Artefatos culturais e a abordagem sobre gênero e sexualidade: a revista Nova Escola

Conteúdo do artigo principal

Rita de Cássia Petrenas
https://orcid.org/0000-0001-8116-2607

Resumo

O trabalho teve como objetivo analisar os artigos sobre a temática sexualidade e gênero presentes na revista Nova Escola, no período de 2000 a 2017.  Trata-se de uma pesquisa documental, utilizando para análise dos artigos a Análise de Conteúdo Temática. A pesquisa identificou um considerável número de artigos que abordam assuntos variados que podem enriquecer o aprendizado e a prática docente, bem como as experiências construídas no cotidiano das escolas. Conclui-se que para tanto, é preciso que os educadores percebam os limites da produção jornalística destinada aos docentes. Dentre esses limites podemos apontar a linguagem simplificada, textos com caráter prescritivo, valorização de modismos e inovações pedagógicos, e a aposta exagerada no empenho dos docentes para achar a solução para os problemas pedagógicos, culturais e sociais que abrangem a prática educativa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Petrenas, R. de C. . (2019). Artefatos culturais e a abordagem sobre gênero e sexualidade: a revista Nova Escola. Ensino Em Re-Vista, 26(Especial), 1238–1260. https://doi.org/10.14393/ER-v26nEa2019-13
Seção
Artigos

Referências

ASSOCIAÇÃO NOVA ESCOLA. Nossa história. Disponível em: https://novaescola.org.br/quem-somos. Acesso em: 16 jun. 2018a.

ASSOCIAÇÃO NOVA ESCOLA. Quem somos. Disponível em: https://novaescola.org.br/quem-somos. Acesso em: 16 jun. 2018b.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Tradução de Luís Antero Reto e Augusto Pinheiro. Lisboa: Edições 70, 1977.

BENCINI, Roberta. Brincadeiras não tem sexo. Nova Escola, São Paulo,n. 203, p. 104-107, jun./jul. 2007.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Base Nacional Comum Curricular. Proposta preliminar. Brasília: MEC, 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCCpublicacao.pdf. Acesso em: 29 ago. 2017.

______. Parâmetros curriculares nacionais: pluralidade cultural: orientação sexual. Brasília: A Secretaria, 2001.

______. Parâmetros curriculares nacionais: terceiro e quarto ciclos: apresentação dos temas transversais. Brasília: MEC/SEF, 1998a.

______. Referencial curricular nacional para a educação infantil. Brasília: MEC/SEF, 1998b.

______. Parâmetros Curriculares Nacionais: introdução aos Parâmetros Curriculares Nacionais. Brasília: MEC/SEF, 1997.

BUENO, Sinésio Ferraz. Semicultura e educação: uma análise crítica da revista Nova Escola. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 12, n. 35, p. 300-307, maio/ ago. 2007.

CAVALCANTE, M. Rotina desigual. Nova Escola, São Paulo, n. 198, p. 36-38, dez. 2006.

COSTA, Gilcelene Dias da. Entre a política e a poética do texto cultural: a produção das diferenças na revista Nova Escola. 2003. 136 f. Dissertação (Mestrado em Educação) -Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Faculdade de Educação, Porto Alegre, 2003.

GENTILE, Paola. Eles querem falar de sexo. Nova Escola, São Paulo, n. 191, p. 22-29, abr. 2006.

GUIMARÃES, K. Impresso se reestrutura após quedas. Jornais e revistas citam 2013 como “ano difícil’; conteúdo e digital são tendências. 23/12/2013. Disponivel em: http://propmark.com.br/midia/impresso-se-reestrutura-apos-quedas. Acesso em: 22 abr. 2016.

LAVILLE, Christian; DIONNE, Jean. A construção do saber: manual de metodologia da pesquisa em ciências humanas. Tradução de H. Monteiro, F.Settineri, Porto Alegre: Artmed, 1999.

LARROSA BONDÍA, Jorge; KOHAN, Walter. Apresentação da Coleção. In: RANCIÈRE, Jacques. O mestre ignorante. Belo Horizonte: Autêntica, 2002.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. Petrópolis: Vozes, 1997.

______. Pedagogias da Sexualidade. In: LOURO, Guacira Lopes. (Org.). O corpo educado: pedagogia da sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica editora, 2010. p. 7-34.

MELLO, Guiomar Namo de. Magistério de 1º grau: da competência técnica ao compromisso político. São Paulo: Cortez, 1981.

MINAYO, Maria Cecília.de S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo: Hucitec, 2000.

MORO, Claudia Cristine. Sala de aula sem preconceito. Nova Escola, São Paulo, n. 171, p. 21, abr. 2004.

MORRONE, Maria Lúcia. Revista Nova Escola: discursos, representações e prescrições pedagógicas no ensino de História (1986-1995). 2003. 302 f. Tese (Doutorado em Educação) - Pontifícia Universidade Católica, Faculdade de Educação, São Paulo, 2003.

MULLER, Laura. É preciso falar de sexo. Nova Escola, São Paulo, n. 164, p.16, ago. 2003.

NUNES, César Aparecido; SILVA, Edna Aparecida. A educação sexual da criança: subsídios teóricos e propostas práticas para uma abordagem da sexualidade para além da transversalidade. Campinas: Autores Associados, 2000. (Coleção polemicas do nosso tempo; 72).

PERES, Paula. Isso é machismo e precisa acabar. As meninas que estão mudando a escola. Nova Escola, São Paulo, n. 295, p. 32-40, set. 2016.

PETRENAS, Rita de Cássia. O estado da arte sobre as temáticas sexualidade, educação sexual e gênero nos encontros nacionais de didática e práticas de ensino – ENDIPE (1996-2012). Tese (Doutorado em Educação Escolar) – Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências e Letras, Campus de Araraquara, 2015.

RIBEIRO, Paulo Rennes Marçal. A sexualidade na história. In: RIBEIRO, Paulo Rennes Marçal (Org.). Sexualidade e educação sexual: apontamentos para uma reflexão. Araraquara, SP: Cultura Acadêmica/Laboratório Editorial FCL, 2002, p. 9-16.

______. Educação sexual além da informação. São Paulo: EPU, 1990.

______. Os momentos históricos da educação sexual no Brasil. In: RIBEIRO, Paulo Rennes Marçal (Org.). Sexualidade e educação: aproximações necessárias. São Paulo: Arte & Ciência, 2004. p. 15-25.

SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. 3. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

SOARES, Wellington. Precisamos falar sobre Romeo. Nova Escola, São Paulo, n. 279, p. 24-31, fev. 2015.

STEINBERG, Shirley. R. Kindercultura: a construção da infância pelas grandes corporações. In: SILVA, Luiz Heron da; AZEVEDO, José Clóvis de; SANTOS, Edmilson Santos dos (Org.). Identidade social e a construção do conhecimento. Porto Alegre: SMED, 1997. p.98-145.

______. KINCHELOE, Joel Layons. (Org.). Cultura infantil: a construção corporativa da infância. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.

STUMPF, Débora Karine. Representações de sexualidade no currículo da Nova Escola e a construção do sujeito heterossexual. 2003. 103 f. Dissertação (Mestrado).Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2003.