O legado de Paulo Freire para a formação do enfermeiro educador em um ambulatório especializado da Universidade Federal de Uberlândia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/REP-2022-66949

Palavras-chave:

Formação do enfermeiro, Educação dialógica, Saberes necessários à docência, Educação em Saúde

Resumo

Este artigo tem como objetivo discutir a importância das ideias de Paulo Freire para a formação do enfermeiro na licenciatura, alinhado ao novo modelo de organização da saúde no Brasil, que visa a integralidade da assistência. Trata-se de um estudo descritivo reflexivo de abordagem qualitativa, cujo procedimento metodológico envolveu a reflexão crítica do processo formativo do enfermeiro educador ao desenvolver ações educativas em saúde na sala de espera de um Centro Especializado de Saúde. Inicialmente, apresentamos o contexto da formação, seguido de uma reflexão freiriana sobre saberes necessários para a formação docente em saúde. Concluímos que os ensinamentos de Freire possibilitam ao graduando de enfermagem uma formação profissional crítica reflexiva e qualificada para o mercado de trabalho, sendo capaz de assistir e educar a população de seu território de atuação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabia Faria da Silva, Universidade Federal de Uberlândia

Doutoranda em Educação na Universidade de Uberaba, Minas Gerais, Brasil; preceptora do curso de graduação em Enfermagem da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Uberlândia, Minas Gerais, Brasil.

Gabriela Luiza da Silva, Universidade Federal de Uberlândia

Mestra em Odontologia pela Universidade de Uberaba, Minas Gerais, Brasil; enfermeira do Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia, Minas Gerais, Brasil.

Carla Denari Giuliani, Universidade Federal de Uberlândia

Doutora em História e Cultura pela Universidade Federal de Uberlândia, Minas Gerais, Brasil; professora adjunta IV da mesma instituição; coordenadora e fundadora do Laboratório Avançando nos Estudo de Gênero e Violência (LGV) e Grupo de Estudo em Gênero e Violência. 

Referências

BRASIL, Secretaria do Trabalho e da Gestão da Saúde. Departamento de Gestão da Educação na Saúde. Políticas de formação e desenvolvimento para o SUS: caminhos para a educação permanente em saúde. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2003. 21 p. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/pol_formacao_desenv.pdf. Acesso em: 15 jun. 2022.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 1886/GM. Aprova as Normas e Diretrizes do Programa de Agentes Comunitários de Saúde e do Programa de Saúde da Família. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 1997.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância e Doenças Transmissíveis. Guia prático sobre a hanseníase. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2017. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/guia_pratico_hanseniase.pdf. |Acesso em: 13 jun. 2022.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis. Boletim Epidemiológico de Hanseníase. Brasília, DF: Ministério da Saúde, n. especial, jan. 2022. Disponível em: https://www.gov.br/saude/pt-br/centrais-de-conteudo/publicacoes/boletins/boletins-epidemiologicos/especiais/2022/boletim-epidemiologico-de-hanseniase-_-25-01-2022.pdf. Acesso em: 13 jun. 2022.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria Executiva. Programa Agentes Comunitários de Saúde (PACS). Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2001. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/pacs01.pdf. Acesso em: 25 out. 2022.

BUSS, P. M. Uma introdução ao conceito de Promoção da Saúde. In: CZERESNIA, D.; FREITAS, C. M. (org.). Promoção de saúde: conceitos, reflexões, tendências. 2. ed. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2009. p. 19-42.

FALKENBERG, M. B. et.al. Educação em saúde e educação na saúde: conceitos e implicações para a saúde coletiva. Ciência e Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, 0157/2013. Acesso em: 14 jun. 2022.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 17. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1987

LIMA, S. do C. Território e promoção da saúde: perspectivas para a atenção primária à saúde. Jundiaí: Paco Editorial, 2016.

MELO, J. R. de. Formação docente e a prática pedagógica: os saberes docentes diante da prática pedagógica. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento, São Paulo, v. 17, n. 11, p. 139-152. nov. 2020. Disponível em: https://www.nucleodoconhecimento.com.br/educacao/saberes-docentes. Acesso em: 24 out. 2022.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE (OMS). Estratégia global para a hanseníase 2021-2030: rumo a zero hanseníase. Nova Deli: OMS, 2021. Disponível em: https://www.who.int/pt/publications/i/item/9789290228509. Acesso em: 13 jun. 2022.

ORGANIZAÇÃO PANAMERICANA DE SAÚDE. Comissão da OMS pede ação urgente contra doenças crônicas não transmissíveis. 2018. Disponível em: https://www.paho.org/pt/noticias/1-6-2018-comissao-da-oms-pede-acao-urgente-contra-doencas-cronicas-nao-transmissiveis#:~:text=Coletivamente%2C%20c%C3%A2ncer%2C%20diabetes%2C%20doen%C3%A7as,entre%2030%20e%2070%20anos. Acesso em: 25 out. 2022.

PAIM, J. N. S. Vigilância da saúde: dos modelos assistenciais para a promoção da saúde. In: CZERESNIA, D.; FREITAS, C. M. (org.). Promoção de saúde conceitos, reflexões, tendências. 2. ed. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2009. p. 165-182.

RIVERA, F. J. U.; ARTMANN, E. Promoção de Saúde e planejamento estratégico situacional: intersetorialidade na busca de maior governabilidade. In: CZERESNIA, D. FREITAS, C. M. (org.). Promoção de saúde conceitos, reflexões, tendências. 2. ed. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2009. p. 183-206.

SANTOS, M. dos R. et al. Licenciatura e bacharelado em enfermagem: experiências e expectativas de estudantes. DOI: https://doi.org/10.1590/S1983-14472011000400011. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rgenf/a/MrNnjMjQQxsGNZwTRX9RBfv/?lang=pt#. Acesso em: 13 jun. 2022.

SHON, D. A. Formar professores como profissionais reflexivos. In: NÓVOA, A. (coord.). Os professores e sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1992. p. 81-90.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. 5. ed. Petrópolis. Rio de Janeiro: Vozes, 2002.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA. Projeto Pedagógico do Curso de Graduação Bacharelado em Enfermagem da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Uberlândia, PPC licenciatura. 2018. Disponível em: http://www.famed.ufu.br/system/files/conteudo/projeto_pedagogico_versao_2018-2_0.pdf. Acesso em: 12 ago. 2022.

Downloads

Publicado

2022-11-05

Como Citar

SILVA, F. F. da; SILVA, G. L. da; GIULIANI, C. D. O legado de Paulo Freire para a formação do enfermeiro educador em um ambulatório especializado da Universidade Federal de Uberlândia. Revista de Educação Popular, Uberlândia, MG, p. 156–175, 2022. DOI: 10.14393/REP-2022-66949. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/reveducpop/article/view/66949. Acesso em: 8 dez. 2022.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)