Variação nós e a gente na posição de sujeito na escrita escolar

Autores

  • Elyne Giselle de Santana Lima Aguiar Vitório Universidade Federal de Alagoas - Campus Sertão

DOI:

https://doi.org/10.14393/LL62-v31n2a2015-7

Resumo

Tendo em vista que, na fala, a gente é a forma pronominal preferida para representar a primeira pessoa do plural, mas, na escrita, devido ao conservadorismo linguístico, nós é o pronome selecionado, descrevemos e analisamos as realizações dos pronomes nós e a gente na posição de sujeito na escrita de alunos dos ensinos fundamental e médio da cidade de Maceió/AL. Para tanto, seguimos os pressupostos teórico-metodológicos da Teoria da Variação e Mudança (LABOV, 2008[1972]), associados a estudos linguísticos sobre a representação da primeira pessoa do plural no português brasileiro (OMENA, 1996; 2003; LOPES, 1998; 2004; 2012; ZILLES, 2007; SILVA, 2010; BRUSTOLIN, 2010) e utilizamos, para a análise estatística dos dados, o programa computacional GOLDVARB X. De acordo com os resultados obtidos, verificamos que, na escrita escolar, o pronome nós apresenta um percentual maior de realização - 86% contra apenas 14% do pronome a gente, sendo essa variação condicionada pelos grupos de fatores paralelismo formal, marca morfêmica, preenchimento do sujeito, escolaridade, sexo e tema da produção textual.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2015-12-29

Como Citar

VITÓRIO, E. G. de S. L. A. Variação nós e a gente na posição de sujeito na escrita escolar. Letras & Letras, [S. l.], v. 31, n. 2, p. 128–143, 2015. DOI: 10.14393/LL62-v31n2a2015-7. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/letraseletras/article/view/31429. Acesso em: 25 maio. 2022.