A bela feira afroindígena

por uma educação estética antirracista

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/OUV-v17n2a2021-60838

Palavras-chave:

Educação Estética. Antirracismo. Metodologia. Figurino. História e cultura afro-brasileira e indígena.

Resumo

Nesta escrita, o autor apresenta o processo de ensino e aprendizagem do conteúdo da história e cultura afro-brasileira e indígena em sala de aula, que culminou no desenvolvimento estéticoe artísticode uma feira afroindígena em uma unidade escolar pública e de ensino médio do Distrito Federal. Por meio de relato, reflexões e diálogos teóricos e empíricos, o autor mostra de que maneira a elaboração de figurinos com materiais reutilizáveis, inspirados em elementos culturais da ancestralidade das matrizes africana e indígena, pode levantar um debate pedagógico a respeito do preconceito incorporado ao cotidiano escolar, e em outros contextos, visando ao fomento de uma educação estética antirracista.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2022-01-19 — Atualizado em 2022-01-20

Como Citar

FRANCO, E. O. A bela feira afroindígena: por uma educação estética antirracista. ouvirOUver, [S. l.], v. 17, n. 2, p. 393–412, 2022. DOI: 10.14393/OUV-v17n2a2021-60838. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/ouvirouver/article/view/60838. Acesso em: 5 dez. 2022.

Edição

Seção

Dossiê: Processos de criação entre artes: experiências em arte e educação