Matemática do mundo da vida: abordagem metodológica nos anos iniciais do Ensino Fundamental da Educação de Jovens e Adultos

Conteúdo do artigo principal

Célia Souza da Costa
https://orcid.org/0000-0002-9342-961X
Gisele do Rocio Cordeiro
https://orcid.org/0000-0001-5322-4145
Liana da Costa Ferreira Bentes
https://orcid.org/0000-0002-6716-5358

Resumo

A Educação de Jovens e Adultos é uma modalidade de ensino carregada de especificidades, pois o público atendido é diversificado, jovem, adulto e trabalhador geralmente marcados por percalços que dificultaram acesso à educação na idade ideal.  Este artigo tem como objetivo discutir como uma abordagem metodológica diferenciada a partir do mundo da vida pode fazer a diferença no ensino da matemática para os estudantes da EJA. Realizou-se uma pesquisa bibliográfica com abordagem qualitativa considerando as contribuições de autores como Januario (2012, 2014 e 2017), Souza (2012), Sampaio (2009), Basegio e Borges (2013) e Hirye et al. (2016), entre outros, procurando enfatizar a importância de uma abordagem metodológica na Educação de Jovens e Adultos, no ensino da Matemática. Concluiu-se que há a necessidade de uma abordagem metodológica diferenciada, no qual o docente poderá adequar a metodologia de acordo com o perfil do alunado e com os saberes prévios, o conhecimento do mundo da vida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Costa, C. S. da ., Cordeiro, G. do R. ., & Bentes, L. da C. F. . (2020). Matemática do mundo da vida: abordagem metodológica nos anos iniciais do Ensino Fundamental da Educação de Jovens e Adultos. Ensino Em Re-Vista, 27(2), 482–499. https://doi.org/10.14393/ER-v27n2a2020-4
Seção
Dossiê Currículos em Educação Matemática I

Referências

BASEGIO, L. J.; BORGES, M. C. Educação de Jovens e Adultos: reflexões sobre novas práticas pedagógicas. Curitiba: Intersaberes, 2013.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília: Senado Federal, 1996.

BRASIL. Lei n.11.741, de 16 de julho de 2008. Brasília: Senado Federal, 2008. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2008/Lei/L11741.htm. Acesso em 10 nov.2019.

CARRAHER, T. et al. Na vida dez, na escola zero. 15. ed. São Paulo: Cortez, 2010.

CERYNO, E. Conteúdos e metodologias no ensino da matemática I. 2.ed. Florianópolis: UDESC/CEAD, 2006.

COSTA, C. B. Educação de Jovens e Adultos (EJA) e o mundo do trabalho: trajetória histórica e afirmação e negação de direito à educação. Revista Paidéia. Belo Horizonte. Ano 10, n.15,p.59-83. jul./dez.2013. Disponível em http://fumec.br/revistas/paideia/article/viewFile/2403/1448. Acesso em 10 nov.2019.

FONSECA, M.C. F. R.. Educação Matemática de Jovens e Adultos: especificidades, desafios e contribuições. 3 ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora,2009.

GRIFFANTE, A. L. et. al. Os desafios da EJA e sua relação com a evasão. XIII Seminário “Escola e Pesquisa: um encontro possível”.2013. Disponível em https://upplay.com.br/restrito/nepso2013/uploads/Projetos_EJA/Trabalho/08_03_25_Artigo_-_Os_desafios_da_EJA_e_sua_relacao_com_a_evasao.pdf. Acesso em 10 nov.2019.

HIRYE, E. S. et al. Diversidade educacional: uma abordagem no ensino da matemática na EJA. Curitiba: Intersaberes,2016.

HUSSERL, E.. Die Krisis der europäischen Wissenschaften und die transzendentale Phänomenologie. Eine Einleitung in die phänomenologische Philosophie. (Husserliana, vol. VI), edit. BIEMEL, W., 2. ed., Hagen: Martinus Nijhoff, 1969.

INEP. Resumo Técnico: Censo da Educação Básica 2018 [recurso eletrônico]. – Brasília : Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2019.

JANEIRO, C. Educação em valores humanos e EJA. Curitiba: Intersaberes, 2012.

JANUARIO, G. Currículo de matemática da EJA: análise de prescrições na perspectiva cultural da matemática. Dissertação de Mestrado. Pontifícia Universidade Católica do Paraná, 2012.

JANUARIO, G.; FREITAS, A. V.; LIMA, K. Pesquisas e Documentos Curriculares no Âmbito da Educação Matemática de Jovens e Adultos. Bolema, Rio Claro (SP), v. 28, n. 49, p. 536-556, ago. 2014.

JANUARIO, G.; LIMA, K.; MANRIQUE, A. L.. A relação professor-materiais curriculares como temática de pesquisa em Educação Matemática. Educ. Matem. Pesq., São Paulo, v.19, n.3, pp.414-434, 2017.

MARQUES, C. E. A construção do conhecimento de jovens e adultos.2010. Disponível em: http://www.unifan.edu.br/files/pesquisa/EJA%20-%20CRISTIANE%20EUFRASIO.pdf. Acesso em 10 nov.2019.

MISSAGGIA, J. A noção Husserliana de mundo da vida (ILebenswelt)I: em defesa de sua unidade e coerencia. Trans/Form/Ação, Marília (SP), v. 41, n. 1, p. 191-208, jan./mar.2018.

NASCIMENTO, S. M. Educação de Jovens e Adultos EJA, na visão de Paulo Freire. Monografia de especialização em educação: métodos e técnicas de ensino. Universidade Tecnológica do Paraná .45 f.2013.Paranavaí-Paraná.

NEWTON, D. O ensino de matemática na educação de adultos. 11.ed. São Paulo: Cortez, 2010.

PAULA, C. R.; OLIVEIRA, M. C. Educação de jovens e adultos: a educação ao longo da vida. Curitiba: Intersaberes,2012.

SAMPAIO, M. N. Educação de jovens e adultos: uma história de complexidade e tensões. Revista Práxis Educacional. v. 5. n.7, p.13-27. jul./ dez. 2009. Disponível em http://periodicos.uesb.br/index.php/praxis/article/viewFile/241/253. Acesso em 02 nov.2019.

SOUZA, M. A. Educação de jovens e adultos. Curitiba: Intersaberes,2012.

ROMANZINI, B. EJA–Ensino de Jovens e Adultos e o mercado de trabalho. Qual ensino? Qual trabalho. Universidade Estadual de Londrina, Paraná, 2010. Disponível em: http://www.uel.br/projetos/lenpes/pages/arquivos/aBeatriz%20Artigo.pdf. Acesso em 01 nov. 2019.