article/view/5451. Acesso em: 21 fev. 2021.

BERGAMASCHI, L. B.; ALMEIDA, C. A. Serviço de inclusão produtiva: uma análise da percepção dos participantes sobre o trabalho. In: ZORZAL, A. C. N. (org.). Revista da II Jornada Científica da Assistência Social de Vitória. Vitória: PMV, 2012. p. 37-50. Disponível em: https://www.vitoria.es.gov.br/download.php?tipo=1&id=792. Acesso em: 24 fev. 2021.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Guia alimentar para a população brasileira. 2. ed. Brasília: MS, 2014. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/guia_alimentar_populacao_brasileira_2ed.pdf. Acesso em: 24 fev. 2021.

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Social. Secretaria Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional. Princípios e Práticas para Educação Alimentar e Nutricional. Brasília: MDS, 2018. Disponível em: https://www.mds.gov.br/webarquivos/arquivo/seguranca_alimentar/caisan/Publicacao/Educacao_Alimentar_Nutricional/21_Principios_Praticas_para_EAN.pdf. Acesso em: 24 fev. 2021.

BROLLO, V. Ela tinha uma transportadora, agora vende comida no pote. Partiu Plano B, Curitiba, 23 de maio de 2015. Disponível em: https://partiuplanob.com.br/ela-tinha-uma-transportadora-agora-vende-comida-no-pote. Acesso em: 24 fev. 2021.

CASTRO, F. M. M.; CAVALCANTI, L. M.; RABELO, S. A. S. Transformando vidas: uma proposta de empreendedorismo gastronômico para mulheres em situação de vulnerabilidade social. RITUR, Penedo, v. 10, n. 2, p. 61-76, 2020. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/ritur/article/view/10351. Acesso em: 24 fev. 2021.

CASTRO, I. R. R. et al. A culinária na promoção da alimentação saudável: delineamento e experimentação de método educativo dirigido a adolescentes e profissionais das redes de saúde e de educação. Revista de Nutrição, Campinas, v. 20, n. 6, 2007. Doi: 10.1590/S1415-52732007000600001. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rn/a/9qkCx4C5PXYvYm4prqTSYXL/?lang=pt. Acesso em: 21 fev. 2021.

FIGUEIREDO, S. M. et al. Oficina de culinária: saberes e sabores dos alimentos. E-Scientia, Belo Horizonte, v. 3, n. 1, 2010. Disponível em: https://revistas.unibh.br/dcbas/article/view/158. Acesso em: 24 fev. 2021.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

MAYER, C. Dinâmicas de grupo: ampliando a capacidade de interação. 5. ed. Campinas: Papirus, 2005.

MIRANDA, K. et al. Receitas da culinária agroextrativista Belém: IEB; ATAA; IFPA, 2019.

PINELI, L. L. O. et al. Oficinas culinárias: uma estratégia de educação nutricional sob a perspectiva do PRÓ-SAÚDE. Tempus Actas de Saúde Coletiva, Brasília, v. 9, n. 1, 2015. Doi: 10.18569/tempus.v9i1.1695. Disponível em: https://www.tempusactas.unb.br/index.php/tempus/article/view/1695. Acesso em: 25 fev. 2021.

ROTENBERG, S. et al. Oficinas culinárias na promoção da saúde. In: DIEZ-GARCIA, R. W.; MANCUSO, A. M. C. (org.). Mudanças alimentares e educação alimentar e nutricional. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2017. p. 327-339.

SILVA, M. X. et al. Abordagem lúdico-didática melhora os parâmetros de educação nutricional em alunos do ensino fundamental. Ciências & Cognição, Rio de Janeiro, v. 18, n. 2, p. 136-148, ago.-out., 2013. Disponível em: https://www.cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/896. Acesso em: 21 fev. 2021.

Downloads

Publicado

18-01-2022

Como Citar

OLIVEIRA, M. H. de; OLIVEIRA, A. L. de. Oficina culinária como troca de saberes, educação alimentar e nutricional, e inclusão produtiva: um relato de experiência. Revista Em Extensão, Uberlândia, v. 20, n. 2, p. 196–212, 2022. DOI: 10.14393/REE-v20n22021-60873. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revextensao/article/view/60873. Acesso em: 19 maio. 2024.

Edição

Seção

Relatos de Experiência

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)