Pesquisar é preciso

desafios para uma educação crítica em tempos de crise ética e social

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/REP-2022-65975

Palavras-chave:

Educação contemporânea, Paradigma da pesquisa, Aprender a aprender

Resumo

A discussão central que apresentamos neste artigo trata do desafio da pesquisa como horizonte político-pedagógico da educação contemporânea. Diante de um contexto social que nos apresenta um mundo em permanente transformação, a educação deve transmitir e oportunizar o acesso cada vez mais amplo aos saberes que potencializam a leitura crítica do mundo em seus diferentes aspectos. Ler e interpretar o contexto, que muda rapidamente, requer um novo perfil na docência e estratégias mobilizadoras dos educandos para se sentirem estimulados no paradigma do aprender a aprender, ou seja, aprender a pesquisar. Isso porque aprendemos a vida toda e, nesse desafio, cada vez mais o direito à vida vai se confundir com o direito de aprender. Vida e conhecimento estão implicados mutuamente. A metodologia deste estudo se restringe a uma pesquisa bibliográfica e, entre as principais conclusões, podemos destacar que a perspectiva da pesquisa como paradigma pedagógico requer o redimensionamento da vida e das rotinas escolares, para que todos os sujeitos sejam estimulados e mobilizados à construção de uma sociedade aprendente e comprometida eticamente com o futuro sustentável da vida em nosso planeta, com respeito ao pluralismo cultural e à dignidade da pessoa humana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sérgio Trombetta, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutorando em Educação na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Brasil; professor na Universidade do Vale do Rio dos Sinos, Rio Grande do Sul, Brasil.

Jaime José Zitkoski, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutor em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Brasil; estágio pós-doutoral na Universidade Federal do Rio de Janeiro, Brasil; professor associado 4 da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul; vice-coordenador dos grupos de pesquisa Universidade e Bem Viver e Grupo de Estudos sobre Universidade - Inovação e Pesquisa (GEU/IPesq).

 

Valter Marciano dos Santos Chereta, Prefeitura Municipal de Campo Bom-RS

Especialista em Direitos Humanos e Movimentos Sociais pelo Centro Universitário Internacional, Rio Grande do Sul, Brasil; educador social na Prefeitura Municipal de Campo Bom, Rio Grande do Sul, Brasil.

Referências

ALARCÃO, I. Professores reflexivos em uma escola reflexiva. São Paulo: Cortez, 2005.

ALARCÃO, I. Escola reflexiva e nova racionalidade. Porto Alegre: Artmed, 2001.

AROUCA, L. S. Relação ensino-pesquisa a formação do pesquisador em Educação. In: FAZENDA, I.; SEVERINO, A. J. (org.). Conhecimento, pesquisa e educação. Campinas: Papirus, 2001. p. 81-89.

ARROYO, M. Ofício de mestre: imagens e autoimagens. Petrópolis-RJ: Vozes, 2000.

ASSMANN, H. Reencantar a educação: rumo à sociedade aprendente. Petrópolis-RJ: Vozes, 1998.

ASSMANN, H.; SUNG, J. M. Competência e sensibilidade: educar para a esperança. Petrópolis-RJ: Vozes, 2000.

ASSMANN, H. Curiosidade e prazer de aprender. Petrópolis-RJ: Vozes, 2004.

DELORS, J. Educação: um tesouro a descobrir. São Paulo: Cortez, 2000.

DEMO, P. Desafios modernos da educação. Petrópolis-RJ: Vozes, 1995.

DEMO, P. Educação e conhecimento: relação necessária, insuficiente e controversa. Petrópolis-RJ: Vozes, 2000.

DEMO, P. Saber pensar. São Paulo: Cortez, 2000.

FREIRE, P. A importância do ato de ler. São Paulo: Cortez, 1999.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 13. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.

GADOTTI, M. Saber aprender: um olhar sobre Paulo Freire e as perspectivas atuais da educação. In: LINHARES, C.; TRINDADE, M. de N. (org.). Compartilhando o mundo com Paulo Freire. São Paulo: Cortez, 2003. p. 107-125.

MORIN, E. A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001.

MORIN, E. O método 5: a humanidade da humanidade. Porto Alegre: Sulinas, 2002.

MARQUES, M. O. Escrever é preciso: o princípio da pesquisa. Ijuì: Editora Unijuí, 2000.

PÉRISSÉ, P. O educador aprendedor. São Paulo: Cortez, 2004.

PINTO, Á. V. Sete lições sobre educação de adultos. São Paulo: Cortez, 2000.

SAVATER, F. A aventura do pensamento: um passeio pela história da filosofia e pelos grandes nomes do pensamento ocidental. Porto Alegre: L&PM, 2015.

TRIVINOS, A. N. S. A formação do educador como pesquisador no Mercosul/Cone Sul. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2003.

Downloads

Publicado

30-12-2022

Como Citar

TROMBETTA, S.; ZITKOSKI, J. J.; CHERETA, V. M. dos S. Pesquisar é preciso: desafios para uma educação crítica em tempos de crise ética e social. Revista de Educação Popular, Uberlândia, v. 21, n. 3, p. 54–70, 2022. DOI: 10.14393/REP-2022-65975. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/reveducpop/article/view/65975. Acesso em: 16 jul. 2024.