A presença de Paulo Freire no campo da educação em saúde com adolescentes e jovens

uma revisão do escopo

Autores

  • Rafaela Pacheco Laranjeira Universidade Federal de Pernambuco
  • Adriana Lobo Jucá Universidade Federal de Pernambuco
  • Daniela Tavares Gontijo Universidade Federal de Pernambuco

DOI:

https://doi.org/10.14393/REP-2022-66953

Palavras-chave:

Adolescentes, Educação em saúde, Pedagogia Paulo Freire, Revisão de escopo

Resumo

A educação em saúde com adolescentes e jovens é de grande relevância e constitui-se como desafio no cotidiano dos serviços de saúde. A sua efetividade perpassa pela utilização de metodologias participativas que incentivam o protagonismo dos participantes nas ações educativas, sendo pertinente o diálogo com a Pedagogia de Paulo Freire. O objetivo deste trabalho é analisar como o referencial freiriano tem sido utilizado na educação em saúde com adolescentes e jovens no Brasil. A revisão de escopo incluiu artigos de periódicos brasileiros, de 2011 a 2021, que abordaram as ações de educação em saúde realizadas com adolescentes e/ou jovens e citaram, pelo menos, uma obra freiriana. Foram incluídos 47 artigos, que trouxeram ações de educação em saúde, principalmente em Escolas. As ações estimularam a reflexão crítica e a problematização de diferentes temáticas, especialmente a saúde sexual e reprodutiva. A obra freiriana mais utilizada foi Pedagogia do Oprimido, e a concepção do diálogo ficou em evidência. A utilização do referencial freiriano possibilita potencialidades para o trabalho com o público adolescente e jovem, como o protagonismo, a reflexão crítica e a conscientização dos sujeitos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rafaela Pacheco Laranjeira, Universidade Federal de Pernambuco

Graduada em Terapia Ocupacional pela Universidade Federal de Pernambuco, Brasil.

Adriana Lobo Jucá, Universidade Federal de Pernambuco

Doutoranda em Saúde da Criança e do Adolescente na Universidade Federal de Pernambuco, Brasil; terapeuta ocupacional no Núcleo de Apoio à Saúde da Família e Centro de Atenção Psicossocial da Prefeitura de Recife, Pernambuco, Brasil.

Daniela Tavares Gontijo, Universidade Federal de Pernambuco

Doutora em Ciências da Saúde pela Universidade de Brasília, Brasil; estágio pós-doutoral na Universidade Federal de Pernambuco, Brasil; professora associada do Departamento de Terapia Ocupacional da Universidade Federal de Pernambuco, Brasil;  coordenadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Vulnerabilidade e Saúde na Infância e Adolescência (NEPVIAS/UFPE); membro do Laboratório de Estudos da Ocupação Humana e Tecnologias de Participação em Terapia Ocupacional (LEOH/UFPE) e da Cátedra Paulo Freire (UFPE).

Referências

ARAÚJO, B. B. M. et al. Referencial teórico-metodológico de Paulo Freire: contribuições no campo da enfermagem. Rev. Enfermagem UERJ, Rio de Janeiro, v. 26, p.1-6, 2018. Doi: 10.12957/reuerj.2018.27310. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/enfermagemuerj/article/view/27310. Acesso em: 15 maio 2022.

ARAÚJO, R. S.; CRUZ, P. J. S. C. Educação popular e construção compartilhada do conhecimento: debates teóricos (livro eletrônico). João Pessoa: Editora da Universidade Federal da Paraíba, 2020.

ARKSEY, H.; O’MALLEY, L. Scoping studies: towards a methodological framework. International Journal of Social Research Methodology: theory and practice, v. 8, n. 1, p. 19–32, 2005. Disponível em: http://www.journalsonline.tandf.co.uk/openurl.asp?genre=article&eissn=1464-5300&volume=8&issue=1&spage=19. Acesso em: 15 maio 2022.

BAUMFELD, T. S. et al. Autonomia do cuidado: interlocução afetivo-sexual com adolescentes no PET-Saúde. RBEM., Brasília, v. 36, n. 1, p. 71-80, 2012.

BRASIL, E. G. M. et al. Promoção da Saúde de Adolescentes e Programa Saúde na Escola: complexidade na articulação saúde e educação. Rev. esc. enf. USP, São Paulo, v. 51, 2017. Doi: 10.1590/S1980-220X2016039303276. Disponível em: https://www.scielo.br/j/reeusp/a/mLtvhfT5dbMgtLHpt5snMKw/abstract/?lang=pt. Acesso em: 15 maio 2022.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Passo a passo Programa Saúde na Escola: tecendo caminhos da intersetorialidade. Brasília: Ministério da Saúde, 2011.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas e Estratégicas. Proteger e cuidar da saúde de adolescentes na atenção básica. 2. ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2017.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 2761, de 19 de novembro de 2013. Institui a Política Nacional de Educação Popular em Saúde no âmbito do Sistema Único de Saúde (PNEPS-SUS). Brasília: Ministério da Saúde, 2013.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Política Nacional de Promoção da Saúde: PNPS: Anexo I da Portaria de Consolidação nº 2, de 28 de setembro de 2017, que consolida as normas sobre as políticas nacionais de saúde do SUS. Brasília, Ministério da Saúde, 2018.

CAMPOS, H. M. et al. Diálogos com adolescentes sobre direitos sexuais na escola pública: intervenções educativas emancipatórias! Pesquisas e Práticas Psicossociais, São João Del Rei, v. 13, n. 3, p. e2437, 2018. Disponível em: http://seer.ufsj.edu.br/revista_ppp/article/view/3107. Acesso em: 19 maio 2022.

FAIAL, L. C. M. et al. A saúde na escola: percepções do ser adolescente. Rev. Bras. Enferm. v. 72, n. 4, p. 1.017-1.026, 2019. Doi: 10.1590/0034-7167-2018-0433. Disponível: https://www.scielo.br/j/reben/a/gc5SdqksWXXMqFp3qnR9ZMt/?lang=pt. Acesso em: 15 abr. 2022.

FARIAS, H. C. M. et al. Escuta qualificada com adolescentes: relato de experiência. Sinapse Múltipla, Betim, v. 6, n. 2, p. 199-202, dez. 2017. Disponível em: http://periodicos.pucminas.br/index.php/sinapsemultipla/article/view/16493. Acesso em: 20 ago. 2022.

FORTUNA, V. A relação teoria e prática na educação em Freire. REBES, Passo Fundo, v. 1, n. 2, p. 64-72, 2015. Doi: 10.18256/2447-3944/rebes.v1n2p64-72. Disponível em: https://seer.atitus.edu.br/index.php/REBES/article/view/1056. Acesso em:

FREIRE, P. Extensão ou comunicação? São Paulo: Paz e Terra, 2011b.

FREIRE, P; HORTON, M. O caminho se faz caminhando: conversas sobre educação e mudança social. 6. ed. Petrópolis: Vozes, 2019.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 58. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2019b.

FREIRE, P. Pedagogia da esperança. São Paulo: Paz e Terra, 2011.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 67. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2019a.

GOMES, A. T. et al. Educação em saúde na escola: dialogando sobre sexualidade com adolescentes. Research, Society and Development, Itajubá, v. 9, n. 7, p. 1-14, 2020. Doi: 10.33448/rsd-v9i7.3700. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/3700/3180. Acesso em:

GONTIJO, D. T.; SANTIAGO, M. E. Autonomia e terapia ocupacional: reflexões à luz do referencial de Paulo Freire. RevisbratO, Rio de Janeirov. 4, n. 1, p. 2-18, 2020. Doi: 10.47222/2526-3544.rbto31474. Disponível em: https://revistas.ufrj.br/index.php/ribto/article/view/31474. Acesso em: 30 abr. 2022.

JUCÁ, A. L.; GONTIJO, D. T.; VIEIRA, S. G. Contribuições freireanas para ações de educação em saúde sexual e reprodutiva com adolescentes. Interritórios, Caruaru, v. 7, n. 14, p. 101-130, 2021.

MAFFACCIOLLI, R.; OLIVEIRA, D. L. L. C. Desafios e perspectivas do cuidado em enfermagem a populações em situação de vulnerabilidade. Revista Gaúcha Enferm., Porto Alegre, v. 39, 2018. Doi: 10.1590/1983-1447.2018.20170189 . Disponível em: https://www.scielo.br/j/rgenf/a/X93Yj4pfs7DztyBsJp7P9HJ/?lang=pt . Acesso em: 10 maio 2022.

MONTEIRO, R. J. S. et al. DECIDIX: encontro da pedagogia Paulo Freire com os serious games no campo da educação em saúde com adolescentes. Ciência & Saúde coletiva, v. 23, n. 9, p. 2.951-2.962, 2018. Doi: 10.1590/1413-81232018239.12782018. Disponível em: https://www.scielo.br/j/csc/a/HpDMGhv3yFHw9f8653bDRBt/abstract/?lang=pt . Acesso em: 15 maio 2022.

MOUTINHO, C. B. et al. Dificuldades, desafios e superações sobre educação em saúde na visão de enfermeiros de saúde da família. Trab. educ. saúde, Rio de Janeiro, v. 12, n. 2, p. 253-272, ago. 2014. Doi: 10.1590/S1981-77462014000200003. Disponível em: https://www.scielo.br/j/tes/a/WC8vvvDwRgtLKX8QrzzRbvw/abstract/?lang=pt. Acesso em: 15 maio 2022.

MOTA, M. C. A importância de espaços de escuta como forma de subjetivação do adolescente. Brazilian Journal of Health Review, Curitiba, v. 4, n. 2, p. 9.527-9534, 2021. Doi: 10.34119/bjhrv4n2-445. Disponível em: https://ojs.brazilianjournals.com.br/ojs/index.php/BJHR/article/view/29011. Acesso em: 15 maio 2022.

MÜHL, E. H. Ainda Paulo Freire: um ensaio sobre a atualidade da pedagogia do oprimido. Olhar de Professor, Ponta Grossa, v. 24, p. 1–23, 2021. Doi: 10.5212/OlharProfr.v.24.116749.015. Disponível em: https://revistas.uepg.br/index.php/olhardeprofessor/article/view/16749. Acesso em: 15 maio 2022.

OLIVEIRA, F. A. et al. Atividades lúdicas desenvolvidas com adolescentes escolares sobre prevenção de infecções sexualmente transmissíveis. R. Interd., Teresina, v. 10, n. 3, p. 53-63, jul./ago./set. 2017. Disponível em: https://repositorio.ufc.br/bitstream/riufc/35664/1/2017_art_faoliveira.pdf. Acesso em: 10 jun. 2022.

PARO, C. A.; VENTURA, M.; SILVA, N. E. K. Paulo Freire e o inédito viável: esperança, utopia e transformação na saúde. Trab. ed. saúde, Rio de Janeiro, v. 18, n. 1, p.1-22, 2020. Doi: 10.1590/1981-7746-sol00227. Disponível em: https://www.scielo.br/j/tes/a/tQFP797gDF8Yc4fLX4fzk3c/abstract/?lang=pt . Acesso em: 14 jun. 2022.

PETERS, M. D. J. et al. Scoping reviews. In: The JBI Reviewer's Manual. 2017. p. 141-146. Disponível em: https://reviewersmanual.joannabriggs.org/display/MANUAL/Chapter+11 %3A+Scoping+reviews. Acesso em: 15 abr. 2022.

PICCIN, C. et al. Projeto adolescer: promovendo educação em saúde com adolescentes de uma escola municipal. REAS, Uberaba, v. 6, n. 2, p. 161-68, 2017. Doi: 10.18554/reas.v6i2.2022. Disponível em: https://seer.uftm.edu.br/revistaeletronica/index.php/enfer/article/view/2022. Acesso em: 14 maio 2022.

RODRIGUES, M. E. C.; MACHADO, M. M.; Vivenciando o referencial freiriano na universidade. Linhas críticas, Brasília, v. 18, n.37, p. 485-503, 2012. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/1935/193525366004.pdf. Acesso em: 10 jun. 2022.

SILVA, C. M. C. et al. Educação em saúde: uma reflexão histórica de suas práticas. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 15, n. 5, p. 2.539-2.550, 2010. Doi: 10.1590/S1413-81232010000500028. Disponível em: https://www.scielo.br/j/csc/a/J4m8jxD5KNyDyzBsLKLPnvC/abstract/?lang=ptAcesso em 13 abr. 2022.

SOUZA, S. R. Um breve estudo: panorama das contribuições das atividades artísticas para a integração e socialização de crianças e adolescentes vulneráveis. 2021. 24 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização em Ensino de Humanidades) – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Goiano, Campos Belos, 2021. Disponível em: https://repositorio.ifgoiano.edu.br/bitstream/prefix/2105/1/mon_especializa%C3%A7%C3%A3o_%20Shirley%20Ramalho%20de%20Souza.pdf. Acesso em: 15 maio 2022.

TRICCO, A. C. et al. PRISMA Extension for Scoping Reviews (PRISMAScR): Checklist and Explanation. Annals of Internal Medicine, v. 169, n. 7, p. 467–473, 2018. Doi: 10.7326/M18-0850. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/327425619_PRISMA_extension_for_scoping_reviews_PRISMA-ScR_Checklist_and_explanation. Acesso em: 15 jun. 2022.

UNICEF. Educação brasileira em 2022: a voz dos adolescentes. 15. set. 2022. Disponível em: https://www.unicef.org/brazil/media/20186/file/educacao-em-2022_a-voz-de-adolescentes.pdf. Acesso em: 27 out. 2022.

VASCONCELOS, E. M.; PRADO, E. V. A saúde nas palavras e nos gestos: reflexões da rede de educação popular e saúde. 2. ed. São Paulo: Hucitec, 2017.

WHO et al. Adolescent health: the missing population in universal health coverage. 25. Fev. 2019. Disponível em: https://pmnch.who.int/resources/publications/m/item/adolescent-health---the-missing-population-in-universal-health-coverage. Acesso em: 15 maio 2022.

WHO. Young people´s health: a challenge for society: report of a WHO Study Group on young people and “health for all by the year 2000”. 1986. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/3085358/. Acesso em: 13 jul. 2022.

Downloads

Publicado

30-12-2022

Como Citar

LARANJEIRA, R. P.; JUCÁ, A. L.; GONTIJO, D. T. A presença de Paulo Freire no campo da educação em saúde com adolescentes e jovens: uma revisão do escopo. Revista de Educação Popular, Uberlândia, v. 21, n. 3, p. 71–96, 2022. DOI: 10.14393/REP-2022-66953. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/reveducpop/article/view/66953. Acesso em: 22 jul. 2024.