Uso pedagógico da rede social Facebook: argumentação em ambiente virtual

Autores

  • Leila Tupinambá Silva UNIMONTES - Universidade Estadual de Montes Claros
  • Fábia Magali Santos Vieira

DOI:

https://doi.org/10.14393/LL63-v32n4a2016-15

Palavras-chave:

Redes sociais, Interatividade, Produção de textos, Argumentação

Resumo

Esta pesquisa analisa as contribuições das redes sociais como recurso pedagógico no desenvolvimento de habilidades relacionadas à produção de textos argumentativos. A partir de dificuldade diagnosticada em turma de 9º ano de escola da rede pública municipal de Montes Claros - Minas Gerais, com relação à argumentação, e considerando, ainda, o expressivo interesse dos estudantes por tecnologias digitais e sites de redes sociais, surgiu a necessidade de propor um projeto educacional de intervenção que viesse superar ou, ao menos, minimizar as dificuldades verificadas na turma. A práxis, então, consistiu em trabalho desenvolvido a partir do desdobramento ação-reflexão-ação, com abordagem ancorada na teoria interacionista de Bakhtin (1997), estudos teóricos de Coscarelli (2005) e Xavier (2005) sobre o uso das tecnologias no contexto educacional, bem como em apontamentos Recuero (2009), em seu estudo sobre redes sociais na internet, entre outros autores, como Charaudeau (2010) e Koch (1996), e suas contribuições sobre o texto argumentativo. Por meio da criação de grupo fechado no Facebook, verificamos que a rede social, como ambiente que prima pela interatividade, constitui-se como locus de práticas sociodiscursivas, favorecendo, então, o diálogo, a interatividade e a troca de conhecimentos. Levando em consideração os resultados alcançados, foi possível constatar que o trabalho com redes sociais, quando devidamente mediado pelo professor, colabora sobremaneira para promover reflexão e posicionamento crítico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-03-14

Como Citar

SILVA, L. T.; VIEIRA, F. M. S. Uso pedagógico da rede social Facebook: argumentação em ambiente virtual. Letras & Letras, [S. l.], v. 32, n. 4, p. 327–355, 2018. DOI: 10.14393/LL63-v32n4a2016-15. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/letraseletras/article/view/16. Acesso em: 16 maio. 2022.