A contribuição de Paulo Freire e a aproximação com os direitos humanos na práxis educativa da CEPLAR (1960-1964)

Autores

  • David Azevedo Glasiel Universidade Federal da Paraíba
  • Luiz Gonzaga Gonçalves Universidade Federal da Paraíba

DOI:

https://doi.org/10.14393/rep-v15n22016-art08

Palavras-chave:

Educação Popular. Práxis Educativa. Direitos Humanos.

Resumo

O objetivo deste artigo é compreender os meios pelos quais, a partir da contribuição epistemológica do educador Paulo Freire, a Campanha de Educação Popular da Paraíba (CEPLAR), em sua práxis, tornou-se o primeiro movimento voltado para a educação popular a se aproximar dos direitos humanos. No ínterim que vai de 1960 até 1964, percebeu-se que a CEPLAR firmou uma práxis educativa conscientizadora, reflexiva e dialógica voltada para o protagonismo, em oposição ao paradigma tradicional vigente, que ultrapassou os muros escolares, as fronteiras epistemológicas e consolidou o âmbito educativo como espaço de reivindicação e alcance dos direitos. É para além, portanto, de uma percepção metódica da história que este processo investigativo insinua desvelar os desdobramentos históricos que possibilitam enxergar e compreender a CEPLAR como um movimento legítimo de aproximação entre a educação popular e os direitos humanos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

David Azevedo Glasiel, Universidade Federal da Paraíba

Mestre em Educação pela Universidade Federal da Paraíba

Luiz Gonzaga Gonçalves, Universidade Federal da Paraíba

Pós-doutor em Educação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos, Rio Grande do Sul; professor associado da Universidade Federal da Paraíba.

Referências

BENEVIDES, M. V. de M. Direitos Humanos: desafios para o século XXI. In: SILVEIRA, R. M. G. et al. Educação em Direitos Humanos: fundamentos teórico-metodológicos. João Pessoa: Editora Universitária, 2007. p. 346.

BOTH, V.; BRUTSCHER, V. J. Educação popular e direitos humanos: pautas pedagógicas para a atuação. In: CARBONARI, P. C.; KUJAWA, H. A. (Org). Direitos humanos desde Passo Fundo: homenagem aos vinte anos da Comissão de Direitos Humanos de Passo Fundo. Passo Fundo: CDHPF/IFIBE, 2004. p. 89-109.

BRAND

BRAUDEL, F. História e Ciências Sociais: a longa duração. In: _____. Escritos sobre a História. 2. ed. São Paulo: Perspectiva, 1992. p. 41-78.

DECLARA

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1968.

GADOTTI, M. Pedagogia da práxis. São Paulo: Cortez, 1995.

_____. Um legado de esperança. São Paulo: Cortez, 2001.

GADOTTI, M.; ABR

PADILHA, P. R. Educação em direitos humanos sob a ótica dos ensinamentos de Paulo Freire. Revista Múltiplas Leituras, São Paulo, v. 1, n. 2, p. 23-35, jul./dez. 2008. https://doi.org/10.15603/1982-8993/ml.v1n2p23-35

PINI, F. R. de O.; MORAES, C. V. (Org.). Educação, participação política e direitos humanos. São Paulo: Editora e Livraria Instituto Paulo Freire, 2011. p. 43-62.

PORTO, M. das D. de O.; LAGE, I. L. da C. CEPLAR: história de um sonho coletivo. João Pessoa: SEC-PB, 1995.

RIZZI, E. G.; GONZALEZ, M.; XIMENES, S. B. Direito humano à educação. Disponível em:<http://www.dhescbrasil.org.br/projetos/clientes/noar/noar/UserFiles/30/File/Publica%E7%F5es/Dh%20a%20Educa%E7%E3o%20-%20internet.pdf >. Acesso em: 20 abr. 2015.

SANTOS, B. de S.; MENESES, M. P. (Org.) Epistemologias do Sul. São Paulo: Cortez, 2010.

SCOCUGLIA, A. C. Educação popular: do sistema Paulo Freire aos IPMs da ditadura. João Pessoa: Editora Universitária UFPB; São Paulo: Cortez; Instituto Paulo Freire, 2000.

_____. A. C. A história da alfabetização política na ParaibaBrasil dos anos sessenta. 1997. Tese (Doutorado em História)

_____. CEPLAR: memória de um movimento de cultura e educação popular. Em Aberto, Brasília, v. 11, n. 56, out./dez. 1992.

VIVALDO, F. V. Educação em direitos humanos: abordagem histórica, a produção e experiência brasileira. 2009. 158f. Dissertação (Mestrado em Educação)

Downloads

Publicado

03-01-2017

Como Citar

AZEVEDO GLASIEL, D.; GONÇALVES, L. G. A contribuição de Paulo Freire e a aproximação com os direitos humanos na práxis educativa da CEPLAR (1960-1964). Revista de Educação Popular, Uberlândia, v. 15, n. 2, p. 110–126, 2017. DOI: 10.14393/rep-v15n22016-art08. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/reveducpop/article/view/34488. Acesso em: 19 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos Originais