A pedagogia libertadora e a práxis educativa freireanas na Educação Profissional e Tecnológica: o caso do Curso Técnico em Vigilância em Saúde Integrado ao Ensino Médio

Autores

  • Hellen Vivian Moreira dos Anjos Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Norte de Minas Gerais
  • Giuliana de Sá Ferreira Barros Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais http://orcid.org/0000-0002-7848-1479
  • Fernando Barreto Rodrigues Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais http://orcid.org/0000-0002-1754-0447

DOI:

https://doi.org/10.14393/REP-2021-62070

Palavras-chave:

Paulo Freire, Práxis pedagógica freireana, Pedagogia libertadora, Ensino Médio Integrado, Educação Profissional

Resumo

Este artigo traz a experiência da prática libertadora freiriana na concepção do projeto do curso técnico em Vigilância em Saúde integrado ao Ensino Médio, no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais, Câmpus Avançado Janaúba. O objetivo é relatar como a prática pedagógica em Paulo Freire é também práxis educativa, uma vez que, mediada pela história, busca a unidade entre o ser humano e o mundo do qual ele faz parte. Resgatar a ideia da prática pedagógica freiriana relacionada ao conceito de práxis e, em consequência, à Educação Profissional integrada ao Ensino Médio, faz-se imperioso, especialmente nesse contexto em que a negação da condição humana, ou da humanidade, está cada vez mais evidente. A discussão do conceito de práxis foi ancorada em Marx (2002), Losurdo (2015), Vásquez (2011), Manacorda (1996), Semeraro (2005) e, principalmente, Gramsci (1975) e Freire (1987). Em um segundo momento, foi apresentada a experiência pedagógica libertadora freiriana no curso técnico em Vigilância em Saúde no Instituto. Por fim, discorreu-se sobre os princípios metodológicos e organizacionais do curso, dando ênfase à sua estrutura curricular baseada na metodologia dos Temas Geradores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Hellen Vivian Moreira dos Anjos, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Norte de Minas Gerais

Doutoranda em Desenvolvimento Social pela Universidade Estadual de Montes Claros, Minas Gerais, Brasil;  professora efetiva do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Norte de Minas Gerais, Campus Avançado Janaúba, Minas Gerais, Brasil.

Giuliana de Sá Ferreira Barros, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais

Doutora em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais, Brasi;  professora efetiva no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais, Campus Avançado Salinas, Minas Gerais, Brasil. 

Fernando Barreto Rodrigues, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais

Doutor em Zootecnia pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Brasil; professor efetivo do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais, Câmpus Avançado Janaúba, Minas Gerais, Brasil.

Referências

BRASIL. Base nacional comum curricular. Brasília: Ministério da Educação, 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 25 nov. 2019.

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal, 1988.

CALAZANS, M. Conflitos socioambientais e resistências: construindo territórios de utopia. In: BARROS, J. ; GUTERRES, A.; SILVA, E. B. (org.). Caderno de Debates 6: Territórios de Utopia: resistências aos impactos dos projetos de desenvolvimento no Brasil. Rio de Janeiro, 2015, p. 85-90. Disponível em: https://fase.org.br/wp-content/uploads/2015/11/caderno6_web.pdf. Acesso em: 11 ago. 2021.

COLASANTI, M. A moça tecelã. 13. ed. São Paulo: Global, 2004.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FREIRE, P. Pedagogia da esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 11. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FREITAS, L.; MORIN, E.; NICOLESCU, B. Carta da transdisciplinaridade. Convento da Arrábida, Portugal, 6 nov. 1994. Disponível em:

http://cetrans.com.br/assets/docs/CARTA-DA-TRANSDISCIPLINARIDADE1.pdf. Acesso em: 18 ago. 2021.

GRAMSCI, A. Quaderni del carcere. Edizione critica dell'Istituto Gramsci. A cura de Valentino Gerratana. Torino: Giulio Einaudi, 1975.

KONDER, L. O futuro da filosofia da práxis. São Paulo: Expressão Popular, 2018.

KUENZER, A. Z. Exclusão includente e inclusão excludente: a nova forma de dualidade estrutural que objetiva as novas relações entre educação e trabalho. In: SAVIANI, D.; SANFELICE, J. L.; LOMBARDI, J. C. (org.). Capitalismo, trabalho e educação. 3. ed. Campinas: Autores Associados, 2005. p. 77-96.

LOSURDO, D. Hegel, Marx e a ontologia do ser social. Trabalho & Educação, Belo Horizonte, v. 24, n. 1, p. 117-130, jan./abr. 2015. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/trabedu/article/view/9415. Acesso em: 6 jun. 2021.

MANACORDA, M. A. Marx e a pedagogia moderna. São Paulo: Cortez, 1996.

MAPA DE CONFLITOS. Envolvendo injustiça ambiental e saúde no Brasil. Disponível em: http://mapadeconflitos.ensp.fiocruz.br/. Acesso em: 1 maio 2021.

MARX, K. O capital. São Paulo: Civilização Brasileira, 2002.

MARX, K.; ENGELS, F. A ideologia alemã. Tradução de Luís Cláudio de Castro e Costa. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

MESQUIDA, P. Paulo Freire e Antonio Gramsci: a filosofia da práxis na ação pedagógica e na educação de educadores. Revista HISTEDBR, Campinas, n. 43, p. 32-41, set. 2011. Doi: 10.20396/rho.v11i43.8639926. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8639926. Acesso em: 2 maio 2021.

NOCE, M. A.; FERREIRA NETO, J. A. A população rural do território da Serra Geral Minas Gerais. Camponeses ou agricultores familiares? IDeAS, Rio de Janeiro, v. 9, n. 1, 2015. Disponível em: https://revistaideas.ufrrj.br/ojs/index.php/ideas/article/view/147. Acesso em: 10 jun. 2021.

PACHECO, E. Os institutos federais: uma revolução na educação profissional e tecnológica. Natal: IFRN, 2010. Disponível em: https://memoria.ifrn.edu.br/bitstream/handle/1044/1013/Os%20institutos%20federais%20-%20Ebook.pdf?sequence=1. Acesso em: 27 jun. 2018.

PINHEIRO, R.; MATTOS, R. A. de. Construção da integralidade: cotidiano, saberes, práticas em saúde. 3. ed. Rio de Janeiro: Cepesc: IMS: Uerj: Abrasco, 2004.

PREFEITURA DE JANAÚBA. Disponível em: https://janauba.mg.gov.br/cidade/historia. Acesso em: 1 maio 2021.

RAMOS, M. N. Concepção do ensino médio integrado à educação profissional. In: RAMOS, M. N. O ensino médio integrado à educação profissional: concepções e construções a partir da implantação na Rede Pública Estadual do Paraná. Curitiba: SEED, 2007.

RAMOS, M. N. Concepção do ensino médio integrado. Curitiba: SEED, 2008. Disponível em: https://tecnicadmiwj.files.wordpress.com/2008/09/texto-concepcao-do-ensino-medio-integradomarise-ramos1.pdf. Acesso em: 27 jun. 2018.

RAMOS, M. N.; CIAVATTA, M. Ensino médio integrado: concepção e contradições. São Paulo: Cortez, 2005.

SAVIANI, D. Pedagogia: o espaço da educação na universidade. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 37, n. 130, p. 99-134, abr. 2007. Doi: 10.1590/S0100-15742007000100006. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-15742007000100006&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 22 nov. 2019.

SEMERARO, G. Filosofia da práxis e (neo)pragmatismo. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 29, p. 28-40, maio/jun./jul./ago. 2005. Doi: 10.1590/S1413-24782005000200003. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbedu/a/Cjxrnd9QzJRJdLjrwfMyThk/?lang=pt. Acesso em: 2maio 2021.

VÁSQUEZ, A. S. Filosofia da práxis. Buenos Aires: CLACSO. São Paulo: Expressão Popular, 2011.

Downloads

Publicado

2021-09-29

Como Citar

ANJOS, H. V. M. dos .; BARROS, G. de S. F.; RODRIGUES, F. B. . A pedagogia libertadora e a práxis educativa freireanas na Educação Profissional e Tecnológica: o caso do Curso Técnico em Vigilância em Saúde Integrado ao Ensino Médio. Revista de Educação Popular, [S. l.], p. 225–246, 2021. DOI: 10.14393/REP-2021-62070. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/reveducpop/article/view/62070. Acesso em: 11 ago. 2022.