As relações entre pedagogia social, educação social e educação popular no Brasil

saberesfazeres de resistência, produzindo subjetividades resilientes

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/REP-2020-50913

Palavras-chave:

Pedagogia Social, Educação social, Educador social, Processos educativos, Educação popular

Resumo

O objetivo deste artigo é descrever compreensivamente as relações entre a pedagogia social, educação social e a educação popular, pontuando as afinidades entre estes saberesfazeres, seus imbricamentos e a formação dos educadores sociais diante deles. Foi adotada como perspectiva metodológica a fenomenologia associada à pesquisa bibliográfica e histórica. A vocação histórica do homem é “ser sujeito” de si junto com o outro no mundo, e o educador social como sujeito que é na sua cotidianidade profissional, produz resistência para ser e levar ao outro (educando) a também existir-se assim. A pedagogia social imbricada com a educação social e a educação popular, afirmando suas diferenças, mas sem estranhamentos conceituais ou ideológicos seria enfim um “inédito viável, um acreditar em um outro possível processo educativo e civilizatório que, na verdade, já ocorre nas margens de diversas periferias brasileiras.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rodrigo Bravin, Universidade Federal do Espírito Santo

Doutorando em Educação pela Universidade Federal do Espírito Santo, Brasil; professor MAPB da Secretaria de Educação do Espírito Santo, Brasil. 

Jacyara Silva de Paiva, Universidade Federal do Espírito Santo

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Espírito Santo,  Brasil, com estágio sanduíche na Universidade de São Paulo, Brasil; professora adjunta do Departamento de Linguagens, Cultura e Educação da Universidade Federal do Espírito Santo, Brasil.

Hiran Pinel, Universidade Federal do Espírito Santo

Doutor em Psicologia pela Universidade de São Paulo, Brasil; com estágio pós-doutoral na Universidade Federal de Minas Gerais, Brasil; professor titula da Universidade Federal do Espírito Santo, Brasil; Coordenador do Grupo de Fenomenologia, Educação (Especial) & Inclusão (GRUFEI-UFES).

Referências

BOS, A. Desafios para uma pedagogia social. São Paulo, SP: Antroposófica, 1986.

CABANAS, J. M. Q. Antecedentes históricos de la educación social. In: PETRUS, A. (org.). Pedagogia social. Espanha: Ariel, 1997. p. 68-91.

CARRERAS, J. S. La construcción de la pedagogía social: algunas vias de aproximación. In PETRUS, A. (org.). Pedagogia social. Espanha: Ariel, 1997. p. 40-67.

DUSSEL, E. Ética de la liberación en la edad de la globalización y de la exclusión. Madrid: Trotta, 1998.

FORGHIERI, Y. C. Psicologia fenomenológica: fundamentos, método e pesquisas. São Paulo: Pioneira; Cengage, 2001.

FREIRE, A. M. A. Inédito viável. In: STRECK, D. R.; REDIN, E.; ZITKOSKI, J. J. (org.). Dicionário Paulo Freire. Belo Horizonte: Autêntica, 2010. p. 223-226.

FREIRE, P. Conscientização; teoria e prática da libertação: uma introdução ao pensamento de Paulo Freire. São Paulo: Moraes, 1980.

FREIRE, P. Educadores de rua: uma abordagem crítica: alternativas de atendimento aos meninos de rua. Bogotá: Unicef, 1989. (Série Metodológica).

FREIRE, P. Pedagogia da esperança. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1993.

FREIRE, P. Pedagogia da indignação: cartas pedagógicas e outros escritos. São Paulo: UNESP, 2000.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 11. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

LIMA, J. F. L. de. Pestalozzi: o Romantismo e o nascimento da Pedagogia Social. Ciências & Letras, Porto Alegre, n. 47, p. 123-135, jan./jun. 2010. Disponível em: http://seer1.fapa.com.br/index.php/arquivos. Acesso em: 21 jun. 2019.

MACHADO, E. M. Pedagogia social no Brasil: políticas, teorias e práticas em construção. In: CONGRESSO EDUCERE, 11., ENCONTRO BRASILEIRO DE PSICOPEDAGOGIA, 3., 2009. Anais [...]. 2009. Disponível em: http://www.pucpr.br/eventos/educere/educere2009/anais/pdf/PAL010.pdf. Acesso em: 7 mar. 2018.

MONTAÑO, C. Terceiro setor e questão social: crítica ao padrão emergente de intervenção social. Cortez: São Paulo, 2005.

MORAES, C. A. de. Pedagogia social comunidade e formação de educadores: na busca do saber sócio-educativo. Disponível em: http://www.smec.salvador.ba.gov.br/site/documentos/espaco-virtual/espaco-autorias/artigos/pedagogia-social.pdf. Acesso em: 1º jan. 2019.

MOTA NETO, J. C. da; OLIVEIRA, I. A. D. E. Contribuições da educação popular à pedagogia social. Revista de Educação Popular, Uberlândia, v. 16, n. 3, p. 21-35, set.-dez. 2018. Doi: 10.14393/REP-v16n32017-art02.

PINEL, H. Apenas dois rapazes & uma pedagogia social; cinema, existencialismo e educação a partir de “Brokeback Mountain” de Ang Lee. Vitória: Produção Experimental, 2005.

PINEL, H. Pedagogia social: subsídios a partir do “cinema, educação & inclusão”. Vitória: Edição do Autor, 2011.

PINEL, H.; PAIVA, J. S. de. Educação social/pedagogia social: uma história dos saberesfazeres de resistência e produção de subjetividades resilientes. In: FERREIRA, V. A. (org.). Pedagogia social: lugar de (re)existência. Curitiba: CRV, 2019.

QUINTANA, J. M. Pedagogía social. Madrid: Dykinson, 1988.

RAMOS, L. M. P. de C. Educação de rua: o que é, o que faz, o que pretende. Rio de Janeiro. Amais, 1999.

RIBAS MACHADO, E. A constituição da pedagogia social no contexto educacional brasileiro. 2010. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2010.

RIBAS MACHADO, E. O desenvolvimento da pedagogia social sob a perspectiva comparada: o estágio atual no Brasil e na Espanha. 2014. 296 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014.

TRILLA, J. La educacion fuera de la escuela: ambitos no formales y educación social. Barcelona: Ariel, 1996.

TRILLA, J.; PETRUS, A.; ROMANS, M. Profissão educador social. Porto Alegre: Artmed, 2003.

VOLPI, M. Sem liberdade, sem direitos: a privação da liberdade na percepção do

Downloads

Publicado

01-09-2020

Como Citar

BRAVIN, R.; PAIVA, J. S. de; PINEL, H. As relações entre pedagogia social, educação social e educação popular no Brasil: saberesfazeres de resistência, produzindo subjetividades resilientes. Revista de Educação Popular, Uberlândia, v. 19, n. 2, p. 4–24, 2020. DOI: 10.14393/REP-2020-50913. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/reveducpop/article/view/50913. Acesso em: 18 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos Originais