A história da África e cultura afro-brasileira em situação escolar

Autores

  • Astrogildo Fernandes da Silva Júnior Universidade Federal de Uberlândia
  • Davi Aragão Martins da Silva Universidade Federal de Uberlândia

DOI:

https://doi.org/10.14393/rep-v15n22016-art05

Palavras-chave:

História da África, Cultura afro-brasileira, Lei 10.639/03, Ensino de História

Resumo

O presente texto teve como objetivo apresentar e analisar a Lei nº 10.639/03, que instituiu a obrigatoriedade do estudo da história e cultura da Ãfrica e afro-brasileira, além de resgatar a contribuição das matrizes africanas no Brasil para a formação da identidade nacional, bem como refletir sobre as possibilidades de o ensino da temática auxiliar na construção de identidades afirmativas. A metodologia consistiu em pesquisa bibliográfica, entrevista com professores da educação básica e a produção, desenvolvimento e análise de uma sequência didática trabalhada com estudantes do sétimo ano do ensino fundamental de uma escola pública localizada na cidade de Ituiutaba, Minas Gerais. Concluiu-se com a experiência que, ao estudar o passado e o presente da Ãfrica a partir de uma perspectiva histórica, geográfica e cultural, outros olhares sobre a Ãfrica podem ser descortinados, contribuindo para o propósito da construção de uma identidade afirmativa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Astrogildo Fernandes da Silva Júnior, Universidade Federal de Uberlândia

Possui graduação em História pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Araguari (1996); graduação em Pedagogia pela Uniube (2011); especialização em História pela Universidade Federal de Uberlândia (1999); mestrado em Educação - PPGED/UFU (2007). Doutor em Educação pelo Programa de Pós Graduação em Educação da Universidade Federal de Uberlândia (2012). Professor do Curso de História na FACIP - Faculdades Integradas do Pontal - UFU, Campus Pontal. Atua no Programa de Pós Graduação em Educação da Universidade Federal de Uberlândia - PPGED/UFU, na linha de saberes e práticas educativas. Investiga temáticas relacionadas ao ensino de História, consciência histórica, juventude, identidades e formação de professores. Participa dos seguintes Grupos de Pesquisa: Grupo de Pesquisa Formação Docente, Saberes e Práticas de Ensino de História e Geografia - GEPEGEH; Grupo de Pesquisa História da Educação no meio rural - GPHER. 

Davi Aragão Martins da Silva, Universidade Federal de Uberlândia

Graduando do Curso de História da Faculdade de Ciências Integradas do Pontal da Universidade Federal de Uberlândia FACIP/UFU. Participou de projeto PBG (Programa de Bolsas de Graduação) com temática Diferentes fontes e linguagens no ensino de história: produção de materiais didáticos sobre conteúdos históricos da educação básica. Tem experiência na área de ensino de história, história indígena, história da áfrica, multiculturalismo e estágio supervisionado.

Referências

ARA

ARROYO, M. G. A pedagogia multirracial popular e o sistema escolar. In: GOMES, N. L. Um olhar além das fronteiras: educação e relações raciais. Belo Horizonte: Autêntica, 2010. p. 111-130.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: História. Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1998.

_____. Lei 10.639, de 9 de janeiro de 2003. Altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática

GOMES, N. L. Diversidade étnico-racial e educação no contexto brasileiro: algumas reflexões. In: _____. Um olhar além das fronteiras: educação e relações raciais. Belo Horizonte: Autêntica, 2010. p. 97-109.

GUIDO, H. A arte de aprender: metodologia do trabalho escolar para a Educação Básica. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

KI-ZERBO, J. História geral da África: metodologia e pré-história da África. 2. ed. Brasília: UNESCO, 2010.

LAUTIER, N. Os saberes históricos em situação escolar: circulação, transformação e adaptação. Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 36, n. 1, p. 39-58, jan./abr. 2011. Disponível em: <http://www.ufrgs.br/edu_realidade>. Acesso em: 2 fev. 2016.

MARTINS, A. L. O.; COUTO, C. H. A. do; SILVA J

SILVA, D. A. M. da. Lições de uma experiência: como aprender História em um ambiente intercultural. P@rtes, São Paulo, 15 jan. 2016. Disponível em: <http://www.partes.com.br/2016/01/15/licoes-de-uma-experiencia-como-aprender-historia-em-um-ambiente-intercultural/#.WEqrILIrKUk> . Acesso em: 18 fev. 2016.

MIGNOLO, W. Os esplendores e as misérias da

PAULA, B. X. de. O Ensino de História e Cultura da África e Afro-Brasileira: da experiência e reflexão. In: GUIMAR

SANTOS, B. de S. Para uma sociologia das ausências e uma sociologia das emergências. In: _____. (Org). Conhecimento prudente para uma vida decente: um discurso sobre as ciências revisitado. São Paulo: Cortez, 2004. p. 277-298.

SANTOS, B. de S.; MENESES, M. P. (Org.). Epistemologias do Sul. São Paulo: Cortez, 2010.

SEFFNER, F. Teoria, metodologia e ensino da História. In: GUAZZELLI, C. A. B. et al. (Org.). Questões da teoria e metodologia da história. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2000. p. 257-288.

SILVA, G. C. da. A importância das culturas africanas no ensino de história. In: SILVA, M. et al. (Org.). História: que ensino é esse? Campinas, SP: Editora Papirus, 2013. p. 53-63.

SILVA, T. T. (Org.) Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis, RJ: Vozes, 2000.

Downloads

Publicado

03-01-2017

Como Citar

FERNANDES DA SILVA JÚNIOR, A.; ARAGÃO MARTINS DA SILVA, D. A história da África e cultura afro-brasileira em situação escolar. Revista de Educação Popular, Uberlândia, v. 15, n. 2, p. 64–76, 2017. DOI: 10.14393/rep-v15n22016-art05. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/reveducpop/article/view/33819. Acesso em: 22 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos Originais