Arquivos Pessoais no radar do Tempo Presente. Dimensões e possibilidades nos estudos acadêmicos

Conteúdo do artigo principal

Maria Teresa Santos Cunha
http://orcid.org/0000-0001-6200-6713
Doris Bittencourt Almeida
http://orcid.org/0000-0002-4817-0717

Resumo

Neste texto, discutem-se as condições de produção, conservação e utilização de arquivos pessoais de professores universitários, sujeitos dotados de intelectualidade, e suas inscrições na História da Educação, mediadas pela experiência investigativa da História do Tempo Presente. Tal abordagem contempla, em diferentes temporalidades, as dimensões e possibilidades dos arquivos pessoais desses educadores em que o estudo de tais trajetórias de vida no tempo presente, permite reconfigurações de passados. Salienta-se, igualmente, o uso desses documentos como meio de investigar ações individuais como coletivas que atravessaram a vida cotidiana e acadêmica de Balduíno Antonio Andreolla (UFRGS) e Walter Fernando Piazza (UFSC), entre as décadas de 1950 a 1990. Problematizar gestos intencionais de guardar papeis do passado permite pensar se tais experiências podem ser consideradas memoráveis nos percursos dos professores a ponto de ocuparem lugar em suas gavetas. Guardaram para não esquecerem? Seria a preservação um modo de buscarem, em vida, uma espécie de musealização de sua memória?

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Cunha, M. T. S. ., & Almeida, D. B. (2021). Arquivos Pessoais no radar do Tempo Presente. Dimensões e possibilidades nos estudos acadêmicos. Cadernos De História Da Educação, 20(Contínua), e049. https://doi.org/10.14393/che-v20-2021-49
Seção
Dossiê - Traços que deixam traços: arquivos pessoais no tempo presente
Biografia do Autor

Maria Teresa Santos Cunha, Universidade do Estado de Santa Catarina (Brasil)

http://orcid.org/0000-0001-6200-6713
http://lattes.cnpq.br/1895532605964830
mariatsc@gmail.com

Doris Bittencourt Almeida, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Brasil)

http://orcid.org/0000-0002-4817-0717
http://lattes.cnpq.br/5715085520250456
almeida.doris@gmail.com

Referências

ALBUQUERQUE JR, Durval Muniz. O Tecelão dos Tempos: novos ensaios de Teoria da História. São Paulo: Intermeios, 2019.

ALMEIDA, Doris Bittencourt; GRIMALDI, Lucas. Entre gestos de guardar e atos de testemunhar: o Arquivo de memórias da Faculdade de Educação/UFRGS. Educação em Revista, v.36, 2020. DOI: https://doi.org/10.1590/0102-4698223025.

ANDREOLA, Balduíno Antonio. Biografia intelectual de Balduíno Antonio Andreola. Revista Pedagógica. Chapécó, v.17, n.36, p.51-68, 2015. DOI: https://doi.org/10.22196/rp.v17i36.3147.

ASSMANN, Aleida. Espaços de Recordação: formas e transformações da memória cultural. Campinhas/SP: Unicamp, 2011.

BASTOS, Maria Helena Camara; CUNHA, Maria Teresa Santos; MIGNOT, Ana Chrystina Venancio. Destino das Letras: história, educação e escrita epistolar. Passo Fundo: EDUPF, 2003.

BELLOTTO, Heloísa Liberalli. Arquivos: estudos e reflexões. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2017.

BELLOTTO, Heloísa Liberali. Tratamento Documental. Rio de Janeiro: Editora FGV. 2006.

CARVALHO, Marta Maria Chagas; PINTASSILGO, Joaquim (Org). Modelos Culturais, Saberes Pedagógicos, Instituições Educacionais: Portugal e Brasil, Histórias Conectadas. São Paulo: EDUSP, 2011.

COX, Richard. Arquivos Pessoais: um novo campo profissional – leituras, reflexões e reconsiderações. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2017.

CUNHA, Maria Teresa Santos. (Des)Arquivar: arquivos pessoais e ego-documentos no tempo presente. São Paulo: Florianópolis: Rafael Copetti Editor, 2019.

CUNHA, Maria Teresa Santos. Entre Netuno e Clio: primeiras aproximações às cartas do Almirante Henrique Boiteux (Santa Catarina/Século XX). Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)Biográfica, Salvador, v.3, n.9, 2018.

FOUCAULT, Michel. Nietzche, a genealogia da História. In: FOUCAULT, Michel. Microfísica do Poder. São Paulo: Graal, 2008.

GOMES, Ângela Maria de Castro. Nas malhas do feitiço: O historiador e os encantos dos arquivos privados. Revista Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v.11, n.21, p. 121-128, jul.1998
GREENBLATT, Stephen. O novo historicismo: ressonância e encantamento. Estudos Históricos, Rio de Janeiro. v. 4, n. 8, p. 244·261, 1991.

HEYMANN, Luciana, De "arquivo pessoal' a "patrimônio nacional": reflexões acerca da produção de " legados". In: Seminário PRONEX Direitos e Cidadania, 1, 2005, Rio de Janeiro.
Anais Eletrônicos... Rio de Janeiro: CPDOC, 2005. Disponível em: https://cpdoc.fgv.br/producao_intelectual/arq/1612.pdf/. Acesso em 20 out. 2020.

HARTOG, François. Tempo e patrimônio. Varia Historia, Belo Horizonte, v.22, n.36, p.261-273, jul-dez.2006. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/vh/v22n36/v22n36a02.pdf. Acesso em 21 out. 2020. DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-87752006000200002.

HARTOG, François. Evidência da História. O que os historiadores vêem. Belo Horizonte:Autêntica Editora,2011.

HEYMANN, Luciana. Arquivos Pessoais em perspectiva etnográfica. In: TRAVANCAS, I. R.; HEYMANN, L.(Org.) Arquivos pessoais: reflexões multidisciplinares e experiências de pesquisa. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2013, pp 29-42.

HOBBS, Catherine. ‘’O caráter dos arquivos pessoais: reflexões sobre o valor dos documentos de indivíduos’’. In: Pensar os arquivos/Uma antologia. Luciana Heymann e Letícia Nedel, organizadoras; Rio de Janeiro: FGV Editora, 2018, p. 261-274).

KOSELLECK, R. Estratos do tempo: estudos sobre História. Rio de Janeiro, Contraponto, 2014.

LIMA, Valeska Alessandra de; ALMEIDA, Dóris Bittencourt. O Colégio de Aplicação/UFRGS e a difusão das classes experimentais secundárias: entre o arquivo e a memória oral (1959-1981). Revista História da Educação, v.22, n.56, p.207-227, set./dez. 2018. DOI: https://doi.org/10.1590/2236-3459/77345.

MENEZES, Maria Cristina (Org). Desafios Iberoamericanos: O Patrimônio Histórico Educativo em Rede, São Paulo: CME/FEUSP, 2016. DOI: https://doi.org/10.11606/9788560944651.

MIGNOT, Ana Chrystina Venancio. O carteiro e o educador: práticas políticas na escrita epistolar. Revista Brasileira de História da Educação, São Paulo, n.10, p. 45-69, jul./dez. 2005.

NÓVOA, Antonio (Org). Vidas de professores. Porto: Porto Editora, 1992.

PESAVENTO, Sandra Jatahy. Sensibilidades: escrita e leitura da alma. In: PESAVENTO, Sandra Jatahy; LANGUE, Frédérique. (Org.). Sensibilidades na história: memórias singulares e identidades sociais. Porto Alegre: UFRGS, 2007.

RAMOS, Tania Regina de Oliveira.” Querido diário: Agenda é mais moderno”. In: MIGNOT, Ana Chrystina; BASTOS, Maria Helena Camara; CUNHA, Maria Teresa Santos. (Org.). Refúgios do Eu. educação, história, escrita autobiográfica. Florianópolis: Editora Mulheres, 2000. p. 191-201.

RICOEUR, Paul. A memória, a história, o esquecimento. Campinas: Unicamp, 2007.

ROUSSO, Henry. A última catástrofe: a história, o presente, o contemporâneo. Rio de Janeiro: FGV, 2016.