Alunos com implante coclear: desenvolvimento e aprendizagem / Students with cochlear implants: development and learning

Conteúdo do artigo principal

Celeste Azulay Kelman
https://orcid.org/0000-0002-6633-8931

Resumo

A inclusão de alunos surdos traz desafios, com resultados nem sempre satisfatórios, apesar do auxílio do intérprete e do atendimento educacional especializado. Alunos surdos com implante coclear tornam a situação ainda mais complexa, pois convivem com colegas surdos usuários de língua de sinais. Além disso, as professoras não têm uma orientação clara de como lidar com estudantes com diferentes características na mesma classe. O objetivo deste estudo foi investigar e analisar as estratégias educacionais usadas pelas educadoras e a percepção dos responsáveis sobre o desenvolvimento linguístico e a aprendizagem do aluno. Realizaram-se entrevistas com professoras de sala de aula e da sala de recursos, com uma intérprete e com os responsáveis. Concluiu-se que alunos com surdez pós-lingual implantados têm maior sucesso acadêmico, e entre os alunos com surdez pré-lingual, aqueles que convivem com colegas surdos sinalizadores e aprendem a língua de sinais na escola têm resultados acadêmicos melhores do que os alunos surdos implantados cujos responsáveis optam exclusivamente pela língua falada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Azulay Kelman, C. (2015). Alunos com implante coclear: desenvolvimento e aprendizagem / Students with cochlear implants: development and learning. Ensino Em Re-Vista, 13–24. Recuperado de https://seer.ufu.br/index.php/emrevista/article/view/30796
Seção
Artigos

Referências

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 4ª. ed., 2011.

BEVILACQUA, M. C.; MORET, A. L. M. Reabilitação e implante coclear. In: LOPES FILHO, O. Tratado de fonoaudiologia. Ribeirão Preto: Tecmed, 2005, cap. 23, p. 423-436.

COLE, M.; COLE, S. O desenvolvimento da criança e do adolescente. Porto Alegre: Artmed, 2004.

COLLETTI, V. Cochlear Implantation at under 12 months: Report on 10 Patients. The Laryngoscope, v. 115, n.3, p. 445-449, 2005.

GESUELI, Z. M. A escrita como fenômeno visual nas práticas discursivas de alunos surdos. In: LODI, A.C.B.; MELO, A.D.B.; FERNANDES, E. (Orgs.) Letramento, bilinguismo e educação de surdos. Porto Alegre: Mediação, 2012

.GUIMARÃES, A. D. S.; KELMAN, C.A. & NASCIMENTO, R.T. Expectativas dos pais quanto aos benefícios do implante coclear em contextos educacionais bilíngues. Trabalho apresentado no VII Congresso Multidisciplinar de Educação Especial, nov. 2013. Londrina.

KELMAN, C. A. Aqui tudo é importante! Interações de alunos surdos com professores e colegas em espaço escolar inclusivo. 2005. 197 f. Tese (Doutorado em Psicologia). Brasília: UnB.

_____________. Dilemas sobre o implante coclear: implicações linguísticas e pedagógicas. Informativo Técnico-Científico Espaço INES. Rio de Janeiro, v. 33, p. 33-41, jan-jun 2010.

_____________. Significação e aprendizagem do aluno surdo. In: MARTINEZ, A.; TACCA, C.V.R.: Possibilidades de aprendizagem: ações pedagógicas para alunos com dificuldades e deficiências. Campinas, SP: 2011, p. 175-208.

_______.; BRANCO, A. U. Deaf children in regular classrooms: a sociocultural approach to a Brazilian experience. American Annals of the Deaf, Washington: Gallaudet University, v. 149, n. 3, p. 274-280, 2004.

_______.; BRANCO, A. U. Comunicação e Metacomunicação na Inclusão Escolar. In: DESSEN, M. A. e MACIEL, D. A. (Orgs.) A Ciência do Desenvolvimento Humano: desafios para a Psicologia e a Educação.Curitiba, PR: Ed. Juruá, 2014, p. 483-516.

KELMAN, C.A.; LIMA, P. O. Inclusão de aluno com implante coclear no contexto do bloco inicial de alfabetização. Comunicação oral apresentada no V Congresso Multidisciplinar de Educação Especial, nov. 2009. Londrina.

KELMAN, C.A.; BARBOSA, I.S. Aluno com implante coclear: reflexos pedagógicos de uma identidade em formação.Comunicação oral apresentada no V Congresso Multidisciplinar de Educação Especial, nov. 2009. Londrina.

LAURENT CLERC NATIONAL DEAF EDUCATION CENTER. Cochlear implants and sign language: putting it all together (Identifying practices for educational settings). Washington, D.C., 2003.

LOPES, V.P.; MAIA, J.A.R. Períodos críticos ou sensíveis: revisitar um tema polêmico à luz da investigação empírica. Revista Brasileira de Educação Física, São Paulo, v. 14, n.2,p. 128-140, jul/dez,2000.

MITTLER, P. Educação inclusiva. Porto Alegre: Artmed, 2003.

MIYAMOTO, R.T.; HOUSTON, D.M.; BERGESON, T. Cochlear implantation in deaf infants. The Laryngoscope, v.115, n.8, p.1376-1380, ago/2005.

PEREIRA, M.C. da. Papel da língua de sinais na aquisição da escrita por estudantes surdos. 2012. . In: LODI, A.C.B.; MELO, A.D.B.; FERNANDES, E. (Orgs.) Letramento, bilinguismo e educação de surdos. Porto Alegre: Mediação, 2012

.PONTECORVO, C; AJELLO, A.M.; ZUCCHERMAGLIO, C. Discutindo se aprende. Porto Alegre: Artmed, 2005.

QUEIROZ, E.F.; KELMAN, C. A. Implicações do implante coclear no processo de aquisição da escrita de uma criança surda. In: TANAKA, E.D.O.; MARQUEZINE, M. C.; BUSTO, R.M., 2009, p. 103-115.

SHARMA, A.; CAMPBELL, J, 2011. A sensitive period for cochlear implantation in deaf children. Journal of Maternal Fetal Neonatal Medicine, 2011 Oct. 24 Suppl 1:151-153. doi: 10.3109/14767058.2011.607614.

TAVEIRA, C.C. et alii. Proposta de Educação Bilíngue voltada à surdez no município do Rio de Janeiro.Texto didático disponível em: http://ihainforma.wordpress.com. Acesso em 25/11/2013.

YAMADA, M.O.; BEVILAQUA, M.C. O papel do psicólogo no programa de implante coclear do Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais. Estudos de Psicologia, Campinas, v. 22, p. 255-262, 2005.