O processo criativo com os anthotypes no documentário “Saberes da Terra”

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/OUV-v17n2a2021-61067

Palavras-chave:

Fotografia, documentário, anthotype, agroecologia, hibridação.

Resumo

Este artigo investiga o fazer fotográfico através do processo histórico de fotografia do século XIX, chamado de anthotype, por meio do qual se entrecruzam, a fotografia digital e o vídeo, no documentário “Saberes da Terra”. O documentário, que tem como tema a agricultura agroecológica, faz parte da pesquisa de doutorado em Media Artes, na Universidade da Beira do Interior, em Portugal. A criação das imagens em anthotype, que fazem parte de “Saberes da Terra”, é realizada pelos alimentos dos agricultores agroecológicos entrevistados. Procura-se assim por meio deste estudo, ampliar os horizontes do fazer fotográfico, alcançando novas aberturas e dilatações a partir do encontro e da contaminação das imagens, ampliando o espaço de experimentações poéticas. Essas experiências vão ao encontro dos conceitos de fotografia expandida (Fernandes Junior, 2006) e de hibridação, de Couchot (1993). Assim, o artigo investiga a construção de um campo visual expandido híbrido, entre os pixels da captura digital, dilatado pela impressão artesanal do anthotype, atravessado pelas imagens em movimento do vídeo e, posteriormente, pelo documentário.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2022-01-19

Como Citar

PINHEIRO, D. O processo criativo com os anthotypes no documentário “Saberes da Terra”. ouvirOUver, [S. l.], v. 17, n. 2, p. 219–231, 2022. DOI: 10.14393/OUV-v17n2a2021-61067. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/ouvirouver/article/view/61067. Acesso em: 20 maio. 2022.

Edição

Seção

Dossiê: Processos de criação entre artes: experiências em arte e educação