Ainda a esperançar

escola pública como dispositivo da rede de apoio aos casos de violência contra crianças e adolescentes

Autores

  • Joana D’Arc Ferreira da Silva Secretaria de Saúde do Município de São José da Lapa
  • Pedro Igor Guimarães Santos Xavier Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
  • Simone Ferreira de Assis Fundação Oswaldo Cruz
  • Viviane da Costa Gomes Secretaria de Saúde do Município de Luz

DOI:

https://doi.org/10.14393/REP-2023-66840

Palavras-chave:

Escola, Educação, Violência, Esperançar, Afeto

Resumo

O presente artigo apresenta uma proposta de pesquisa ainda em fase de implementação. O objetivo desse estudo é compreender a função da escola pública como um dispositivo essencial de apoio à rede de atenção à criança e adolescente vítima de violência. Em uma abordagem qualitativa de análise, esta pesquisa se baseia na pedagogia de Paulo Freire, entrelaçada à saúde coletiva na perspectiva da territorialidade. Para isso, recorremos à investigação exploratória aplicada de forma dedutiva, como coleta de dados e contextualização da temática, por meio da literatura disponível em plataformas online. A discussão e os resultados são frutos de uma análise crítica, baseada no conceito Freiriano de ação-reflexão-ação. Acreditamos que a educação em saúde, junto às instituições de ensino público, proporcionará, às crianças e adolescentes, um ambiente de troca de afetos e saberes, bem como proteção e prevenção delas próprias em suas comunidades.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Joana D’Arc Ferreira da Silva, Secretaria de Saúde do Município de São José da Lapa

Especialista em Clínica Psicanalítica pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Brasil; psicóloga no Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) do município de São José da Lapa, Minas Gerais, Brasil.

Pedro Igor Guimarães Santos Xavier, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais

Especialista (Residência Médica) em Pediatria pela Fundação Benjamin Guimarães, Hospital da Baleia, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil; professor da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Campi Betim e Contagem, Brasil; médico pediatra pela Atenção Primária no município de Contagem, Minas Gerais, Brasil. 

Simone Ferreira de Assis, Fundação Oswaldo Cruz

Mestranda em Saúde Coletiva no Instituto René Rachou, Fundação Oswaldo Cruz, Minas Gerais, Brasil; supervisora pedagógica na Prefeitura Municipal de Santa Luzia, Minas Gerais, Brasil.

Viviane da Costa Gomes, Secretaria de Saúde do Município de Luz

Especialista em Saúde Mental pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Brasil; psicóloga no Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) do município de Luz, Minas Gerais, Brasil.

Referências

AMBROZIO, J. O conceito de território como campo de poder microfísico. Revista de Geografia, Juiz de Fora, v. 3, n. 2, 2013. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/geografia/article/view/17934. Acesso em: 16 jun. 2022.

ARELARO, L. R. G.; CABRAL, M. R. M. Paulo Freire: por uma teoria e práxis transformadora. 2019. In: BOTO, C. (org.). Clássicos do pensamento pedagógico: olhares entrecruzados. Uberlândia: EDUFU, 2019, p. 267-292. DOI 10.7476/9786558240273.0013. Disponível em: http://books.scielo.org/id/fjnhs. Acesso em: 15 maio 2022.

ANDRADE, L.; SILVEIRA, L. S. Efeito-território: explorações em torno de um conceito sociológico. Civitas, Porto Alegre, v. 13, n. 2, p. 381-402, maio-ago. 2013.

AUGÉ, M. Dos lugares aos não lugares. In: Não lugares: introdução a uma antropologia da supermodernidade. Campinas: Papirus, 1994.

BOURDIEU, P. O poder simbólico. Lisboa: Rio de Janeiro: Difel; Bertrand Brasil, 1989.

COELHO, P.; VARGAS, J. Desafios da participação social no enfrentamento da dengue, zika e chikungunya. 2021. Disponível em: http://pensaraeducacao.com.br/pensaraeducacaoempauta/desafios-da-participacao-social-no-enfrentamento-da-dengue-zika-e-chikungunya/. Acesso em: 30 maio 2022.

CHALITA, G. Pedagogia da amizade: bullying: o sofrimento das vítimas e dos agressores. São Paulo: Gente, 2008.

CHALITA, G. Educação: a solução está no afeto. São Paulo: Gente, 2001.

FRANÇA, C. P. (org.). Perversão: as engrenagens da violência sexual infantojuvenil. Rio de Janeiro: Imago, 2010.

FREIRE, P. Política e educação: ensaios. São Paulo: Cortez, 1997.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 20. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2001.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 45. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

GONDIM, G. M. de M.; MONKEN, M. Território e territorialização. In: GONDIM, G. M. M. et al. (org.). Técnico de vigilância em saúde: contexto e identidade. Rio de Janeiro: EPSJV, 2017. p. 21-44. Disponível em: http://www.epsjv.fiocruz.br/sites/default/files/livro1.pdf. Acesso em: 30 maio 2022.

HAESBAERT, R. Território e multiterritorialidade: um debate. GEOgraphia, Niterói, v. 9, n. 17, p. 19-45, 2007. DOI 10.22409/GEOgraphia2007.v9i17.a13531. Disponível em: https://periodicos.uff.br/geographia/article/view/13531. Acesso em: 20 maio 2022.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Fundamentos de metodologia científica. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1991.

PIMENTEL, A.; ARAUJO, L. S. Violência sexual intrafamiliar. Rev. Para. Med., Belém, v. 20, n. 3, p. 39-42, set. 2006. Disponível em: http://scielo.iec.gov.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010159072006000300 008&lng=es&nrm=iso. Acesso em: 5 jun. 2022.

SANTOS, M. O retorno do território. In: SANTOS, M.; SOUZA, M. A. A.; SILVEIRA, M. L. (org.). Território: Globalização e fragmentação. 4. ed. São Paulo: Hucitec, 2002. p. 15-20.

STAKE, R. E. Pesquisa qualitativa: estudando como as coisas funcionam. Tradução de Karla Reis. Porto Alegre: Penso, 2011.

TAVARES, V. Saúde mental: especialistas falam sobre os desafios no cuidado de jovens e adolescentes. 2022. Disponível em: https://portal.fiocruz.br/noticia/saude -mental-especialistas-falam-sobre-os-desafios-no-cuidado-de-jovens-e-adolescentes. Acesso em: 31 maio 2022.

Downloads

Publicado

28-04-2023

Como Citar

SILVA, J. D. F. da; XAVIER, P. I. G. S.; ASSIS, S. F. de; GOMES, V. da C. Ainda a esperançar: escola pública como dispositivo da rede de apoio aos casos de violência contra crianças e adolescentes. Revista de Educação Popular, Uberlândia, v. 22, n. 1, p. 82–97, 2023. DOI: 10.14393/REP-2023-66840. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/reveducpop/article/view/66840. Acesso em: 19 maio. 2024.