A Pedagogia da Autonomia e o ensino de Matemática

Autores

  • Jocinéia Medeiros Universidade Estadual do Oeste do Paraná
  • Marcos Lübeck Universidade Estadual do Oeste do Paraná https://orcid.org/0000-0001-6787-7083
  • Graciela Siegloch Lins Universidade Estadual do Oeste do Paraná
  • Fernando Luiz Andretti Universidade Estadual do Oeste do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.14393/REP-2020-52201

Palavras-chave:

Impostos, Ensino, Matemática, Paulo Freire, Prática educativa

Resumo

Por ser comum ouvir comentários negativos relacionados à Matemática é que se torna essencial a busca por processos de ensino e aprendizagem que deem sentido aos conteúdos matemáticos curriculares, de maneira a mudar esses juízos e a proporcionar aos educandos desenvolverem mais gosto por essa disciplina. Nesse aspecto, os conhecimentos sobre os saberes necessários à prática educativa, do livro Pedagogia da Autonomia de Paulo Freire, contribuem para um pensar, no caso da Matemática, mais humanizado, ou seja, em uma Matemática contextualizada dentro da realidade vivida pelos educandos. Dessa forma, este texto tem por finalidade apresentar um relato de experiência de uma atividade matemática, utilizando a teoria desse pensador com alunos do 5º ano do Ensino Fundamental I, de uma escola municipal de Foz do Iguaçu, Paraná. Seu tema envolveu o cálculo de impostos embutidos numa compra de supermercado e a metodologia usada seguiu preceitos da pesquisa-ação. Este trabalho mostrou-se bastante relevante por apresentar uma compreensão de que é muito importante vincular os conteúdos matemáticos curriculares com a realidade do educando e por problematizar esses conteúdos nas suas relações sociais, políticas e econômicas, e assim desenvolver a consciência crítica dos envolvidos sobre a sua presença no mundo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jocinéia Medeiros, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Mestra em Ensino pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Brasil; assistente em administração na Universidade Federal da Integração Latino-americana, Paraná, Brasil.

Marcos Lübeck, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Doutor em Educação Matemática pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Campus Rio Claro, São Paulo, Brasil; professor adjunto da Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Brasil.

Graciela Siegloch Lins, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Mestra em Ensino pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Campus Foz do Iguaçu, Brasil; professora da rede estadual de educação de Foz do Iguaçu, Paraná, Brasil.

Fernando Luiz Andretti, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Mestre em Ensino pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná, campus Foz do Iguaçu; professor da rede municipal de educação de Foz do Iguaçu, Paraná, Brasil.

Referências

BODGAN, R. C.; BIKLEN, S. K. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e os métodos. Porto: Porto, 1999.

BRASIL. Lei nº 12.612/2012, de 13 de abril de 2012. Declara o educador Paulo Freire Patrono da Educação Brasileira. Brasília: MEC, 2012. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12612.htm. Acesso em: 4 dez. 2019.

D’AMBROSIO, U. A história da matemática: questões historiográficas e políticas e reflexos na educação matemática. In: BICUDO, M. A. V. (org.). Pesquisa em educação matemática: concepções e perspectivas. São Paulo: Editora da UNESP, 1999. p. 97-115.

FIORENTINI, D.; LORENZATO, S. Investigação em educação matemática: percursos teóricos e metodológicos. Campinas: Autores Associados, 2006.

FREIRE, P. Educação como prática da liberdade. 30. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2007.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessário à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 47. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2008.

FREIRE, A. M. A. A voz da esposa: a trajetória de Paulo Freire. In: GADOTTI, M. Paulo Freire: uma bibliografia. São Paulo: Cortez/Instituto Paulo Freire, 1996. p. 27-68.

GADOTTI, M. A voz do biógrafo brasileiro: a prática à altura do sonho. In: GADOTTI, M. Paulo Freire: uma bibliografia. São Paulo: Cortez/Instituto Paulo Freire, 1996. p. 69-115.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

LIMA, B. P. Tributos indiretos oneram os mais pobres e tiram competitividade do país. O Estado de S. Paulo. 23 maio 2014. Disponível em: https://economia.estadao.com.br/noticias/geral,tributos-indiretos-oneram-os-mais-pobres-e-tiram-competitividade-do-pais-imp-,1170528. Acesso em: 4 dez. 2019.

MEDEIROS, J. A aversão à matemática no olhar dos professores licenciados em matemática da rede municipal de ensino de Foz do Iguaçu/PR. 2019. 155 f. Dissertação (Mestrado em Ensino) – Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Foz do Iguaçu, 2019.

OLIVEIRA, M. M. de. Como fazer pesquisa qualitativa. 7. ed. Petrópolis: Vozes, 2016.

PILETTI, C.; PILETTI, N. História da educação: de Confúcio a Paulo Freire. São Paulo: Contexto, 2012.

SKOVSMOSE, O. Educação matemática crítica: a questão da democracia. Campinas, SP: Papirus, 2001.

SUGESTÃO n° 47, de 2017. Brasília: Senado Federal, 2017. Disponível em: https://www25.senado.leg.br/web/atividade/materias/-/materia/131196/pdf. Acesso em: 4 dez. 2019.

Downloads

Publicado

01-09-2020

Como Citar

MEDEIROS, J.; LÜBECK, M.; LINS, G. . S.; ANDRETTI, F. L. . A Pedagogia da Autonomia e o ensino de Matemática. Revista de Educação Popular, Uberlândia, v. 19, n. 2, p. 258–274, 2020. DOI: 10.14393/REP-2020-52201. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/reveducpop/article/view/52201. Acesso em: 14 jul. 2024.

Edição

Seção

Relatos de experiência