Atividades práticas em hortas escolares no processo de ensino e aprendizagem de Geografia para estudantes com deficiência intelectual

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/REP-2020-51753

Palavras-chave:

Geografia, Ensino, Aprendizagem, Horta escolar, Deficiência intelectual

Resumo

O presente artigo corresponde aos resultados parciais de uma pesquisa de dissertação de mestrado cujo objetivo foi investigar as possibilidades e os desafios no processo de ensino e aprendizagem de Geografia com atividades práticas em horta escolar. A pesquisa foi fomentada pela observação das dificuldades dos professores de Geografia em trabalhar junto a alunos com deficiência intelectual (DI), devido à escassez de materiais didáticos adequados e à formação docente insuficiente. Os sujeitos do estudo são estudantes com DI, matriculados nas séries finais de uma escola do ensino fundamental na cidade do Gama-DF. Para o respectivo estudo, utilizamos a pesquisa qualitativa como metodologia. A utilização da horta escolar como recurso pedagógico de ensino possibilitou a promoção de uma aprendizagem mais significativa, que contemplou também outras habilidades humanas interessantes para alunos com DI, ao associar os conteúdos geográficos aplicados durante o desenvolvimento das atividades práticas na horta escolar nas aulas de Geografia. No decorrer da pesquisa foi perceptível o quanto as atividades práticas no espaço físico da horta escolar no ensino de Geografia para alunos com DI foram eficazes, deram sentido para a compreensão e reflexão sobre os saberes geográficos, além de fortalecerem ações de inclusão no espaço escolar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juanice Pereira dos Santos Silva, Universidade de Brasília

Doutoranda em Geografia pela Universidade de Brasília, Brasil; professora da rede estadual de educação do Distrito Federal, Brasil. 

Ruth Elias de Paula Laranja, Universidade de Brasília

Doutora em Geografia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, São Paulo, Brasil, com estágio pós-doutoral na Universidade do Porto, Portugal; professora adjunta I do Departamento de Geografia da Universidade de Brasília, Brasil.

Referências

ANACHE, A. A. Reflexões sobre o diagnóstico psicológico da deficiência mental utilizado em educação especial. In: REUNIÃO ANUAL DA ANPED, 24., 2001, Caxambu. Anais [...]. Caxambu: Anped, 2001. Disponível em: http://24reuniao.anped.org.br/tp1.htm#gt15. Acesso em: 20 fev. 2020.

ANACHE, A. A. Aprendizagem de pessoas com deficiência intelectual: desafios para o professor. In: MITJÁNS MARTÍNEZ, A.; TACCA, M. C. V. R. (org.). Possibilidades de aprendizagem: ações pedagógicas para alunos com dificuldade e deficiência. Campinas, SP: Alínea, 2011. p. 109-138.

AZEVEDO, R. M.; STEINKE, V. A.; LEITE, C. M. C. A Fotografia como recurso lúdico para o ensino de geografia. In: STEINKE, V. A.; REIS JÚNIOR, D. F.; COSTA, E. B. (org.). Geografia e fotografia: apontamentos teóricos e metodológicos. Brasília: Editora UnB, 2014. p. 159.

BEYER, H. O. Educação inclusiva ou integração escolar?: implicações pedagógicas dos conceitos como rupturas paradigmáticas. In: SEMINÁRIO NACIONAL DE FORMAÇÃO DE GESTORES E EDUCADORES, 3., 2006, Brasília. Ensaios pedagógicos. Brasília: MEC/Secretaria de Educação Especial, 2006. p. 277-280. Tema: Educação inclusiva: direito à diversidade. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/ensaiospedagogicos2006.pdf. Acesso em: 16 maio 2019.

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição [da] República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal, 1988.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF, 1996.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Diário Oficial da União. Brasília, 7 jul. 2015.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Resolução nº 2, de 11 de setembro de 2001. Estabelece diretrizes nacionais para educação especial na educação especial na educação básica. Diário Oficial do Distrito Federal. Brasília, DF, 11 set. 2001. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CEB0201.pdf. Acesso em: 21 dez. 2019

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Política Nacional de Educação Especial. Brasília: MEC/SEESP, 1994.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1998.

CASTELLAR, S. M. Educação geográfica: a psicogenética e o conhecimento escolar. Cad. Cedes, Campinas, v. 25, n. 66, p. 209-225, maio-ago. 2005. Doi: 10.1590/S0101-32622005000200005.

CAVALCANTI, L. Cotidiano, mediação pedagógica e formação de conceitos: uma contribuição de Vygotsky ao ensino de Geografia. Cad. Cedes, Campinas, v. 25, n. 66, p. 185-207, 2005. Doi: 10.1590/S0101-32622005000200004.

DISTRITO FEDERAL. Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal. Currículo em Movimento da Educação Básica: Educação Especial. Brasília: SEEDF, 2014.

FERNANDES, M. C. A. Orientações para implantação e implementação da horta escolar. Brasília: MEC, 2007. (Caderno 2).

JAPIASSÚ, H.; MARCONDES, D. Dicionário básico de Filosofia. 4. ed. atual. Rio de Janeiro: J. Zahar, 2006.

GADOTTI, M. Pedagogia da terra. 5. ed. São Paulo: Fundação Peirópolis, 2000.

MANTOAN, M. T. E. Inclusão escolar: o que é? por quê? como fazer? São Paulo: Moderna, 2003.

MANTOAN, M. T. E. Igualdade e diferenças na escola: como andar no fio da navalha. In: MANTOAN, M. T. E.; PRIETO, R. G.A.; ARANTES, V. A. (org.). Inclusão escolar: pontos e contrapontos. São Paulo: Summus Editorial, 2006. p. 104.

MORGADO, F. S. A horta escolar na educação ambiental e alimentar: experiência do projeto Horta Viva nas escolas municipais de Florianópolis. 2006. 50 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharel em Engenharia Agrônoma) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2006.

STAINBACK, S; STAINBACK, W. Inclusão: um guia para educadores. Tradução de Magda França Lopes. Porto Alegre: Artes Médicas, 1999.

VYGOTSKY, L. S. Fundamentos de defectologia. Obras Escogidas. Madri: Visor, 1997. v. 5.

Downloads

Publicado

01-09-2020

Como Citar

SILVA, J. P. dos S. .; LARANJA, R. . E. de P. Atividades práticas em hortas escolares no processo de ensino e aprendizagem de Geografia para estudantes com deficiência intelectual. Revista de Educação Popular, Uberlândia, v. 19, n. 2, p. 64–82, 2020. DOI: 10.14393/REP-2020-51753. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/reveducpop/article/view/51753. Acesso em: 14 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos Originais