Trans.formando-se

a educação popular na construção de saberes sobre saúde da população trans

Autores

  • Arthur Fernandes Sampaio Universidade do Estado do Rio Grande do Norte
  • Karlla Christine Araújo Souza Universidade do Estado do Rio Grande do Norte
  • Amélia Carolina Lopes Fernandes niversidade do Estado do Rio Grande do Norte

DOI:

https://doi.org/10.14393/rep-v18n22019-47100

Palavras-chave:

Transexualidade, Círculo de Cultura, Saúde

Resumo

As articulações de pessoas trans se dão por meio de pautas, versando basicamente sobre direitos humanos. Sobre esses direitos, o campo da saúde é um dos que possibilita o acompanhamento desse caminhar. Este artigo trata-se de uma pesquisa-intervenção com objetivo de conhecer sobre a saúde das pessoas trans a partir de uma intervenção em educação com profissionais de saúde residentes. Para isso, foi usada a metodologia freiriana do Círculo de Cultura com os profissionais de saúde. Foram produzidos os seguintes temas: Educação, Respeito às diferenças, Seus ouvidos têm paredes e (Des)Construção. Foi possível perceber a dificuldade de manejo dos residentes em relação às demandas das pessoas trans. Pode-se perceber ainda que a metodologia utilizada conseguiu promover problematizações e um espaço formativo a esses residentes, sinalizando uma transformação no cenário de saúde atual. Assim, nota-se que uma educação democrática pode ser geradora de mudanças, pois afeta, implica e pode gerar empatia. E esta, no que diz respeito ao entendimento do processo saúde-doença de pessoas trans, parece ser fundamental na mudança de realidades.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Arthur Fernandes Sampaio, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Especialista em Residência Multiprofissional em Atenção Básica/Saúde da Família e Comunidade pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, Brasil.

Karlla Christine Araújo Souza, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Pós-doutora em Sociologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Brasil; professora adjunta IV da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, Brasil. 

Amélia Carolina Lopes Fernandes, niversidade do Estado do Rio Grande do Norte

Mestre em Saúde e Sociedade pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, Brasil; professora adjunta I da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, Brasil.

Referências

ARAUJO, D.; MIRANDA, M. C. G.; BRASIL, S. Formação de profissionais de saúde na perspectiva da integralidade. Revista Baiana de Saúde Pública, Salvador, v. 31, Supl.1, jun, 2007, p. 20-31.

BRASIL. Ministério da Saúde. Política de educação e desenvolvimento para o SUS: caminhos para a educação permanente em saúde: polos de educação permanente em saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2004. 68 p.

BRASIL. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Relatório Final da 13ª Conferência Nacional de Saúde: saúde e qualidade de vida: políticas de Estado e desenvolvimento. Brasília: MS, 2008. 246 p. (Série C. Projetos, Programas e Relatórios).

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 1.820, de 13 de agosto de 2009. Dispõe sobre os direitos e deveres dos usuários da saúde. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2017/MatrizesConsolidacao/comum/5724.html. Acesso em: 15 fev. 2019.

BRASIL. Ministério da Saúde. Política Nacional de Saúde Integral de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais. Brasília: MS, 2012.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 2.803, de 19 de novembro de 2013. Redefine e amplia o Processo Transexualizador no Sistema Único de Saúde (SUS). Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2013/prt2803_19_11_2013.html.

BRASIL. Ministério da Saúde. Cuidar bem da saúde de cada um faz bem para todos, faz bem para o Brasil. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/cuidar_bem_saude_populacao_trans.pdf. Acesso em: 10 fev. 2019.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 2.436, de 21 de setembro de 2017. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes para a organização da Atenção Básica, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2017/prt2436_22_09_2017.html. Acesso em: 10 jan. 2019.

BENTO, B. O que é transexualidade? São Paulo: Brasiliense, 2008.

CARVALHO, M.; CARRARA, S. Em direção a um futuro trans?: contribuições para a história do movimento de travestis e transexuais no Brasil. Revista LatinoAmericana Sexualidad, Salud y Sociedad, Rio de Janeiro, n. 14, p. 319-351, ago. 2013. Doi:10.1590/S1984-64872013000200015.

CECCIM, R. B. Educação permanente em saúde: desafio ambicioso e necessário. Interface: Comunicação, Saúde, Educação, v. 9, n. 16, p.161-177, set. 2004-fev.2005. Doi: 10.1590/S1414-32832005000100013.

CECCIM, R. B.; FERLA, A. A. Residência integrada em saúde. In: PINHEIRO, R..; MATTOS, R. A. (org.). Construção da integralidade: cotidiano, saberes e práticas em saúde. Rio de Janeiro: Abrasco, 2003, p. 211-224.

DANTAS, V. L.; LINHARES, A. M. B. Círculos de cultura: problematização da realidade e protagonismo popular. In: Caderno de Educação Popular em Saúde. v. 2. Brasília: MS, 2014. p. 73-76.

DALMOLIN, I. et al. Dialogando com Freire no círculo de cultura: uma estratégia de promoção da saúde. Revista Enfermagem UFPE, Recife, jan. 2016, p. 185-190. Doi: 10.5205/reuol.8423-73529-1-RV1001201624.

FRANCO, J. B.; LOUREIRO, C. F. B. Aspectos teóricos e metodológicos do círculo de cultura: uma possibilidade pedagógica e dialógica em educação ambiental. Ambiente & Educação Revista de Educação Ambiental, Rio Grande, v. 17, n.1, 2012. Disponível em: https://periodicos.furg.br/ambeduc/article/view/2422. Acesso em: 10 fev. 2019.

FREIRE, P. Educação como prática de liberdade. 20. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1991.

FREIRE, P. Extensão ou comunicação? Tradução de Rosisca Darcu de Oliveira. 7. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 20 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2001a

FREIRE, P. Política e educação: ensaios. 5. ed. São Paulo, Cortez, 2001b. (Coleção Questões de Nossa Época, v. 23.).

HALL, S. Quem precisa da identidade? In: SILVA, T. T.; HALL, S.; WOODWARD, K. (org.). Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. 15. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014. p. 103-133.

JESUS, J. G. Orientações sobre a população transgênero: conceitos e termos. Brasília, 2012.

MACHADO, M. F. A. S. et al. Integralidade, formação de saúde, educação em saúde e as propostas do SUS: uma revisão conceitual. Revista Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 12, n. 2, p. 335-342, mar.-abr. 2007. Doi: 10.1590/S1413-81232007000200009.

MARTINELLI, A. Após 28 anos, OMS deixa de classificar transexualidade como doença mental. LGBT. 2018. Disponível em: https://www.huffpostbrasil.com/2018/06/18/apos-28-anos-transexualidade-deixa-de-ser-classificada-como-doenca-pela-oms_a_23462157/. Acesso em: 17 dez. 2018.

PAHO. OMS divulga nova Classificação Internacional de Doenças (CID 11), 2018. Disponível em: https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5702:oms-divulga-nova-classificacao-internacional-de-doencas-cid-11&Itemid=875. Acesso em: 17 dez. 2018.

RAMMINGER, T. Entre a normatividade e a normalidade: contribuições de G. Canguilhem e M. Foucault para as práticas de saúde. Mnemosine, Rio de Janeiro, v. 4, n. 2, p. 68-97, 2008. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/mnemosine/article/view/41448/pdf_143. Acesso em: 10 jan. 2019.

SODRÉ, M. Por um conceito de minoria. In: PAIVA, R.; BARBALHO, A. (org.). Comunicação e cultura das minorias. São Paulo: Paulus, 2005. p. 11-24.

SOUZA, I. O que são Direitos Humanos? 2017. Disponível em: http://www.politize.com.br/direitos-humanos-o-que-sao/. Acesso em: 21 jan. 2019.

VASCONCELOS, E. M. Educação popular, um jeito de conduzir o processo educativo. In: VASCONCELOS, E. M.; CRUZ, P. J. S. C. (org.). Educação popular na formação universitária: reflexões com base em uma experiência. São Paulo: Hucitec; João Pessoa: Editora Universitária da UFPB, 2013. p. 28-39.

Downloads

Publicado

15-10-2019

Como Citar

SAMPAIO, A. F.; SOUZA, K. C. A.; FERNANDES, A. C. L. Trans.formando-se: a educação popular na construção de saberes sobre saúde da população trans . Revista de Educação Popular, Uberlândia, v. 18, n. 2, p. 229–251, 2019. DOI: 10.14393/rep-v18n22019-47100. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/reveducpop/article/view/47100. Acesso em: 19 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos Originais